A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Estupro tático no Serra

Uma atuação horrorosa de um time sem criatividade. Treinando em Goiânia desde o domingo passado, o CRB não conseguiu executar de forma eficiente absolutamente nada no jogo. Eram passes errados sem fim, e a criatividade dos meias e pontas eram escassas. 

  • Foto: Artur Pinheiro 

No começo da partida, o Goiás abriu o placar com Rossi aos 10' da primeira etapa, através de rebote do goleiro regatiano. O CRB não conseguia acertar seus passes, fazendo com que suas chances de marcar o gol ficassem o mais longe possível de acontecer.

Aos 24' do segundo tempo, Murilo ampliou o placar após receber passe de Walter, colocando-o em situação clara de gol pela esquerda. O jogador invadiu a área, limpou a marcação e bateu forte no alto, sem chances para o goleiro.

As falhas de marcação do CRB, mostram claramente a falta de Olívio. Na parte ofensiva, o time é dependente de Magrão, que não consegue executar uma tabela se quer, pois seus colegas de equipe não o ajudam.

No fim da partida, a equipe goiana ampliou o placar com Marcão invadiu a área, e finalizou na saída de Bruno aos 42' da segunda etapa. E assim, fim de jogo.  Goiás 3 a 0 CRB.

Próximo compromisso

O Galo agora espera a rodada acabar, e também aguarda a definição de data do jogo contra o Náutico na próxima rodada no Estádio Rei Pelé. O time não teve perdas, mas agora possui oficialmente a pior defesa da competição com 49 gols sofridos.

Empate com sabor de vitória

O Southampton foi até Manchester, no último domingo (23), enfrentar o poderoso Manchester City, no Etihad Stadium. O público foi de 53.000 mil pessoas e o time do sul conseguiu arrancar um empate em 1 a 1, com gols de Redmond, para os Saints, e Ihenacho, para os Citizens. Com o resultado, o time chegou aos 13 pontos e está na 8ª colocação da Premier League.

Resultado de imagem para manchester city x southampton redmond
Redmond comemora seu gol (Fonte: Telegraph)
Para o time do sul, esse empate deixou a equipe muito satisfeita, pois jogar contra os postulantes ao título é sempre mais complicado, podendo se recuperar contra adversários que tem as mesmas pretensões na competição.

O Jogo


O time de casa, por ter um elenco superior ao do Saints, fez o seu papel no início e foi para cima na tentativa de abrir o placar. Mas do outro lado estavam Fonte e Van Dijk, que formam umas das zagas menos vazadas da Europa, neste início de temporada. 


No meio do primeiro tempo, as coisas começaram a se igualar e foram os Saints que abriram o placar. De tanto apertar a saída de bola, a pressão deu certo e o  zagueiro John Stones fez um mal recuo para Bravo, Redmond interceptou, cortou o arqueiro e abriu o placar no Etihad, aos 27 minutos.

Em desvantagem no placar, o City partiu ainda mais para cima, a fim de empatar antes do intervalo. E conseguiu, mas a arbitragem não validou o gol  de Stones, interpretando que Aguero estava em posição irregular e participou do lance. Os Saints levaram a vantagem para o vestiário.
No segundo tempo, os mandantes voltaram ainda mais pressionados, buscando o primeiro gol. Não demorou muito para que os visitantes cedessem a pressão e vissem seu goleiro ser vazado. Após passe de Sané pela esquerda, Iheanacho concluiu e igualou o marcador, aos 10 minutos. 

Depois do gol, o time cresceu ainda mais e o Southampton se defendia como podia. Aguero só veio aparecer quando foi acionado pela esquerda e chutou pelo lado. O juiz ainda deu 6 minutos de acréscimo, fazendo com que a pressão fosse maior sob os Saints, mas terminou assim: 1 a 1.
O próximo compromisso do Southampton será na quarta-feira (26), contra o Sunderland, pela EFL Cup, ás 16h45 (Brasília). Pela Premier League, o time terá outro grande desafio frente ao Chelsea no domingo(30), às 14h00 (Brasília), no Saint Mary’s Stadium.


Luverdense fica no empate contra o Oeste e vê sonho do acesso mais distante

A vitória de virada diante do Náutico, um dos times que brigam pelo acesso nesta série B, deu moral para a equipe do Luverdense. O time bateu um possível concorrente direto e encostou no pelotão da frente. Assim, com o pensamento de tentar encostar ainda mais no grupo de acesso, Junior Rocha armou a equipe para enfrentar um desesperado Oeste.

O péssimo desempenho longe do Passo das Emas tem sido fator decisivo para o Verdão do Norte não estar com uma posição melhor. O Oeste, porém, vem jogando em Barueri e praticamente sem público, fator que reduz a dificuldade da partida. Nem assim o Luver conseguiu melhorar seu desempenho, sobretudo na primeira etapa.

Acostumado com o estilo Fernando Diniz, o Oeste trabalhou a bola e ficou com mais de 60% de posse ao longo do primeiro tempo. Exceção feita a uma bola na trave e alguns cruzamentos de bola parada, entretanto, os paulistas praticamente não assustaram o goleiro Diogo Silva. Praticamente perfeito na parte defensiva, o Verdão pecou pela falta de criatividade nos contra-ataques e também pouco assustou.

whatsapp-image-2016-10-25-at-20-27-18
Foto: Site oficial - Luverdense
Percebendo a fragilidade do adversário, Junior Rocha adiantou a equipe no segundo tempo. O resultado foi uma melhora significativa do Verdão do Norte. Em menos de dez minutos, três boas chances criadas. Na melhor delas, Moacir aproveitou bobeira do goleiro Felipe Alves e quase marcou. Douglas Baggio também deu trabalho. O gol já era merecido quando Rafael Silva bateu cruzado e viu Betinho marcar contra. 1x0 para o Luverdense.

Em desvantagem no placar e situação ruim na tabela, o Oeste veio com tudo em busca do empate. A estratégia do técnico Junior Rocha era de recuar e aproveitar os espaços deixados pelo time da casa para matar o jogo em um contra-ataque. Contudo, não deu tempo: Pedro Carmona empatou aos 21’.


No final, as duas equipes tiveram algumas oportunidades para desempatar a partida, porém sem êxito para ambos. O empate não foi comemorado por ninguém: o Oeste segue em situação perigosa, enquanto que o Luverdense, já salvo do rebaixamento, perdeu a chance de colar de vez na turma de cima da tabela.

Fuga do Z4 comandada por Cotia

De Cotia vazia para Morumbi lotado, com gol da nova jóia, São Paulo dispara na fuga do rebaixamento



Depois de uma belíssima partida contra o Fluminense, São Paulo recebeu a Ponte Preta em casa pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Tendo a chance de se afastar ainda mais do Z4, o Morumbi lotou e o Tricolor decolou, vencendo a macaca por 2 a 0.

Com desfalques importantes (Maicon, Lugano e Buffarini suspensos) Ricardo apostou na garotada. David Neres, que fez uma boa estreia contra o Fluminense e Pedro foram titulares, por opção do técnico, Chavez ficou no banco. Outra mudança foi Wesley na lateral direita.

Após o apito do árbitro, não demorou muito para o gol Tricolor. Aos 10' Pedro e Mena fizeram boa tabela, o chileno foi à linha de fundo e cruzou para trás, Fábio Ferreira cortou com o braço, penalidade máxima para o São Paulo. Cueva bateu no canto direito de Aranha, abrindo o placar. Pela esquerda, com os avanços de Mena, o São Paulo criou as melhores jogadas de ataque - como no lance que originou o pênalti -, entretanto o 1º tempo não houve mais fortes emoções, para nenhum dos lados. Apenas no final da partida, depois de cobrança de escanteio da Ponte, Denis socou errado e Rodrigo Caio cabeceou a bola na trave, por pouco não empatou o jogo para a Macaca.

O começo da 2ª etapa a bola ficou mais no pé dos são-paulinos, porém as duas primeiras chances de gols foram da Macaca, Reinaldo (ex-São Paulo) bateu na diagonal e a bola passou pertinho do gol, já Pottker saiu sozinho com Denis, e na finalização, bateu para fora. Quando a Ponte parecia ter se encontrado em campo, São Paulo fez o 2º gol. Mena começou a jogada pela esquerda e tocou para Chavez, esse passou para Thiago Mendes que bateu rasteiro, a bola acertou a trave e no rebote, livre de marcação, David Neres empurra para a rede, fazendo seu primeiro gol como profissional e acabando o placar no Morumbi. No final da partida, a nova jóia do time saiu para a entrada de Wellington, meia que teve problemas e ficou 1 ano fora de campo. 

No final do jogo Neres foi entrevistado Depois do jogo contra o Fluminense eu ganhei muita confiança. Agora é só evoluir. Tremi na hora (quando soube que seria titular), mas deu tudo certo", falou o atacante que para o SPFCTv admitiu não ter gostado da sensação de dar entrevista pois jogo por ficar nervoso (lembrando que o garoto tem 19 anos). Já sobre Wellington ele afirmou "Difícil falar, o que eu e minha esposa passamos, com o doping injusto, com a lesão no joelho. Só tenho a agradecer a Deus, minha família, ao São Paulo, que nunca virou as costas para mim", e  para o SPFCTv ele se emocionou, dizendo que o São Paulo é tudo para ele.

Com fortes emoções e com a segunda vitória consecutiva (algo que não acontecia há tempos), São Paulo foi para 42 pontos e está em 11º. Seu próximo jogo é contra o América-MG, no Independência, segunda-feira (31/10), às 20h.


FICHA TÉCNICA

Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo, Morumbi - SP
Data: Sábado, 22/10/16
Gols: Cueva e David Neres (SAO)
Cartões Amarelos: Roger (PON)
Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique (PE), auxiliado por Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE). 

SÃO PAULO
Denis; Wesley, Lyanco, Rodrigo Caio e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres (Wellington), Kelvin (Luiz Araújo) e Pedro (Chavez). Téc: Ricardo Gomes

PONTE PRETA
Aranha; Nino Paraíba, Antonio Carlos, Fábio Ferreira e Reinaldo; Wendel (Thiago Galhardo), João Vitor e Maycon; Clayson (Felipe Azevedo), Roger (William Pottker) e Rhayner. Téc: Eduardo Baptista

Mais uma vitória dramática na conta

Buscando afirmação, o West Ham entrou em campo neste domingo (23), em partida válida pela 9ª rodada da Premier League. E o time londrino conseguiu a segunda vitória consecutiva, diante do Sunderland, por 1 a 0. Na rodada anterior, havia vencido o Crystal Palace, também de forma dramática e pelo placar mínimo.


Reid salva o West Ham novamente. (Foto: Mirror)
É notável uma mudança na equipe dos Hammers, que mesmo com todas as dificuldades, mostram raça. Quando não vai na habilidade, vai na vontade. Parece que os jogadores fizeram um pacto com o treinador Slavic Billic, que está levando a culpa do começo péssimo da equipe na temporada, já que se esperava que os Irons ainda estivessem jogando a fase de grupos da UEFA Europa League. Enfim, passou!

O West Ham poderia ter começado com um gol logo no começo da partida, quando um pênalti não foi marcado, em cima do zagueiro Reid. Mesmo com o prejuízo, o time da casa não de abalou e pressionou, principalmente com Payet que tem a magia nos pés, mas não conseguiu traduzir as oportunidades que teve em gol. 

Edmilson Fernandes e Kouyate colocavam o adversário na roda e foram os responsáveis por boa parte das chances criadas pela equipe na partida. O volante não perdia uma no um contra um, levando vantagem em cima dos jogadores do adversário. Já no fim da partida, o iluminado Reid foi quem fez o gol. Não justifica a vitória ter vindo apenas no final de partida, mas é isso. Os três pontos fazem com que a equipe agora possa respirar aliviada e finalmente buscar seus objetivos reais.

Na próxima rodada da Premier League, o West Ham enfrenta o Everton no domingo (30), fora de casa. Antes disso, recebe o Chelsea, só que em partida válida pelas oitavas de final da EPL Cup, ou Copa da Liga Inglesa.


COME ON YOU IRONS 

Thomaz Gomes || @thomazgomes_

Até nunca mais Z3?

No sábado passado (22), o Stoke City viajou até a cidade de Hull, para enfrentar o time local. Em um confronto direto da parte de baixo da tabela, os Potters conseguiram uma vitória épica em um jogo bem disputado. As equipes criaram bastantes oportunidades e ao final do jogo as estatísticas marcavam ao todo 18 chutes a gol. Outro ponto que vale ressaltar é o número de faltas, 24 na soma total.

Shaqiri foi o destaque da partida (foto:Stokecityoficial)
O destaque do jogo foi sem dúvidas nenhuma o baixinho suíço Shaqiri, que andava devendo muito nos últimos jogos, mas marcou um gol em cada tempo.

Mark Hughs manteve a mesma formação tática do último jogo, o famoso 4-5-1. Parece que o manager dos Potters acabou achando o equilíbrio que estava faltando. Uma coisa rara no futebol é o técnico repetir a mesma formação tática com as mesmas peças, jogando em casa ou até mesmo fora de casa e Hughs fez isso, por enquanto está dando certo.

DISTRIBUIÇÃO TÁTICA


(Foto:theguardian)
O Stoke City começou o jogo melhor e pressionou o time da casa. Logo aos 3 minutos, depois de uma triangulação pela esquerda, Arnautovic cruzou em direção a área e Shaqiri chutou, mas não pegou como deveria e não levou perigo algum ao goleiro adversário.

Depois de alguns lances isolados, um jogo bastante truncado e faltoso, o talento individual de Shaqiri apareceu. Aos 26', Shawcross tentou uma jogada individual pela lateral do campo e rolou para Shaqiri, que dominou e acertou um belo chute no ângulo. Stoke City 1 a 0.
Shaqiri comemorando o primeiro gol (Theguardian)
Os Potters dominaram o primeiro tempo, em certo momento as estatísticas chegaram a marcar 69% para o time de Stoke. Porém, o Hull City teve uma chance de empatar antes do intervalo. Na melhor chance dos mandantes no primeiro tempo, Keane dominou a bola na entrada da área, Martins Indi chegou atrasado à marcação e permitiu que o atacante chutasse ao gol, mas a bola apenas passou perto da trave, aos 35 minutos.

Shaqiri cobrando a falta e ampliando o placar (Espn.com)
O segundo tempo começou sem nenhuma mudança de ambos os lados, apenas no estilo de jogo do time do visitante, que claramente segurou mais o jogo e trabalhou mais as jogadas no campo defensivo. Logo aos 5', Allen acabou sofrendo uma falta na entrada da área. Na cobrança, Shaqiri bateu a falta como manda o manual, por cima do segundo homem da barreira e sem chances para Marshall, ampliando o placar.

Apesar da vantagem por 2 a 0, os Potters seguiram criando as melhores oportunidades. E aos 18 minutos, isso ficou mais claro do que nunca. Shaqiri arriscou um lançamento pelo alto em direção de Arnautovic, que acabou dominando e arriscando uma jogada individual, o austríaco entrou na área e chutou forte em direção ao gol, obrigando Marshall praticamente a fazer um milagre, o goleiro do time da casa espalmou a bola em direção à linha de fundo.

O jogo acabou seguindo em um ritmo bem tranquilo para o árbitro Kevin Friend, o time do Hull City acabou tentando jogadas áreas e infiltrações, mas sem sucesso.

Aos 90 minutos Livimore arriscou uma jogada individual, levou a melhor sobre os volantes do Stoke City e tocou para dentro da área, o atacante Hernandéz que entrou no segundo tempo para realizar a função de centroavante, recebeu uma bola redonda, dominou, mas chutou fraco em direção ao gol de Grant.

Arnautovic (1 gol), Shaqiri (3 gols) e Allen (4 gols) andam fazendo a diferença, juntos até agora na Premier League os meias ofensivos somam oito gols marcados, sendo que o Stoke City marcou nove gols. O trio mágico dos Potters chegaram a marcar até mais do que algumas equipes da Premier League, como por exemplo: Middlesbrough (7 gols) e Sunderland (6 gols).

Time dos Potters comemorando mais uma vitória (Stokecityoficial)

Com o resultado, o Stoke City chegou aos nove pontos e assumiu a 16ª colocação, finalmente deixando o Z3. Um ponto positivo, é que a equipe chega à sua segunda vitória consecutiva e está há quatro jogos sem perder, finalmente reagindo na competição. Parece que time entendeu que está disputando um campeonato alternativo e sua briga vai ser para fugir da degola.

O próximo jogo pode ser considerado da afirmação, já que os Potters jogarão em casa e enfrentarão outra equipe que está lutando na parte de baixo da tabela, o Swansea. A partida acontecerá apenas na segunda feira (31).

COME ON POTTERS!

Por: Yuri Ramos || Twitter: @yuriramosq
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana