A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Se for um sonho, não nos acorde

Na noite da última quarta-feira (26), o Grêmio foi até o Mineirão para enfrentar o Cruzeiro no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. O jogo estava programado para ter início às 21h45 e contava com a presença de 50 mil cruzeirenses, o cenário estava todo desenhado para um massacre celeste - se não fosse contra o maior clube e mais copeiro do Rio Grande do Sul. Era inevitável que os torcedores mineiros acreditassem em uma vitória do time da casa ou em uma boa largada rumo à final da Copa. Afinal, o Cruzeiro divide com o Grêmio o título de "maior vencedor da Copa do Brasil".

(Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio) 

Quando o relógio de Péricles Bassols marcou 21h45, a bola rolou para o duelo de tetracampeões. Nos minutos iniciais, tudo levava a crer que o Cruzeiro seria dono do jogo e pressionaria durante os 90 minutos, inclusive, forçou Marcelo Grohe a fazer uma bela defesa logo aos 2'. Depois dessa pressão inicial celeste, o Grêmio começou a tomar conta da partida e foi gostando do jogo, sem vacilar na defesa e sem dar espaço para Ábila, que já mostrou a todos que não brinca em serviço.

O jogo estava morno até os 19' do 1º tempo, que foi quando Luan decidiu pôr fogo no jogo. E convenhamos, isso ele sabe fazer muito bem. Após 1 minuto de posse de bola e 22 toques na bola, o setor de criação do Grêmio fez com que a bola encontrasse Luan e ele não poderia concluir melhor: com maestria e tranquilidade, deu um toque em curva, cobrindo Rafael. A bola ainda tocou na trave e caiu no fundo do gol. Cruzeiro 0x1 Grêmio, resultado que deixaria o Imortal em uma situação muito boa e complicaria a vida do Cruzeiro. Após o gol, o 1º tempo seguiu equilibrado até o fim.

Luan comemorando o gol que abriu o placar
(Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Para a etapa complementar, cada time fez uma alteração: Alisson entrou no lugar de Lucas no time da casa e no time visitante, Jaílson entrou no lugar de Maicon, que sentiu dores no tornozelo. O Cruzeiro voltou muito mais ligado que o Grêmio para os últimos 45 minutos de jogo e já começou pressionando, afinal, o resultado era péssimo para a equipe celeste. O Grêmio, que já tinha uma boa vantagem, esperava o desespero do Cruzeiro para ampliar e encaminhar a classificação.

O desespero cruzeirense foi penalizado aos 16', quando Edimar não conseguiu alcançar a bola e Kannemann afastou e armou um contra-ataque rápido com Ramiro na intermediária. O volante tricolor enxergou Douglas passando apenas com 1 marcador, lançou para ele e o camisa 10, que tem intimidade com a bola, concluiu o lance com maestria. Douglas dominou, levou para o pé direito, que não é o melhor pé, e finalizou com categoria para o fundo do gol, surpreendendo o marcador que esperava um chute de canhota e o goleiro Rafael que não conseguiu alcançar a bola.

Douglas comemorando o gol que fechou o placar no Mineirão
(Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Com 2 a 0 no placar, fora de casa, o Imortal Tricolor deixou a classificação muito bem encaminhada e administrou o jogo até o final. O Grêmio, que já vinha cansando seus torcedores com as campanhas de "quase", nem de perto pareceu o Grêmio que aplicou 2 a 0 em pleno Mineirão e que vem jogando com vontade de vencer, como tem jogado após a chegada de Renato Gaúcho. Todas as vezes que o Grêmio foi campeão, o elenco nunca era dos sonhos, mas se tornou na reta final da competição. E isso parece se repetir como não acontecia há muito tempo. A chance de acontecer "o que vocês já sabem o que é" está cada vez maior e é bom nem falar para não atrapalhar.

Provavelmente você deve estar lendo e se perguntando: o que esse louco tá falando dessa vez? Esse louco está pedindo aos gremistas que continuem sonhando e acreditando nesse Grêmio, que há um bom tempo não nos dá alegria e esperança como esse tem nos dado, que vá a Arena no jogo da volta e só saia de lá sem voz, que apoie durante os 90 minutos e que não deixe de acreditar no nosso Grêmio copeiro. Eu só sei que se for um sonho, não nos acorde. Nos deixe conquistar o penta primeiro.

LINHA DE FUNDO || @SiteLF
LEO FERNANDES || @L_Fernandes18

Boufal marca e Southampton avança na EFL Cup

A estrela de Sofiane Boufal brilhou no St Mary’s Stadium. No confronto pelas oitavas de final da EFL Cup, o Southampton derrotou o Sunderland, pelo placar mínimo.
Resultado de imagem para southampton v sunderland boufal
Boufal comemora seu gol com Fonte(Fonte: Football.co.uk)

O jogador, contratado junto ao Nice-FRA no final da janela de transferências, foi a contratação mais cara da história do clube, mas chegou ao clube lesionado e precisou de mais de dois meses para estrear. O marroquino já havia sido relacionado e entrado em jogos anteriores, mas sem brilho. Com esse golaço, mostrou que tem condições de brigar por uma vaga na equipe de Puel.

O Jogo


O time iniciou o jogo com nove alterações e com muitos jovens em campo. O primeiro tempo foi muito fraco para ambas as partes, com poucas chances de gol e um jogo muito truncado no meio. A parte mais importante da primeira etapa foi a saída de Jay Rodriguez, que se lesionou e promovendo uma estréia na equipe principal, o jovem Olufela, de 19 anos, entrou em seu lugar.

Na segunda etapa, ambos os times voltaram melhores e com mais vontade, buscando o jogo. Com ambos querendo a classificação ainda no tempo normal, os visitantes foram para cima e tentaram propor o jogo, enquanto os mandantes apostavam em contra-ataques rápidos. 

Em um desses contra-ataques, aos 67 minutos, Ward-Prowse cruzou e a defesa afastou, Fonte deu um bico para frente e a bola sobrou para Boufal, que dominou a bola no bico da grande área, driblou o marcador e chutou cruzado, fazendo 1 a 0. A bola no ângulo fez com que os torcedores fossem ao delírio.

No lance seguinte ao revés, os Black Cats já se lançavam ao ataque e quase empataram, depois da cabeçada do zagueiro McNair na trave. Antes do fim, o experiente Defoe ainda teve uma boa chance, defendida por McCarthy. 

Mesmo com essa pressão, o jogo terminou 1 a 0 Southampton e classificação na mão, para a felicidade dos mais de 21 mil presentes no estádio. Na próxima fase, o time do sul da Inglaterra já conhece o seu adversário, enfrentará o Arsenal com data e local a decidir.

Uma noite épica


Pode tudo isso parecer um sonho sem fim, desde 2013 a Chapecoense vive uma fase incrível, o vice-campeonato da Série B e o acesso, no ano seguinte muito sofrimento, mas também de vitórias sensacionais contra gigantes do futebol brasileiro. Em 2015 além de voltar aprontar nacionalmente, foi também a vez de estrear internacionalmente, foi na Copa Sul-Americana que começou levar seu nome para a América do Sul, a eliminação nas quartas de finais para o River Plate ficou em segundo plano, o até então campeão da Libertadores da América sentiu a pressão e a força da torcida na Arena Condá, a vitória sobre os Argentinos deu moral e muita experiência.


Fernando Remor/Mafalda Press/Gazeta Press
Chegamos então em 2016, no primeiro semestre imbatível, ficando até 14 jogos invicto, foi inevitável e indiscutível a conquista do Campeonato Catarinense sobre o Joinville, debaixo de um dilúvio que caiu em Chapecó durante a partida de volta da grande final. Ainda era pouco para o Verdão, pela primeira vez avançou para as oitavas de finais da Copa do Brasil, momento difícil, escolher seguir na competição nacional ou ser eliminado e voltar a viver um sonho novamente Internacionalmente?

Escolhemos novamente pela Sul-Americana, o sorteio ajudou o Verdão, primeiro na escolha do adversário brasileiro, o Cuiabá foi a primeira vítima, depois o Independiente, maior campeão da Taça Liberadores da América, uma classificação sofrida, como é a vida Chapecoense.

Chegamos novamente as quartas de finais, o adversário uma das equipes mais tradicionais da Colômbia, dona do estádio que a seleção Colombiana leva suas partidas, e a mais de 7 mil quilômetros de Chapecó, o Júnior de Barranquilla.

A partida de ida na Colômbia foi desgastante, o plano da diretoria em fretar um voo não deu certo, entre o desgaste do empate contra o Cruzeiro em Minas, os atrasos em aeroportos durante a viagem, e o calor de 40°C, fizeram os jogadores sentir em campo, mas a derrota por 1x0 não abalou a comissão técnica, jogadores, diretoria e muito menos os torcedores.

No duelo da volta, uma união que fez realmente a diferença, a torcida fez a diferença, na recepção a rua de fogo passou aos jogadores uma energia positiva, e comigo vendo tudo isso de perto, tive a certeza antes mesmo da bola rolar, que sairíamos classificados.

O sonho de ser o primeiro semifinalista catarinense em uma competição internacional se realizou, em campo os jogadores ouviam uma torcida apaixonada, louca, que mostravam que se a bola não quisesse entrar por bem, entraria pelo grito, pelo incentivo de mais de 13 mil torcedores.

A Chapecoense foi aniquiladora, o clima era de final, e por incrível que pareça, assim como foi na final do Catarinense, um dilúvio caia em Chapecó bem durante a partida. O gramado cheio de poças de água poderiam prejudicar o futebol veloz do Verdão? Não, hoje nada nos impediria, era uma noite Chapecoense.

Era uma partida de ataque contra defesa, um verdadeiro bombardeio verde e branco, logo aos 10 minutos uma chance incrível desperdiçada por Tiaguinho, que após cabeceio de Neto e defesa de Viera, mas o atacante não conseguiu finalizar bem, e o goleiro uruguaio voltou a salvar os visitantes.

Aos 23 foi a vez da trave salvar, após cruzamento da direita, Gimenez como centroavante apareceu em meio a zaga e finalizou, a bola explodiu no travessão. O gol era questão de tempo, os Colombianos estavam perdido em campo, e ele chegou aos 35 minutos, depois de cruzamento de Bruno Rangel, Ananias estava lá para empurrar para o fundo das redes e explodir a Arena Condá.

O resultado levava a decisão para os pênaltis, mas não, Gil acabou com essa possibilidade ainda no primeiro tempo, aos 43 minutos aproveitou a bola sobrar livre, bater de primeira, rasteiro, a bola passou por todo mundo e morreu dentro do gol de Viera.

No segundo tempo nada mudou, o Verdão queria mais, buscava liquidar de vez a partida, Cléber Santana quase fez isso logo com 3 minutos, após cobrança de escanteio ensaiada, chutou de primeira, passando raspando da trave. Depois foi a vez de Rangel quase marcar, a defesa falhou e caiu nos pés do artilheiro, que de esquerda chutou em cima de Viera. 


Laion Espíndula
O relógio ia passando, o torcedor não parava nenhum minuto de cantar, e pode comemorar a classificação aos 31 minutos, quando Gil cruzou e Thiego, o zagueiro artilheiro de cabeça desviar e marcar o terceiro, liquidando a partida. Foi só esperar o apito final do árbitro para a Arena Condá enlouquecer de vez.

Foi assim que escrevemos mais uma página na história da Chapecoense, muita luta, e união, fazendo aquele time que saiu da falência, que buscava um calendário para toda temporada, e que era desrespeitado pela imprensa Catarinense, chegar a uma semifinal da Copa Sul-Americana, aguardando o duelo desta quinta-feira entre San Lorenzo e Palestino, os argentinos levam vantagem pela vitória por 2x0 na Argentina.

Não existem palavras para descrever o amor que sinto pela Associação Chapecoense de Futebol, feliz de quem está vivendo para ver de perto e ter histórias para contar a seus filhos e netos, momentos históricos que estamos vivendo e ainda vamos viver. As lágrimas que escorrem pelo rosto de felicidade mostram que a Chapecoense não é só um clube como os outros, é uma família, é o verdadeiro ORGULHO DA REGIÃO!

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Ressacada, meu caldeirão


A torcida avaiana se mobiliza para que na próxima partida possa ser feita uma grande festa, com um lindo mosaico.




Chegou a hora nação avaiana, de mostrar que juntos podemos fazer a diferença. No jogo diante do Paraná é dia de fazer da Ressacada um caldeirão é dia de lotar. Dia de relembrar grandes jogos, como nos anos de 2008/2009/2010, quando os times que vinham enfrentar o Leão na Ressacada, sentiam suas pernas tremerem diante do time e torcida.

O time vem fazendo a parte dele com a melhor campanha entre os times no segundo turno, dos últimos 13 jogos disputados, ganhamos 10 partidas, empatamos outras 2 e perdemos somente para o líder Atlético GO. Já são 32 pontos ganhos de 39 disputados. Na terceira posição com 55 pontos, o Avaí precisa vencer, pelo menos, mais 3 ou 4 jogos para garantir o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. 

Em casa o Leão é o melhor mandante deste segundo turno com incríveis 85,5%. É hora de levar papagaio, cachorro, mãe, tio, tia, cunhado, amigos, amigo do amigo, é hora de transformar a Ressacada num mar azul e branco.

O mosaico será feito no setor do D do estádio, numa união de toda torcida avaiana. Juntos faremos um Avaí mais forte.

O monstro chamado Renan

Vasco e Avaí ficam no empate, com uma monstruosa noite do goleiro Renan.

Foto: Rudy Trindade
A noite desta quarta feira foi marcada pela grande atuação do goleiro Renan do Avaí, em jogo em que o time da Colina dominou praticamente o tempo todo, Renan foi fundamental para assegurar mais um ponto para a equipe de Santa Catarina. O goleiro fez grandes defesas nas cobranças de falta do meia Nenê.

O JOGO

Primeiro Tempo


O Vasco começou o jogo pressionando o Avaí. Pressionando o time da capital catarinense. Os 20 primeiros minutos foram de sufoco total da equipe vascaína, a chance mais clara foi aos 20 minutos na cobrança de escanteio de Andrezinho, Rafael Marques, cabeceou forte para a grande defesa do goleiro Renan. Aos 35 minutos Diego Jardel recebeu a bola de marquinhos e chutou cruzado para a defesa do Martin Silva. A partir deste lance o jogo ficou com forte marcação de ambas as equipes.


Segundo Tempo

O segundo tempo começou com as duas equipes errando muito, as melhores chances vieram dos pés do Nenê, mas, foi ai que entrou em cena o grande paredão Renan, praticando grandes defesas. Aos 32 minutos o volante Luan do Avaí, foi expulso de maneira errada e que não prejudicou o time da capital catarinense, graças as grandes defesas de Renan.

Foto: Globoesporte.com

Próximos Jogos

Avaí recebe a equipe do Paraná, no próximo dia 5 sábado, as 19:30 na Ressacada.

Ficha Técnica 

Vasco: Martín Silva; Madson, Rodrigo, Rafael Marques e Julio César (Alan Cardoso); Willian, Douglas Luiz, Andrezinho e Nenê; Éderson (Jorge Henrique), e Júnior Dutra (Thalles); Téc: Jorginho

Avaí: Renan; Luiz Gustavo, Betão, Fabio Sanchez e Capa; Luan, Judson (João Felipe), Diego Jardel e Marquinhos Santos (Caio César); Romulo e Willian (Lucas Coelho). Téc: Claudinei de Oliveira.

Cartões 

Vasco: Douglas Luiz (A), Nenê(A)

Avaí: Luiz Gustavo(A), Judson(A), Luan(A) (V)


Arbitragem: Árbitro: Marcos Mateus Pereira – MS (CBF-1) Assistentes: Daiane Caroline Muniz dos Santos – MS (ASP-FIFA) e Sérgio Alexandre da Silva – MS (CBF-1)
Quarto Árbitro: Rudimar Goltara – ES (CBF-2)

Público
Público Pagante: 3.177 pessoas

Público presente: 3.512Renda: R$ 76.960,00 

Eliminação compreensível, mas sinal amarelo ligado

Em partida válida pelas oitavas de final da EFL Cup, o Tottenham visitou o Liverpool nesta terça-feira (25), em Anfield. Em condições normais, era de se esperar um grande jogo, mas as escalações mostraram o "desleixo" dos técnico com uma competição que realmente não é tão importante para ambos.
Os Spurs somaram mais um jogo sem vencer e precisam reagir rápido (Action Images via Reuters)
Com vários poupados, era a oportunidade de acompanhar aqueles que não vem atuando com frequência, sobretudo os que podem dar frutos em um futuro próximo. Entretanto, pelo menos quatro jogadores que já atuaram entre os titulares nesta temporada apareceram no onze inicial, que foi alinhado no 4-2-3-1  Vorm; Trippier, Carter-Vickers, Wimmer e Davies; Dier, Winks, Onomah, Carroll e Nkoudou; Janssen.

O JOGO

Os primeiros minutos foram de um jogo morno e sem nenhuma equipe impôr superioridade sobre a outra. Até que, aos 9 minutos, Nkoudou escorregou, Grujic recuperou a bola no campo de ataque e cruzou para Sturridge, que empurrou para as redes e inaugurou o marcador. 

No minuto seguinte ao gol, novamente Sturridge participou da jogada ofensiva e incomodou Vorm, que precisou fazer uma bela defesa de mão trocada. Aos 17', Origi puxou contra-ataque e deixou Sturridge em ótimas condições para aumentar a vantagem, mas o ataque inglês bateu fraco e Vorm segurou firme.


Janssen foi o responsável pela melhor chance dos Spurs na primeira etapa (Foto: Reuters)
O Tottenham demorou para se encontrar na partida e só conseguiu criar uma boa chance aos 32', quando Janssen aproveitou o cruzamento da direita e bateu cruzado, fazendo Mignolet trabalhar pela primeira vez. No fim da primeira etapa, a equipe londrina até conseguiu ter superioridade na posse de bola, mas não incomodou o goleiro belga e o primeiro tempo terminou mesmo 1 a 0.

Na volta do intervalo, o Tottenham voltou sem alterações e com a mesma postura, sendo pouco criativo na parte ofensiva. Do outro lado, Vorm provava que era o melhor da sua equipe na partida e salvou o time novamente em um chute de Origi, aos 14 minutos.

Entretanto, o goleiro holandês nada pôde fazer, quando a defesa deixou espaço e permitiu que Sturridge arrancasse com liberdade do meio campo. Após contra-ataque mortal, o atacante inglês finalizou bem a jogada, fazendo o seu segundo gol e o segundo do Liverpool.


Janssen descontou para os Spurs na cobrança de pênalti (Foto: Action Images via Reuters)
O comandante argentino promoveu duas alterações na segunda etapa: Lamela e Wanyama entraram nos lugares de Carroll e Dier, respectivamente. Mesmo com pouco tempo em campo, Lamela foi o responsável por trazer as esperanças dos Spurs de volta, cavando um pênalti. Na cobrança, Janssen converteu e colocou o time de volta na partida, aos 30 minutos.

Restando pouco mais de 15 minutos, era de se esperar que o time londrino pudesse pressionar o adversário, afim de pelo menos empatar e levar a decisão para a prorrogação. O placar de 2 a 1, contudo, permaneceu e o time teve que se contentar em voltar para casa com a eliminação na bagagem, aumentando o jejum de jogos sem vencer para quatro partidas.

Convenhamos que, a EFL Cup estava longe de ser uma das principais ambições do clube na temporada, mas o sinal amarelo deve ser ligado depois de um sequência ruim, para que possa brigar pelos seus reais objetivos na temporada. No próximo sábado (29), o Tottenham tentará se reabilitar no White Hart Lane, onde receberá o atual campeão inglês, o Leicester.


#COYS

Por: Marcelo Júnior

Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @PLBrasil_LF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana