A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Em dia de Halloween, Bony fez valer a lei do "Ex"

No retorno ao Britania Stadium, o Stoke City recebeu o time de Swansea na segunda feira passada (31). Em pleno dia de Helloween, o jogo foi válido pela 10º rodada da Premier League. O elenco dos Potters parece que finalmente entendeu que atualmente estão fazendo um campeonato a parte, jogo a jogo o time ao todo vem mostrando evolução, mas uma peça parecia que não se encaixava ali. Wilfriend Bony que ainda não havia marcado no ano de 2016, fez valer a ex do "EX" e encerrou o jejum dando a vitória ao time da casa.

Torcedor comemorando o Halloween (Foto:TheSun)
Depois de um começo de temporada turbulento, com muitas decepções, derrotas e goleadas, devemos reconhecer o trabalho de Mark Hulghs. O manager galês conseguiu achar a formação ideal para o time, distribuiu muito bem as peças defensivamente e ofensivamente. Fez valer o seu insistente 4-5-1, porém o seu contemporâneo, Joe Allen também tem feito a diferença, o barbudo tem vivido a sua melhor fase, com gols e inúmeras assistências.

DISTRIBUIÇÃO TÁTICA

Stoke City v Swansea City
(Foto:theguardian)
O Stoke City fez valer o fator casa e começou o jogo muito bem, pressionando a saída de bola adversária e forçando logo um erro gritante bem no começo do jogo que concedeu o primeiro escanteio. Aos 2 minutos, Shaqiri cobrou escanteio pelo lado direito do campo em direção à área, a zaga do Swansea acabou rebatendo a bola para o alto, Allen aproveitou a sobra e chutou cruzado de primeira em direção ao gol, Wilfriend Bony esticou o pé na trajetória da bola e empurrou a pelota para dentro das redes abrindo o placar no Britania Stadium.
                              
Bony abrindo o placar (Foto:Themirror)
Aos 7 minutos veio à resposta do time visitante, em uma jogada que Sigurdsson recebeu na entrada da área, adiantou um pouco a jogada e cruzou em direção ao gol, Bardsley não conseguiu acompanhar o atacante Routledge que subiu e testou a bola em direção ao gol de Grant, que nada pode fazer. Empatando a partida em 1x1.

Routledge empantando a partida (Foto:Theguardian)
Aos 22 minutos, Arnautovic recebeu uma bola pelo alto na lateral do campo, dominou e tocou para trás, Charlie Adam chutou de primeira em direção ao gol, mas acertou a trave.

Ainda no primeiro tempo, aos 28 minutos Mark Hulghs teve uma enorme dor de cabeça, Shaqiri que levou uma pancada forte bem no começo do jogo, acabou reclamando e pediu para sair, Ramadan Sobhi foi o escolhido para completar a trinca dos três meias atacantes.

O time da casa continuou atacando, os jogadores pareciam querer a vitória de qualquer jeito e disputaram todos os espaços pelo campo.

Aos 33 minutos, Ramadan teve a sua primeira participação no jogo, o jovem cruzou pelo alto uma bola para Wilfriend Bony que dominou mal, a zaga do Swanse se atrapalhou em seguida e a bola sobrou para Charlie Adam que bateu de chapa na bola em direção ao gol, mas novamente acertou a trave.

Adam lamentando a chance perdida (Foto:Espn)
Aos 37 minutos em um contra ataque para os Potters, Joe Allen recebeu uma bola no meio de campo e deu continuidade ao lance, em uma bela jogada tocou para dentro da área e achou Arnautovic livre, o austríaco camisa 10 driblou o goleiro, mas o chute saiu errado e a bola acabou parando na trave.

Mark Hulghs não acreditou em mais um gol perdido pelos seus jogadores e ficou desolado na área técnica esperando o fim do primeiro tempo.

O segundo tempo começou sem nenhuma alteração de ambos os lados, mas pelo jeito que Stoke voltou para o jogo, parece que Hulghs cobrou mais objetividade nas finalizações.

Aos 55 minutos, Ramadan que participou de poucas jogadas no primeiro tempo, recebeu uma bola pela lateral do campo, o jovem que é considerado uma revelação para muitos encarou dois defensores, puxou bola para a sua canhota e chutou cruzado em direção ao gol, o jovem zagueiro do Swansea, Alfie Maws se precipitou na jogada e chutou errado em direção ao próprio gol, ampliando o placar para os adversários.

Infelicidade do zagueiro Alfie Maws (Foto:Theguardian) 
Logo depois de sofrer o gol, o técnico Bob Bradley buscou manter o equilíbrio no ataque, trocou um atacante por outro, Saiu Barrow e entrou Borja Baston. Diante das alterações, o time que buscou mais o ataque foi o Stoke City, sempre tentando ganhar a segunda bola.

Aos 72 minutos, Arnautovic recebeu uma bola no campo de ataque e a triangulação do Stoke funcionou muito bem, o austríaco fez uma bela finta e depois tocou de letra em direção a Allen que no primeiro momento chutou em direção ao gol, mas Fabiansk defendeu, a bola voltou com Allen que na segunda jogada tocou pelo alto para Wilfriend Bony que tocou de cabeça para dentro do gol e ampliou o placar, 3x1 para os Potters.  Vale destacar que na comemoração, Bony agradeceu a torcida pelo apoio, mas não parou de apontar para o garçom do jogo, Joe Allen, que deu a sua segunda assistência na partida para Bony.

Bony ampliando o placar (Foto: Theguardian)
A partida tomou contornos tranquilos para o árbitro Michel Oliver que não teve nenhuma dor de cabeça durante o jogo até aos 81 minutos.

Em uma jogada de ataque para o Swansea na lateral do campo, Routledge foi derrubado na linha da área, em primeiro momento o Michel Oliver marcou pênalti, mas o auxiliar o avisou que a falta foi fora da área. O que gerou uma grande discussão no jogo, o time visitante já desestabilizado e ainda prejudicado pela arbitragem nada pode fazer.

Aos 91 minutos, o Swansea conseguiu levar perigo ao gol de Grant, um escanteio a favor dos visitantes, Sigurdsson cruzou a bola em direção à área, Leroy Fer subiu mais do que a defesa e cabeceou em direção ao gol, mas a bola passou perto e Grant apenas acompanhou.

Sobre a lesão de Shaqiri, o departamento está fazendo de tudo para poder contar com o dinamarquês para o próximo jogo, infelizmente as lesões tem sido uma rotina na vida do camisa 22, mas todos estão otimistas e esperando resultados positivos.

Bony autor de 2 gols no jogo. (Foto:TheSun)
Com o resultado positivo o Stoke City chegou aos 12 pontos e assumiu a 12ª colocação, se distanciando cada vez mais do Z3, Os Potters estão há cinco jogos sem perder, com três vitórias consecutivas.

Na próxima rodada, o Stoke City irá viajar até Londres para enfrentar o West Ham, que não vive uma boa fase na Premier League, será a primeira vez que o Stoke irá jogar no estádio novo de Londres e o pensamento é de fazer história e sair de lá com mais uma vitória.

COME ON POTTERS!

Por: Yuri Ramos || Twitter: @yuriramosq

Paysandu sofre, mas volta com um ponto do Paraná

Na noite desta terça-feira (1), o Paysandu esteve no Estádio do Café para enfrentar o Londrina, que buscava entrar no G4. O time paraense, já sem ambições no campeonato, quase sem chances de rebaixamento, resolveu entrar com time misto, buscando testar atletas que não tiveram muitas chances e poupar outros já assegurados.

O jogo teve um início morno e chance real de gol só saiu aos 19', quando Raí chutou forte de longe e Marcelo Rangel fez a defesa em dois tempos. A resposta do Londrina foi imediata, trinta segundos após o lance, Anderson passou por João Lucas e bateu da meia lua, a bola acabou batendo na rede pelo lado de fora.

A grande chance do primeiro tempo foi aos 32', quando Filipe Soutto lançou, Pablo falhou e a bola sobrou para Itamar, que avançou e tocou para Zé Rafael, que acabou demorando muito para concluir a jogada e perdeu a bola. O time paranaense pressionava em busca do resultado, porém não conseguia êxito na finalização.

(Foto: Divulgação)
No segundo tempo, a pressão londrinense continuou. Aos 4', João Lucas cortou errado para frente da área e Zé Rafael soltou uma bomba de primeira, entretanto, Emerson atento ao lance, fez uma grande defesa. Logo depois, Zé Rafael apareceu novamente, desta vez alçando a bola na área para Itamar cabecear, o gol acabou sendo invalidado pelo assistente.

O alviazul teve sua primeira oportunidade na segunda etapa apenas aos 24', com João Lucas, que dividiu com Germano e bateu colocado de direita, mas a bola acabou passando por cima do gol de Marcelo Rangel. No final da partida, Jô (ex-Paysandu) chegou chutando, após uma tabela entre Lucas Ramon e Safira, e viu a chance da vitória Paranaense acabar no travessão.

Palavra da colunista: Dado Cavalcanti resolveu testar jogadores que não vinham sendo utilizados, já que o Paysandu não briga mais por nada e está praticamente seguro na Série B 2017. Como o mesmo fez questão de dizer, faltaram coisas. Uma delas foi a posse de bola, e a qualidade no passe, faltou também agressividade, o que se esperava de atletas que estão tentando manter seu contrato.

Dortmund vence com placar econômico e se classifica

No confronto de número setenta entre alemães e portugueses na Alemanha, Borussia Dortmund recebeu o Sporting. Os alemães com clara vantagem de 49 vitórias e apenas sete derrotas, hoje não foi diferente.

Foto: Twitter BVB
1-0
Ramos

Dortmund entrou em campo com: Bürki; Ginter, Sokratis, Bartra, Guerreiro; Weigl, Castro, Götze, Pulisic, Dembélé; Ramos.

Sporting entrou em campo com: R. Patrício; P. Oliveira, Coates, Semedo, Marvin; Willian, Bruno César, Gelson, Schelotto; Castaignos, Byran Ruiz.

Foto: Getty Images

Logo aos 12' minutos, Ginter recebeu pela direita e efetuou um cruzamento na medida na cabeça de Adrián Ramos. O atacante que substituiu Aubameyang na noite de hoje, cabeceou no canto esquerdo do goleiro e viu a bola entrar sem dificuldades. Dortmund 1 a 0 Sporting.

Os lusos chegavam pelo lado direito sempre com Gelson. O jovem português atacava o Dortmund com habilidade, sempre utilizando seu poder individual que preocupava Bürki. Já os auri-negros, chegaram com Pulisic aos 33' após tabela com Götze, o americano acertou o travessão, quase marcando o segundo gol dos alemães na partida.

No último lance do primeiro tempo, Guerreiro recebeu dentro da área, levou a bola, mas finalizou para fora. Perdendo uma grande oportunidade de marcar gol em cima de um clube português, no qual é rival do seu time de coração.

Segundo tempo

O Dortmund começou o segundo tempo com uma alteração no ataque. Schürrle entrou no lugar de Dembélé que estava atuando na ponta esquerda no ataque auri-negro. O Sporting também mudou. Saiu Castaignos, e entrou Dost. Aos 12' Bruno César saiu para Adrien Silva entrar em seu lugar na equipe do Sporting. Após vinte minutos jogados no segundo tempo, o Dortmund fez suas duas últimas alterações. Saiu Castro e Götze, e entrou Piszczek e Rode aos 24'.

Foto: Twitter BVB
Depois de erro na saída de bola do Dortmund, Adrien Silva ficou com a bola e finalizou por cima do travessão aos 25'. Os auri-negros controlavam a posse de bola, mesmo com a equipe portuguesa tentando empatar a partida. Aos 30' Schürrle cobrou falta com precisão, e Rui Patrício teve de ir no canto para defender o que seria o segundo gol da equipe alemã.

Os leões portugueses de tanto tentar, quase conseguiram empatar a partida aos 32'. Schelotto lançou na área, e Bryan Ruiz quase empatou a partida em cabeceio que passou com perigo por cima do gol. Foi a última participação do jogador na partida, que saiu no minuto seguinte para a entrada de Markovic.

As defesas começaram a acertar no fim da partida. Afastando tudo que podia, e mantendo o resultado do jogo até o final. Com o resultado de 1 a 0, o Dortmund se classificou de forma antecipada com 10 pontos. Agora terá mais duas partidas, onde decidirá se terminará a fase como líder do grupo ou não.

Após ano de conquistas no ABC, zagueiro Gustavo Bastos projeta 2017

A temporada de 2016 foi de muitas comemorações para o experiente jogador Gustavo Bastos. No elenco do ABC desde o início do ano, o zagueiro conquistou o título do Campeonato Potiguar, vencendo o América de Natal na grande final e também conquistou o acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro. Com sensação de dever cumprido, Bastos considera o ano muito produtivo.

- O ano foi maravilhoso, não tenho nada que reclamar, começamos com muita dificuldade, mas aos poucos, as coisas foram se ajeitando. Conquistamos o Estadual no primeiro semestre depois de cinco anos de jejum do clube, conquistamos o acesso pra Série B do Brasileiro no segundo semestre, competição difícil, mas tudo que planejamos no início do ano conseguimos conquistar, avalia o zagueiro.

Gustavo Bastos, que tinha contrato com a equipe alvinegra até o final desta temporada, pretende aproveitar o período de férias para renovar as energias.

- Agora é momento de descansar, curtir a família e amigos, "esquecer" por um instante dessa correria toda de jogos e concentrações, tudo que envolve nosso trabalho do dia a dia. Mas eu tenho certeza que logo já bate a saudade de voltar a trabalhar, conta.

Para o próximo ano, o atleta pretende buscar novos desafios e colher os frutos do trabalho feito ao logo da carreira.

- Meu vínculo com o ABC acabou e é momento de procurar novos caminhos. Conquistei meu espaço no Mais Querido, com título, acesso, passe para gol do acesso, enfim, momentos marcantes que levarei sempre comigo. Essa parte de novos contratos o meu empresário já está cuidando disso, sei que venho de trabalhos bons e algo muito bom vai acontecer, tenho trabalhado e conquistado muitas coisas ultimamente, momento bom na minha carreira que quero aproveitar ao máximo. Sei que 2017 será tão bom quanto 2015 e 2016, finaliza Bastos.

Gustavo Bastos com a esposa Joice e o filho Emanuel - Arquivo Pessoal

Suor, luta e Benfica

Salvio comemora seu gol, com seus companheiros, os benfiquistas no estádio e de todo o mundo (Foto: Global Images/Pedro Rocha) 
Numa noite com pouco brilhantismo, houve espírito de sacrifício, jogo coletivo e eficácia. Salvio marcou o único gol da partida de pênalti no primeiro tempo e Ederson evitou um gol de pênalti dos ucranianos na segunda etapa. Com o triunfo, o Benfica chegou à liderança no Grupo B empatado com o Napoli, com sete pontos e é o sétimo clube a chegar a centésima vitória na  Uefa Champions League. Caso consiga um triunfo contra o Besiktas, na Turquia na próxima rodada, o Benfica estará classificado para as oitavas, de forma antecipada.

O JOGO

A partida de ontem foi jogada de forma bastante intensa pelas duas equipes e exigiu uma intensa concentração dos encarnados perante o forte bloqueio defensivo organizado pelos ucranianos, o que fez com que o jogo ganhasse dificuldade para os lados do Benfica, que para chegar ao gol teve de jogar de forma "lenta" sem toques rápidos no ataque como é costumeiro ver nas Águias. O Dynamo procurava evitar deixar espaço para o Benfica, principalmente no meio campo. Mais do que nunca a paciência era necessária na equipe de Rui Vitória.

O goleiro ucraniano Rudko ia bem no jogo, evitou aos 22 minutos que Grimaldo abrisse o marcador, lance que marcou uma fase de intenso domínio benfiquista, onde logo em sequência foi interrompido por um lance de contragolpe que Lindelöf, depois de se complicar, acabou por resolver tudo. Rui Vitória já imaginava o que fazer para o jogo fluir da melhor maneira na etapa final, quando Luisão foi agarrado por Vida na área. Pênalti indiscutível que Salvio se encarregou de transformar no triunfo: 1 a 0.

ALARME FEJSA E EDERSON SALVA

O Benfica conseguiu na segunda etapa pressionar a saída de bola do Dynamo, o que fez com que o time ucraniano tivesse dificuldade para a construção de jogo e afastava a bola da área de qualquer jeito, porém os encarnados estavam numa noite sem precisão e critério. Principalmente Mitroglou que perdeu claras chances de ampliar a vantagem e tranquilizar o jogo, Gonçalo Guedes ainda teve uma oportunidade que explodiu no travessão.

Na segunda etapa, os ucranianos sentiam mais dificuldades para agredir o Benfica, pois a raça, determinação que o Benfica defendia na noite de ontem eram alguma coisa de espetacular, o Dynamo rondava a área encarnada, mas não possuíam segurança no passe. Fejsa facilmente recuperava a bola em quase todas as ocasiões, e foi nessa que o sérvio tomou uma entrada criminosa de Rybalka, que fez todo o estádio ficar em silêncio por segundos, e ver o camisa 5 sair de campo para a entrada de Samaris. A lesão deve fazer o sérvio ficar de fora do clássico contra o FC Porto.

Depois da saída por lesão de Fejsa, o sofrimento benfiquista não acabou, depois disso Ederson derrubou Derlis González num lance totalmente inofensivo para o Benfica, mas Ederson iria se redimir e assim foi Moraes para a marca da cal no minuto 68. O empate do Dynamo colocaria tudo a perder, além do triunfo, a classificação, TUDO. Moraes contra Ederson, e Eeeeeeeederson saltou ao canto direito e faz a defesa. O goleiro brasileiro salvou a vitória benfiquista. Seguimos vivos, líderes (das duas competições) e só dependemos de uma vitória na próxima ronda para estarmos apurados para a próxima fase da Champions.

E como diz Rui Vitória "fica clara a grandeza do Benfica e a sua história".

Mas agora, o foco é domingo. Vamos ao Dragão, vamos ao clássico, vamos à vitória. Carrega Benfica!

Hoje não, hoje não, hoje sim!

(Foto: Reuters)
Depois do 6 a 0 na Inglaterra há duas semanas atrás, todos imaginavam que o Arsenal conseguiria mais uma vitória – não na mesma medida – contra o Ludogorets, mesmo o jogo sendo na Bulgária. Uma simples vitória classificaria o Arsenal para a próxima fase. Além disso, o time contava com a volta de Ramsey e Giroud ao time titular após lesões e do lateral Jenkinson após alguns períodos de empréstimos. Tudo estava ao nosso favor.

Estava. Parece que seria mais um daqueles jogos em que o Arsenal iria "arsenar" e deixar escapar uma chance clara e fácil de vitória. O time búlgaro em 15 minutos já tinha feito 2 a 0 com Cafu (aquele mesmo que jogou no São Paulo e na Ponte Preta) marcando um gol e depois chamando Gibbs para dançar, antes de cruzar para Keseru aumentar.

Nesse momento, um filme passava pela cabeça do torcedor... Parecia que estávamos vivendo novamente o jogo contra o Dínamo Zagreb na temporada passada, quando a partida terminou 2 a 1 para os croatas; Parecia que novamente iríamos desapontar os torcedores quando a expectativa era grande e o jogo era "fácil".

Entretanto, os jogadores mostraram uma reação e provaram que estão dispostos a sair desse paradigma de que o Arsenal é um time que morre na hora H; o time que joga bonito, mas que não consegue os resultados; e que querem fixar essa ideia que podem, sim, chegar mais longe do que às oitavas. E essa é uma característica que eu, particularmente, não sentia no time há algum tempo.

O jogo era contra um adversário limitado? Sim, era. Mas isso já havia acontecido em outras temporadas e a equipe não conseguira buscar o resultado. A reação começou com Xhaka, que aproveitou o cruzamento de Özil, aos 21 minutos. Após o gol, o Arsenal aumentou o poderio ofensivo, mas não conseguia uma chance de clara de gol – muito por que Alexis estava encurralado na forte marcação.

Giroud voltou. O atacante marcou três gols nos últimos dois jogos. (Foto: Reuters)
Mesmo assim, conseguimos sair do primeiro tempo com o placar empatado. Graças a Giroud, que fez o gol após um cruzamento de Ramsey, que parece que o colocou com sua mão de tão preciso que foi. É bom ter o galês de volta. A expectativa em torno dele é grande, ainda mais pela grande Eurocopa que fez. Mas o melhor estava por vir.

Mesmo com a reação, o time ainda estava com esse fantasma do "arsenar novamente" na cabeça. Em raras falhas da dupla Kostafi, Wanderson – o melhor jogador do time búlgaro – teve duas chances de desempatar a partida, mas parou em Ospina, que mais uma vez mostrou que pode sim ser útil e fez outro bom jogo. Mas calma, isso ainda não é o melhor.

O mágico de Öz ofereceu 15 segundos de pura magia a quem assistiu ao jogo. (Foto: Reuters)
Já no final da partida, Elneny conseguiu recuperar a bola e deu um lindo passe para Özil, que cortou toda a defesa búlgara e resultou no alemão sozinho contra o goleiro. Em um ato de classe e mágica, nosso maestro deu um chapéu no goleiro Borjan, fingiu que ia chutar para deixar os dois defensores do Ludogorets no chão, para então completar para o gol vazio.

Foram 15 segundos de pura mágica na Ludogorets Arena, que serviram para mostrar que Özil deve renovar sob qualquer custo e que nessa temporada por mais que essa fantasma do fracasso possa nos perseguir novamente, lutaremos para que ele seja aniquilado. Tentamos falhar hoje, assim como nos outros anos, mas dessa vez foi diferente. Os jogadores querem que provar que hoje, sim, vão brigar por glórias que o torcedor não vê há um longo tempo.

A situação no grupo não é complicada. A classificação para a próxima fase já está matematicamente garantida e dependemos apenas de nós para terminar em primeiro do grupo. Basta vencer o PSG (adversário da próxima rodada) no Emirates, que teremos o topo de nossa chave na competição.

Twitter: @PLBrasil_LF / @sergiostn

Gundogan brilha e City derrota Barcelona em noite histórica

Foto geradora de memes (Mirror Uk)
City vence e convence pra cima do Barça.

Muito se falou após a goleada sofrida pelo City contra o Barça a duas semanas atrás. “Guardiola não é isso tudo”, “Pep é engenheiro de obra pronta” e outras. Acredito que isso não tenha afetado muito o treinador catalão, que demonstrou serenidade mesmo depois de ficar mais de um mês sem vitorias, fato inédito até então em sua carreira. Sábado contra o West Brom o time mostrou força novamente e reanimou – se para o duelo contra o Barcelona do temível trio MSN.

Chegava o grande dia. As duas equipes tinham desfalques, City sem Bravo e Barça sentindo falta dos preciosos Piqué, Alba e Iniesta. Inicio de partida e o jogo começou com a característica marcação – pressão Guardiola, City com as linhas avançadas dificultando a saída de bola do time de Luís Henrique. A parte defensiva não ajudava, porém não se pode vacilar com um time que tem Messi, Suarez e Neymar. Após escanteio para o City, a bola rebateu e sobrou para Lionel Messi ainda no campo de defesa, aí já viu né... O argentino carregou e lançou o menino Neymar, que levou pela esquerda até avistar Messi infiltrando pelo meio, o brasileiro deixou Lionel na cara do gol, o ET usou de sua calmaria de sempre e guardou. 1 x 0 Barça.

City sentiu o golpe. Após o gol, sofreu ainda mais, e quase o Barça ampliou o placar, Caballero e Otamendi salvaram o City do pior. Na da partida em que o City passava por seu pior momento veio a bonança. Sergi Roberto saiu jogando errado e passou pra Agüero, o argentino tocou pra Sterling, o inglês viu a passagem de Gundogan e assistiu deixando o alemão na cara do gol, o meia só teve o trabalho de escorar e empatar o jogo. Tínhamos um jogo.

Apagado na 1ª etapa, o belga foi protagonista na segunda (MirrorUk)
Segunda etapa. Dali pra frente tudo foi diferente. City mostrou tudo que tinha e DOMINOU O BARCELONA, precisava enfatizar essa parte, pois criamos tantas chances que podíamos ter ganhado de 4, 5. A marcação pressão funcionou mais do que nunca, imagino o orgulho de Pep Guardiola ao derrotar sua criatura com seu veneno, mas dessa vez, City deixou o Barça com a bola. O time de Manchester teve “apenas” 35% de posse de bola, suficientes para encaixotar o Barcelona e dar pouquíssimas chances ao trio MSN.

O setor ofensivo do City funcionou muito bem na segunda parte do jogo. De Bruyne deixou tudo pro segundo tempo. O belga infernizou a defesa blaugrana. E foi de seu pé direito que saiu a virada Citizen. Em bela cobrança de falta, Bruyne bateu no canto do goleiro e enganou Ter Stegen que acabou aceitando: 2 a 1 City. Após o gol, City ainda perdeu inúmeras chances de fazer o 3º e por tanto perder, quase tomou. Em contra-ataque, Suarez fez uma daquelas suas jogadas típicas e canetou Otamendi e deixou pra André Gomes só escorar para o gol. Só que os deuses do futebol fizeram o bem e colocaram aquela bola na trave.

(MirrorUk) atuação de gala na segunda etapa.
Navas entrou, eu sei, você reclamou na hora não é? Eu também, mas para o jogo de ontem era uma boa pra ele, jogar atrás de Digne era uma ótima. Foi por ali que City matou a partida e o Barça. Aos 28’ da segunda etapa, após mais uma roubada de bola na saída de bola do Barça, o Diabo ruivo deu passe magistral em profundidade para Jesus Navas que fez a única jogada que sabe e chutou/cruzou pro meio da área achando Agüero que se jogou pra marcar, mas a pelota bateu em seu quadril e graças a Jesus (não o NAVAS) sobrou limpa pra Gundogan marcar mais um e fechar o caixão catalão.

Fim de papo. Partida pra ficar na história do City e provavelmente de Guardiola, que pela primeira vez venceu o Barcelona. Venceu de forma categórica ainda. Dominando toda segunda etapa, utilizando muito do contra-ataque, algo que não é de seu feitio. Que continuemos assim. GO CITY!

Roma empata e perde a chance de colar na Juventus

Após vencer o Sassuolo fora de casa por 3 a 1, a Roma voltou a jogar longe de seus domínios, mas não conseguiu sair de um 0 a 0 sem graça contra o Empoli.

Apesar de ter dominado a partida, o time da capital não conseguiu fazer o gol da vitória. Foram 23 finalizações da Roma contra apenas oito do Empoli. No quesito posse de bola o domínio também foi amplo: 65% contra 35%. Mas esses números não serviram para muita coisa.

foto: asroma.com
Os dez minutos finais foram mais emocionantes do que o resto da partida. Os veteranos Massimo Maccarone e Manuel Pasqual criaram boas chances para o Empoli. Pelo lado da Roma, Stephan El Shaarawy e Edin Dzeko quase conseguiram balançar as redes.

Mas no final das contas cada time levou um ponto para casa. O Empoli agora tem sete pontos e ocupa a décima oitava posição, a primeira da zona de rebaixamento.

Já a Roma chegou aos 23 pontos e continua na segunda posição, mas viu a líder Juventus ampliar a vantagem para quatro pontos, já que os atuais campeões italianos venceram o Napoli por 2 a 1 e alcançaram os 27 pontos.

Na próxima rodada a Roma recebe Bologna em casa. Já o Empoli visita o Pescara. Ambos os jogos acontecem no domingo, dia 5.

Confira a tabela da Serie A Calcio após onze jogos:

1- Juventus 27
2- Roma 23
3- Milan 22
4- Lazio 21
5- Napoli 20
6- Atalanta 19
7- Torino 16
8- Fiorentina 16
9- Cagliari 16
10- Genoa 15
11- Chievo 15
12- Sampdoria 14
13- Internazionale 14
14- Udinese 14
15- Bologna 13
16- Sassuolo 13
17- Pescara 7
18- Empoli 7
19- Palermo 6
20- Crotone 5

Arthur Godioso - twitter: @arthurgodioso

Luverdense vence Criciúma e mantém vivo o sonho do acesso

O acesso ainda pode parecer improvável, mas manteve uma luz acesa na última noite de terça-feira para o Luverdense. A vitória sobre o Criciúma por 2x1 praticamente colocou o rival de férias e aproximou o Verdão o Norte do G4: São quatro pontos para o Náutico, quarto colocado.

É verdade que precisa contar com a ajuda dos seus concorrentes já que essa vantagem pode ampliar para sete pontos. É verdade também que para continuar sonhando com o acesso, o Luverdense precisará fazer o que menos fez até aqui: vencer fora de casa. Mas a possibilidade existe, e Junior Rocha usa dela para motivar seus jogadores.

Jean Patrick prepara o chute que resultou no primeiro gol do jogo. (Foto: Globo Esporte)
Foi assim que o Verdão mostrou mais uma vez sua força dentro do Passo das Emas e emendou mais uma vitória (a sétima seguida) dentro de casa. Melhor na maior parte do primeiro tempo, o Luver abriu o placar com Jean Patrick, pegando de primeira um cruzamento da direita e marcando um bonito gol.

Até poderia ter sido mais. O goleiro Luiz salvou o Criciúma em algumas situações e impediu um placar mais elástico. As chances perdidas custaram caro e os catarinenses empataram praticamente na primeira chance do segundo tempo. Aos seis minutos, Bruno Baio tirou de Diogo Silva e empatou.

Com o empate não servindo a nenhum dos times, o jogo ficou aberto. Diogo e Luiz voltaram a aparecer com duas defesas sensacionais e impediram que o placar se movimentasse. Com um panorama aberto, era pouco provável que o jogo ficasse sem gols e quem se aproveitou disso foi o Verdão do Norte que, com um bom contra-ataque, chegou ao segundo gol com Raphael Macena e conquistou os três pontos.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana