A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Uma vitória com estatísticas da Globo

Finalmente voltamos a vencer na Premier League! Diante do Swansea, que é um adversário que vem nos dando muito trabalho nas últimas temporadas, o importante foram os três pontos na tabela. Mais que uma boa apresentação futebolística, estávamos precisando vencer, por isso veio numa boa hora essa vitória. 

100 assistências de Rooney na PL e 400 gols em clubes de Ibra (Manchester Evening News)
O resultado veio com alguns números interessantes: tivemos a assistência número 100 do nosso capitão Rooney; o gol de número 400 em clubes do Ibra; e também ficou com o Manchester a honra de ser o dono do gol número 25000 da Premier League. No final, tivemos um bom resultado, boas atuações, gol de Pogba, que por sinal jogou bem e vem jogando bem, e Ibra desencantou e marcou logo dois.

De ponto negativo, eu destaco Luke Shaw e Smalling, ambos disseram a Mourinho que não estavam em condições de jogo, pois não estavam 100%. Isso forçou o treinador a jogar com a defesa muito improvisada. De positivo, Bailly se dispôs a ficar no banco e entrar se necessário, mesmo machucado. 

A atitude me fez parar para pensar: qual é o atleta de alto rendimento que consegue jogar com 100% de sua capacidade? Arrisco a dizer que, é impossível, nenhum atleta de alto rendimento joga 100%, quando está muito bem acredito que esteja na casa dos 80%. Sinal de alerta para esses dois, vou ficar de olho e com uma pulga atrás da orelha, enquanto Bailly ganhou pontos comigo.
Golaço de Pobboom! (Manchester Evening News)
Na última quinta-feira, jogamos na Turquia, pela UEFA Europa League, e sinceramente não sei para que participar dessa forma. Sei que os ingleses dão prioridade à Premier League e FA Cup, só que mais do que falta de vontade, parecia que estavam sendo obrigados a entrar em campo. Pense numa raiva que passei assistindo esse jogo, coisa que vem se repetindo com exceção do jogo em Old Trafford contra o Fenerbach, mas a motivação para a Liga Europa está passando bem longe do elenco do Manchester. Apesar de tudo, perdemos o jogo é verdade, mas poderíamos ter saído com um resultado melhor, até criamos as chances, mas não conseguimos converter em gols.

Vamos ter a parada para a data FIFA, ultimamente essa parada não está sendo boa para gente. Na volta, pegamos o Arsenal. Jogo duro, vamos ver o que essa volta da data FIFA nos traz dessa vez.
Parabéns De Gea, 26 anos de muitas defesas espetaculares! (Getty Images)
Com muita felicidade a coluna sai hoje exatamente no dia do aniversário do nosso paredão. Parabéns De Gea, o espanhol está completando 26 anos e já é um dos melhores do mundo, na sua sala de troféus tem: 1 Liga Europa, 1 Super Copa da UEFA, 1 Premier League, 1 FA Cup e 3 Super Copa da Inglaterra, pela seleção: 1 Eurocopa sub17 e 2 Eurocopa sub21, nos prêmios individuais tem: melhor goleiro sub21 2011, Goleiro da Premier em 12/13, 14/15 e 15/16, Goleiro da Liga Europa em 15/16 e é tri campeão do prêmio Sir Matt Busby em 13/14, 14/15 e 15/16. Nosso paredão sempre nos dá muito orgulho!

Até a próxima e GGMU!

Everton Silva acredita na permanência do Joinville na Série B: “Essa vitória, de virada, nos deu novo ânimo”



O Tricolor do Norte entrou em campo no último sábado (05), contra a equipe do Sampaio Corrêa, no Castelão, sabendo que não teria um jogo fácil. Na zona de rebaixamento da competição, as duas equipes precisavam da vitória para continuar com esperança de permanecer na Série B. Para Everton Silva, a vitória por 2 a 1 valeu muito mais que três pontos.

- Sabíamos da dificuldade que teríamos nesse jogo. O Sampaio Corrêa também precisava da vitória e eles tinham a torcida a favor. Saímos atrás no placar e com muita luta conseguimos a virada. Esse jogo nos deu um novo gás e tenho certeza que vamos conseguir a permanência, avalia o atleta.

Na partida válida pela 34ª rodada da competição, os donos da casa abriram o placar ainda no 1° tempo. Com as mudanças do técnico Ramon Menezes na segunda etapa, o Joinville passou a impor mais pressão e virou o placar com gols aos 40 e 41 minutos do segundo tempo.

- Temos um grupo forte e com muita vontade. E claro, quem fica no banco de reservas, fica louco para entrar e ajudar a equipe. Nessa partida, tivemos a oportunidade de entrar e mostrar o trabalho que é feito ao longo dos treinos e graças a Deus continuamos na briga pela permanência, conta Everton Silva.

O Joinville volta aos gramados nesta terça-feira (08), às 21h30, na Arena Joinville, diante do Bragantino, adversário direto na luta contra o rebaixamento.

- Vai ser outro jogo difícil, mas contamos com o apoio do nosso torcedor e a nossa garra. Com uma vitória nessa partida, e dependendo do resultado do jogo entre Oeste e Avaí, nós podemos sair do Z4, e é isso que vamos buscar, finaliza. 

Foto: João Lucas Cardoso / JEC

Kempes volta brilhar e afunda Figueirense

Depois de empatar com o San Lorenzo jogando no Nuevo Gasómetro por 1x1, na partida de ida da semifinal da Copa Sul-Americana, o Verdão voltou a campo neste domingo (6), buscando ultrapassar a meta dos 45 pontos e garantir a permanência na Série A 2017. Do outro lado, um adversário bem conhecido, o Figueirense brigando contra o rebaixamento, tentava tirar forças do além para permanecer na elite do futebol Brasileiro.

Márcio Cunha/Mafalda Press/Gazeta Press
Em uma partida dura, os visitantes atacaram mais na primeira etapa, mas pecando nas finalizações e contando com mais uma grande atuação de Danilo. Mas a Chapecoense tinha o carrasco alvinegro, a estrela de Caio Júnior brilhou novamente, ao mandar Kempes a campo, o atacante no primeiro toque na bola aproveitou o bate, rebate e marcou o gol da vitória do Verdão por 1x0.

Com a sequência dura de jogos, Caio Júnior enfrentou problemas para escalar a Chape no duelo contra o Figueira, Gimenez, Biteco e Neto sentiram contusão e ficaram de fora do duelo, para piorar ainda no primeiro tempo, Gil deixou o gramado reclamando de dores, dando lugar para Hyoran.

No primeiro tempo quem partiu para cima foram os visitantes, precisando desesperadamente da vitória, Lins levou perigo aos 6 minutos, quando fez bela jogada, cortou para o centro e chutou forte, a bola bateu na rede pelo lado de fora. Aos 13 minutos foi a vez de Ferrugem perder outra grande oportunidade, Rafael Moura cruzou e a bola sobrou para o volante, que chutou forte, à direita de Danilo.

Aos 27 minutos um balde de água gelada para o Figueirense, Marquinhos Pedroso deu carrinho em Ananias, o árbitro marcou falta e mostrou o segundo amarelo para o lateral, que foi expulso da partida. A expulsão não mudou o panorama da partida, os Alvinegros quase abriram o placar se não fosse Danilo em duas oportunidades, primeiro na cabeçada de Rafael Moura e depois novamente com Ferrugem, que invadiu a área e chutou, o goleiro saiu bem e salvou o Verdão.

A Chapecoense respondeu apenas aos 45 minutos, quando Hyoran fez bela jogada na esquerda e cruzou para Tiaguinho, que disputou com Josa, chutando por cima da meta de Gatito Fernández, fechando em 0x0 a primeira etapa.

As equipes voltaram para o segundo tempo sem alterações, e assim como no primeiro, quem começou assustando foram os visitantes, aos 4 minutos Bady deu belo passe para Rafael Moura finalizar para grande defesa de Danilo. Hyoran respondeu em seguida, chutando de fora da área no travessão de Gatito.

Jogando com um a mais desde os 27 minutos da primeira etapa, Caio Júnior colocou a equipe para frente, Lucas Gomes entrou na vaga de Ananias, mas quem assustava era Hyoran, primeiro aos 21' quando dominou e chutou rasteiro para defesa de Gatito, dois minutos depois o meia chutou forte, mas lá estava o goleiro Alvinegro para salvar.

Foi então que a estrela de Caio Júnior brilhou, o treinador chamou Kempes, que ao lado de Rangel eram as esperanças de gol do Verdão, e na sua primeira participação aos 30 minutos, o centroavante não desperdiçou, Lucas Gomes finalizou, Gatito espalmou e a bola caiu no pé da trave, sobrando livre para Kempes, que estufou a rede e explodiu a Arena Condá.

O gol abalou o Figueirense que sem nenhum poder de reação acabou derrotado, e afundado ainda mais na zona de rebaixamento, ficando a seis pontos de sair do Z4. As equipes terão um tempo de descanso, já que com a data FIFA, só voltam aos gramados no dia 16, quando a Chapecoense viaja para enfrentar o Botafogo, às 19h30.

A vitória tem um gosto especial, já que depois de nove jogos sem vencer o Figueirense, o Verdão alem de chegar ao seu objetivo, pode afundar ainda mais os adversários rumo a Série B. A vitória não garantiu matematicamente na Série A 2017, mas só uma tragédia muito grande tiraria a Chape da elite do futebol brasileiro.


Marcelo Weber || @acfmarcelo

Vitória romana com hat-trick de Salah

A Roma entrou em campo neste domingo (06), em jogo válido pela décima segunda rodada do Campeonato Italiano. O adversário foi o Bologna, que briga na parte de baixo da tabela. Pressionada por saber que a líder Juventus já havia conquistado os três pontos mais cedo, ao bater o Chievo fora de casa por 2 a 1, a Roma entrou concentrada e não deu chances para os visitantes.


foto: Reuters

Logo aos 13 minutos de jogo, Diego Perotti cruzou da esquerda e o egípcio Mohamed Salah chutou, a bola desviou no zagueiro e entrou. 1 a 0.

Apesar da pressão da Roma, o Bologna até que criava algumas chances, mas o primeiro tempo acabou com apenas um gol.

Aos 17 minutos da segunda etapa, o holandês Kevin Strootman deu belo passe para Salah ampliar o placar na saída do goleiro Ângelo da Costa. 2 a 0.

E nove minutos depois, o camisa 9 Edin Dzeko chutou cruzado, o goleiro do Bologna espalmou e na sobra Salah completou. Hat-Trick do camisa 11, 3 a 0 para a Roma.

Com a vitória a Roma manteve a segunda posição no campeonato, não deixando a Juventus disparar.

Na próxima rodada os Giallorossi visitam a Atalanta, que venceu o Sassuolo fora de casa por 3 a 0 e faz ótima campanha no campeonato, ocupando a quinta colocação. Enquanto isso a Juventus recebe o Pescara. Já o Bologna enfrenta o Palermo no Renato Dall'ara.


Confira a tabela da Serie A Italiana após a décima segunda rodada:

1- Juventus 30
2- Roma 26
3- Milan 25
4- Lazio 22
5- Atalanta 22
6- Napoli 21
7- Torino 19
8- Fiorentina 17
9- Internazionale 17
10- Genoa 16
11- Cagliari 16
12- Chievo 15
13- Udinese 15
14- Sampdoria 15
15- Bologna 13
16- Sassuolo 13
17- Empoli 10
18- Pescara 7
19- Palermo 6
20- Crotone 5


Arthur Godioso Moreira Pinho - @arthurgodioso




Ceará vence o Tupi e assume a 8ª colocação

Em um jogo morno, Ceará vence o Tupi por 2 a 1 e ganha uma posição na tabela de classificação.
Atacante Lelê, mais uma vez marcou. FOTO: Thiago Gadelha 
No ultimo sábado, Ceará e Tupi se enfrentaram na Arena Castelão, enquanto o Ceará ainda sonha com o acesso, o galo carijó luta para sair da zona de rebaixamento. Logo no inicio da partida, o alvinegro cearense abriu o marcador, apos um chutaço de Felipe Menezes que carimbou o travessão, Bill pegou o rebote e marcou.

Depois do gol o Ceará continuava com mais posse de bola e cercava a área do adversário, porem sem objetividade. Com o jogo morno, o Tupi criou a sua principal e unica chance de perigo na primeira etapa, aos 36 minutos Jonathan chutou forte, mas Éverson evitou o que seria o empate do time mineiro. O susto serviu pra algo, logo em seguida aos 39, Eduardo cruzou e Lele se antecipou a Bill (estava em posição de impedimento) e a marcação e conferiu o segundo gol do Vozão.

Jogadores comemoram o segundo gol do Ceará. FOTO: GloboEsporte.com
Com a vantagem no placar, Sérgio Soares tirou Felipe (jogador durante a semana não havia treinado por conta de uma virose) e colocou Serginho no jogo. Foi dele a primeira oportunidade do Vozão no segundo tempo, em um rápido contra-ataque chutou e a bola por cima do gol. Aos 17, Rafael Costa que tinha acabado entrar na vaga de Bill perdeu outra boa chance, o camisa 9 do Ceará bateu forte, o goleiro bateu roupa e a bola passou tirando tinta da trave.

Após o gol perdido Rafael Costa recebeu um bom cruzamento de Eduardo, mas preferiu servir Serginho, que não foi tão rápido quanto o goleiro Rafael Santos que saiu bem da meta e evitou o terceiro gol alvinegro. Aos 29 minutos, mesmo sendo mais incisivo que o adversário o Ceará levou um gol, esse marcado por Hiroshi, que livre de marcação entrou na área e balançou as redes. Nos minutos finais o Tupi até tentou pressionar, mas a defesa cearense conseguiu segurar a pressão.

Não foi um primor de partida, bem longe disso, o Ceará fez um gol cedo e preferiu levar o jogo no ''banho -maria'', mas valeu pelos três pontos, chegamos aos 50 pontos na competição e ainda temos uma chance (mesmo que remota) de acesso. Para o treinador Sérgio Soares, o próximo jogo é vital, a vitória pode fazer o Vovô almejar algo que parece bem improvável e se perder é voltar os pensamentos para 2017.

Restam 4 partidas para o Ceará na série B, duas em casa (Vila Nova e Paraná) e duas fora (Criciúma e Vasco), o próximo compromisso será diante do Criciúma na próxima terça feira (08), as 19:15 (18:15 horário de Fortaleza) no estádio Heriberto Hulse.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ 2 X 1 TUPI/MG

CEARÁ - Éverson; Tiago Cametá, Ewerton Páscoa, Charles e Eduardo; Richardson (Raul Silva), Felipe Menezes, Felipe (Serginho) e Wescley; Lelê e Bill (Rafael Costa). Técnico: Sérgio Soares.
TUPI - Rafael Santos; Douglas (Henrique), Gabriel Santos, Bruno Costa e Luiz Paulo; Recife, Renan Teixeira, Vinícius Kiss (Ygor) e Hiroshi; Jonathan (Sávio) e Giancarlo. Técnico: Ricardinho.
GOLS - Bill, aos 8, e Lelê, aos 39 minutos do primeiro tempo; Hiroshi, aos 29 do segundo tempo.
ÁRBITRO - Devarly Lira do Rosário (ES).
CARTÃO AMARELO - Richardson (Ceará).
RENDA - R$ 18.960,00.
PÚBLICO - 3.751 pagantes.
LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).
Davi Maia || @davims


Cheirinho... de Libertadores.

Primeiro clássico depois da volta do Maracanã, 40 mil rubro-negros confiantes na vitória, time tendo que se reabilitar no campeonato para manter o tão falado "cheirinho" e um adversário que desafiava. O Flamengo tinha todos os motivos para fazer um bom jogo no sábado, mas parece que nos últimos suspiros do campeonato faltou algo. 

Elenco? Não faltam jogadores, se têm qualidade ou não isso é outra história. Apoio da torcida? Não se pode cornetar uma nação que ficou sem casa durante 9 meses e mesmo assim é 4° colocado na média de público do campeonato. É muito complicado encontrar e dizer um único motivo que resultou na queda de rendimento do time, porém, fica muito claro que falta, nessa reta final do campeonato uma certa experiência de Zé Ricardo no comando da equipe. A complicada sequência de jogos nessa reta final era nítida, ficava com Zé a responsabilidade de incentivar mais ainda o time, elevar o moral, botar o time pra frente. Dentro de campo, Réver e Diego têm papéis fundamentais nisso mas na figura de técnico, Zé Ricardo pecou nesse quesito. 

A crítica fica pois foi possível chegar a esse ponto do ano ainda firmes na briga e se chegou até aqui, poderia ter segurado mais 4 jogos apenas. A vaga na Libertadores foi uma conquista espetacular, que rubro-negro esperava? Depois de ser eliminado na Primeira Liga, Copa do Brasil e Carioca e com um time totalmente desorganizado (méritos a Muricy Ramalho), a torcida não esperava algo maior do que meio de tabela e conseguir uma vaga na Libertadores já é um feito enorme. 
É hora de levantar a cabeça e terminar o campeonato com tudo.( Foto: GLOBOESPORTE.COM)

O jogo em si foi muito disputado, Flamengo e Botafogo aumentaram e muito sua rivalidade no século XXI e como de costume, ficou tudo igual. No primeiro tempo, Diego comandou o rubro-negro no ataque e assustou o goleiro Sidão algumas vezes. Camilo e Neílton no lado alvinegro levavam perigo ao gol de Muralha nos contra-ataques sempre muito rápidos. 

Toda a crítica do início da matéria se resume no segundo tempo. Um espírito desligado e sem vontade de vencer mais uma vez tomou conta do elenco do Flamengo, que mais uma vez (assim como contra o Corinthians) não teve capacidade de atacar o adversário e mostrar que merece ser campeão. Sejamos sinceros, não mereceu em boa parte do campeonato. Fica para o próximo jogo a necessidade de vencer o lanterna do campeonato com propriedade e garantir de vez a vaga na fase de grupos da Libertadores. 
Vamos, Flamengo! 
@matheusubtil / Matheus Subtil


A curiosa rotação do Milwaukee Bucks

Os fãs dos Bucks se mostraram "exitados" com o começo da temporada, principalmente com os futuros all-star's Giannis Antetokounmpo e Jabari Parker. Mas como nem tudo são rosas, os fãs vem perguntando o porque da inconsistência da rotação no banco.

                                                                   (foto: SLAMonline)
 No roster do Bucks há dois jogadores com mais de 30 minutos de jogo(estrelas), Giannis Antetokounmpo e Jabari Parker. No outro "nível" (titulares) nós temos Greg Monroe, Tony Snell e Matthew Dellavedova com 20 a 30 minutos por jogo.

Após os titulares temos dois jogadores, o sexto homem, Rashad Vaughn, e o role player, John Henson. Os dois participam de uma verdadeira montanha russa de tempo, vejamos:


Depois de uma performance incrível contra o Brooklyn Nets, Rashad Vaughn parecia pronto para melhorar seu tempo na rotação, porém o jogador teve duas noites medíocres, na vitória contra o Indiana Pacers, ele jogou apenas um minuto, teve uma diminuição gigante de 26 minutos.


John Henson, com isso, ganha mais minutos, porém tem que se acostumar com a perda de tempo caso tenha um coadjuvante jogando bem. 


No entanto temos os outros jogadores, que estão como "prospect", "bench warmer" e os outros "role players". Malcolm Brogdon, Jason Terry, Mirza Teletovic, Miles Plumlee e Michael Beasley, do qual flutuam entre 20-10 minutos e Steve Novak e Thon Maker. Do qual tem menos de 10 minutos.

Na base da raça e driblando a chuva, Palmeiras passa pelo Internacional

Não foi o melhor jogo do ano, nem precisava ser. Aliás, jogo foi o que menos teve no Allianz Parque que recebeu uma forte chuva e prejudicou ainda mais o sofrido gramado que vem sido o maior doas adversários palmeirenses nessa reta final. Nem assim a vitória escapou, ainda que com certo sofrimento.

As condições ruins para a partida favoreciam mais o Internacional de Celso Roth, adepto ao jogo de contato, marcação firme e bola longa. Mas está longe de ser um tipo de jogo que o Palmeiras não goste, até em função de ter jogado com boa parte desse elenco em 2015 com a bola longa como marca registrada.

A verdade é que houve pouquíssimo em termos de criatividade em todo jogo. O gol de Cleiton Xavier, logo cedo, era tudo que o Palmeiras queria para poder controlar o jogo e diminuir a ansiedade. Ele veio em bola parada onde mais uma vez brilhou a estrela de Cuca: Thiago Santos ajeitou e o meia completou para o gol. Os dois costumam iniciar no banco de reservas.

Palmeiras x Internacional - Dudu e William (Foto: Marcos Ribolli)
Dudu disputa bola pelo alto: jogo teve mais marcação do que emoção.
(Foto: Marcos Ribolli/Globo Esporte)
O gol não mudou rigorosamente nada no panorama do jogo. A partida continuou com muita briga, marcação e zero chances de gol. O Inter assustou com Alex, de falta, e o Verdão respondeu com Vitor Hugo, já nos acréscimos. Muito pouco para animar a partida, ótimo para o Palmeiras que não via Jailson aparecer.

O segundo tempo começou com um susto (o único em toda partida), quando Anderson puxou contra-ataque e poderia ter empatado. Como poderia ter feito também Gabriel Jesus, já na reta final da partida. O jogo, porém, tinha cara de 1x0. E assim ficou o placar, para alegria dos alviverdes que ampliaram a vantagem contra o vice-líder Santos para seis pontos.

O brilho passou longe do Allianz Parque, como já vem passando há algumas rodadas. Nesta altura, isso é o que menos importa. Jogar bem e jogar bonito são coisas diferentes. O Verdão não deu show, não teve dribles que levantaram o público, mas também não sofreu. Jailson praticamente assistiu ao jogo e segue sem perder pelo Brasileiro.

Com a boa vantagem adquirida, o Palmeiras irá até Belo Horizonte pegar o Atlético-MG. Jogo difícil, mas que terá o time preparado após dez dias de descanso e que, se conquistar uma vitória diante dos mineiros, ficar praticamente com o título assegurado.

O DESTAQUE: A qualidade na saída de bola é um ponto a melhorar (e muito), mas existem poucos tão eficientes na marcação como Thiago Santos. Mais uma vez ele dominou o meio e anulou a criação do Inter – que diga-se também, é bastante fraca. Um lance emblemático foi visto no segundo tempo: ele disputou até o final lance com Anderson e ficou com a bola, para delírio de todo estádio.


BOLA MURCHA: Se o jogo não foi grande coisa tecnicamente, a parte tática palmeirense foi praticamente impecável e o jogo coletivo funcionou. Talvez sacrificado na ajuda pela marcação e certamente prejudicado pelo gramado ruim, Gabriel Jesus perdeu a melhor chance no segundo tempo e que poderia ter colocado o jogo em risco.

O "invencível" que não consegue vencer

Buscando se manter como único invicto na Premier League, o Tottenham visitou o Arsenal neste domingo (06), no Emirates Stadium, pela 11ª rodada. Apesar da invencibilidade, os Spurs foram para o embate tentando encerrar uma sequência ruim, somando seis partidas sem vencer por todas as competições. Esse jejum, contudo, foi aumentado para sete após o clássico.

Os Spurs empataram a quarta partida seguida pela Premier League (Foto: Reuters)
Um dos fatores que ajudam a explicar a irregularidade dos Spurs são os problemas físicos. Claramente, o técnico Maurício Pochettino têm tido dificuldades para manter a competitividade da equipe, que já sofreu com muitas lesões importantes neste início da temporada. E no último jogo não foi diferente, Dele Alli sofreu uma lesão no dia anterior, desfalcando o time clássico.

Em contra-partida, o comandante argentino pôde contar com o retorno do seu principal jogador e escalou a equipe no 4-3-1-2 (Lloris; Walker, Wimmer, Vertonghen e Rose; Dier, Wanyama, Dembélé e Eriksen; Son e Kane), mas bastou a bola rolar para ficar nítida a variação para o 3-5-2 – lembrando bastante o esquema utilizado por Antonio Conte, no atual Chelsea.

A estratégia pareceu acertada e os primeiros minutos do Tottenham foram bonsCom Dier fechando como terceiro zagueiro, os laterais tiveram liberdade para subir, dano mais amplitude ao time. A primeira boa chance, inclusive, foi criada em cruzamento de Rose e conclusão de Walker por cima da meta. Nos minutos seguintes, a partida seguiu truncada e faltou criatividade do meio campo, que teve Eriksen novamente longe de ser aquele que estamos acostumados.

Nos últimos 15 minutos da etapa inicial, o Arsenal aproveitou o espaço deixado no lado direito do Tottenham e foi superior, incomodando a defesa. Porém, a partida ainda permaneceu sob controle, até que Wimmer resolveu colaborar. Na cobrança de falta, Özil mandou para a área e o zagueiro marcou contra de cabeça, aos 42 minutos.

Harry Kane se tornou o maior artilheiro do derby (Foto: Reuters)
A etapa complementar começou mais movimentada e o placar foi alterado logo aos 6 minutos. Apesar de ainda não estar cem por cento fisicamente, Kane aproveitou o tempo que esteve em campo e provou mais uma vez o quão é importante, antes de dar lugar à Janssen. O atacante inglês sofreu o pênalti, marcou o gol de empate e igualou Bale como o principal artilheiro do North London Derby – ambos com 5 gols cada.

Com o placar igual, a partida ficou totalmente aberta e a impressão era que não terminaria assim, já que ambos criaram chances de sair com a vitória. Pelo lado azul e branco, Janssen recebeu livre na área e finalizou cruzado, mas parou em Cech. A péssima notícia ficou por conta da lesão – só mais uma – de Walker, que deu lugar à Trippier no fim da partida, preocupando os torcedores. 

O resultado em 1 a 1, contudo, prevaleceu e não foi tão ruim assim. Pelo contrário, levando em conta que poucos times somarão pontos no Emirates Stadium e que saímos atrás no placar, um ponto ficou de bom tamanho. O que devemos lamentar, são os tropeços contra Bournemouth, West Bromwich e Leicester, que não permitem que o time esteja no G-4 ou até mesmo na liderança.

Com o resultado, o Tottenham chegou aos 21 poucos e se mantém na 5ª posição, tendo a oportunidade da data FIFA para recuperar parte do elenco e deixar de ser o time "invencível" que não consegue vencer. Na próxima rodada, os Spurs terão outro duelo londrino, contra o West Ham, no White Hart Lane, apenas no dia 19 deste mês.

#COYS

Por: Marcelo Júnior

Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @PLBrasil_LF
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana