A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Lateral Romário, do Atlético Goianiense, vibra com o primeiro título profissional

Foto: Assessoria de Comunicação / ACG
A temporada de 2016 vai ficar marcada para sempre na memória do jogador Romário. Natural de Diadema, em São Paulo, o atleta passou por momentos difíceis, mas com um final feliz. No último sábado (12), o jogador de 24 anos, comemorou, pela primeira vez, um título na carreira profissional. Com duas rodadas de antecedência, o Atlético Goianiense conquistou a Série B do Campeonato Brasileiro com uma campanha incrível.

- Eu só havia conquistado alguns títulos quando ainda era da base, mas estava trabalhando muito e sempre com o objetivo de ser campeão como profissional, vinha buscando isso há muito tempo e, graças a Deus, eu consegui. Essa conquista tem um significado muito grande para mim, é um sentimento e uma emoção inexplicável, conta Romário.

Mas o caminho para chegar até o título não foi nada fácil. Após uma temporada complicada vestindo a camisa do Avaí, o ano de 2016 também não começou muito bem.

- Nós não tivemos um bom início de temporada, não conseguimos conquistar o Estadual e eu também tive a minha primeira lesão mais séria. Fiquei dois meses fora e foi muito difícil, mas com o apoio de todos, nunca desisti. Deus honra aquele que trabalha e eu nunca deixei de trabalhar e lutar. E o resultado veio, relembra o atleta que chegou ao Atlético Goianiense em janeiro.

O contrato do lateral-esquerdo com a equipe goiana encerra-se no final deste ano e, apesar das sondagens, Romário revela o desejo de permanecer no Dragão.

- Sou muito grato por tudo que o Atlético fez por mim e claro, tenho interesse em renovar, mas esse assunto eu deixo para os meus empresários. Daqui para frente é comemorar e deixar Deus agir, finaliza o atleta.





Visando 2017, Sampaio Corrêa demite Flávio Araújo

Flávio Araújo não é mais técnico da Bolívia Querida (Foto: sampaiocorreafc.com.br)

Flávio Araújo não é mais técnico do Sampaio Corrêa. Apesar de ter falado em entrevista na semana passada que estava quase certa a sua renovação com o tricolor, o treinador foi comunicado pelo presidente Sérgio Frota que não comandará equipe em 2017 e está desligado do clube. O anúncio foi feito nesta tarde.

O presidente da Bolívia Querida confessou que o aspecto financeiro foi decisivo para a demissão e não permanência do treinador para 2017. Flávio, em sua terceira passagem pelo Sampaio, dirigiu o time em 18 jogos, com três vitórias, seis empates e nove derrotas, com um aproveitamento de 27,78%.

Podemos culpá-lo por esse péssimo rendimento e campanha? Sim e não. O elenco foi formado, quase todo, antes da sua chegada. Sem bons nomes no mercado, perto do fim do prazo de inscrição para o Brasileiro, trouxe alguns jogadores, como Hiltinho e Enercino, este último completamente inútil para as pretensões do clube.

Com a baixa qualidade do elenco, só lhe restava lutar com o que tinha. Um trabalhador sem boas ferramentas tem que suar mais e trabalhar dobrado para alcançar seus objetivos. Em alguns jogos, o time se portou bem, chegando a dar alguma esperança ao torcedor boliviano, mas acabou sucumbindo e caindo para a Série C, também contando com alguns erros da parte da comissão técnica, como escolhas equivocadas nas escalações e substituições, além de algumas formações e esquemas táticos duvidosos.

Quem assumirá o comando da equipe em seu lugar até o fim da competição será Vinícius Saldanha, técnico do sub-20, que já treinou interinamente a equipe neste ano no estadual, em 2014, também como interino, na reta final da Série B, e em 2009.

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Não olhe agora, mas os Lakers estão renascendo

Nick Young e Jordan Clarkson
Foto: Instagram @Lakers
As últimas temporadas não foram fáceis para os fãs do Los Angeles Lakers. Após uma investida milionária – e vexatória – em 2012 com as chegadas de Dwight Howard e Steve Nash se juntando a Kobe Bryant e Paul Gasol, desde então, a franquia entrou em total declínio, perdendo suas principais estrelas e colecionando recordes negativos.

De lá para cá, os Californianos passaram longe dos playoffs e figuraram entre as piores campanhas da liga. Em contrapartida, conquistaram excelentes posições no draft e depois de passar a temporada 2015\16 com apenas 17 vitórias e 64 derrotas, a atual temporada aparenta ser promissora e já enche os torcedores de esperança.

Na primeira temporada sem Kobe Bryant, o elenco foi reformulado e  mesmo com a chegada de Luke Walton em sua primeira temporada como headcoach para comandar o time, o que mais chamou atenção foram as contratações de Luol Deng e Timofey Mozgov por valores astronômicos. Porém, o que se viu até aqui foi uma mescla excelente das novas caras da franquia, junto aos jovens Julius Randle, Jordan Clarkson, D´Angelo Russel e Brandon Ingram draftados nos últimos anos.

Russel, Randle e Clarkson
Foto: Clutsh Sports
Entrando na quarta semana da temporada, os Lakers têm campanha de 6 vitórias e 5 derrotas. Comparando com a temporada passa, com os mesmos onze jogos, a equipe já somava nove derrotas com apenas duas vitórias e a comparação fica ainda espantosa. Ainda se nos espelharmos com a última campanha, a franquia só somou as mesmas seis vitórias que já possui, na trigésima terceira partida da temporada.

Claro que é muito cedo para se cravar qualquer previsão sobre o fim da temporada, mas hoje os Lakers ocupam a sétima posição dentro da conferência Oeste e a julgar pelo equilíbrio desta temporada, podem sim sonhar com uma volta os playoffs depois de três sofridas temporadas. E para os torcedores, fica a esperança e o desejo do Los Angeles Lakers enfim voltar a ser o Los Angeles Lakers que o mundo se acostumou a ver. 


Pedro Ramos  |  @PedroRamos17_

Cumprindo tabela, Sampaio perde em casa para o Londrina

No duelo entre tubarões, o paranaense levou a melhor (Foto: Elias Auê)


Apenas para cumprir tabela, o Sampaio Corrêa recebeu o Londrina, no Estádio Castelão, em São Luís, no último sábado (12), confronto válido pela 36ª rodada do Brasileiro Série B. A derrota por 3 x 1 frustrou ainda mais os pouco mais de 600 torcedores que compareceram ao “gigante do Outeiro”.

A equipe do Londrina marcou o seu primeiro gol na partida logo aos 3 minutos do primeiro tempo, com Rafael Gava, que recebeu passe dentro da área, livre de marcação, após perda de bola de Marmentini, e finalizou para o gol.

Aos 24 minutos, o árbitro da partida assinalou pênalti para o Tubarão maranhense. Éder Sciola lançou na área para Thiago Santos, que dominou a bola, mas foi calçado por trás pelo marcador e foi ao chão. Na cobrança, o próprio centroavante tricolor se encarregou de empatar a partida.

No início do segundo tempo, exatamente aos 3 minutos novamente, o Londrina retomou a vantagem no placar. Em cobrança de lateral, a bola foi alçada na área para Safira na pequena área. Ele protegeu a bola e acabou caindo, mas Bruno Batata pegou a sobra e desempatou a partida.

Aos 40, o Tubarão paranaense deu números finais à partida. Germano recebeu na entrada da área e tocou para Rafael Gava, que finalizou no canto direito do goleiro Rodrigo Ramos e decretou a derrota da Bolívia Querida.

Foi um péssimo jogo para se assistir. O Sampaio estava perdido em campo, sem vontade, com uma marcação frouxa, sem criatividade, errando passes bobos e perdendo a bola com muita facilidade, tanto é que Marmentini, responsável por armar o time, saiu logo no primeiro tempo para dar lugar a Hiltinho. O esquema com três zagueiros mais uma vez não funcionou, improvisando Henrique na ala esquerda e Éder Sciola como volante. A derrota poderia ter sido ainda pior se não fossem as chances desperdiçadas pelo time do sul do país. A promessa de honrar a camisa tricolor ficou apenas no discurso e não foi a campo.

O Sampaio Corrêa volta a campo no dia 19, próximo sábado, às 17h30 (horário de Brasília), para enfrentar o líder e já campeão Atlético-GO, no Estádio Castelão, em São Luís (MA).

FICHA DO JOGO:
SAMPAIO CORRÊA 1 X 3 LONDRINA
Local: Estádio Castelão, São Luís (MA)
Data: 12 de Novembro de 2016, sábado
Horário: 17h30 (de Brasília)
Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva (SE)
Gols: Thiago Santos, aos 25’ 1ºT (Sampaio Corrêa); Rafael Gava, aos 3’ 1ºT e aos 40’ 2ºT, e Bruno Batata, aos 3’ 2ºT (Londrina)
Cartões amarelos: Luiz Otávio e Mimica (Sampaio Corrêa)
Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Mimica, Luiz Otávio e Wágner Fogolari; Diego Lorenzi, Éder Sciola, Guilherme Lucena, Gustavo Marmentini (Hiltinho) e Henrique (Felipe Costa); Edgar (Fernandinho) e Thiago Santos. Técnico: Flávio Araújo
Londrina: Marcelo Rangel; Igor Bosel, Matheus, Donato e Léo Pelé; Germano, Anderson, Rafael Gava e Zé Rafael (Marcus Vinícius); Alisson Safira (Júlio Pacato) e Itamar (Bruno Batata). Técnico: Cláudio Tencati


Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes

Linha de Fundo || @SiteLF

Ressaca na Ressacada: Náutico joga mal e perde confronto direto contra o Avai

Era um jogo decisivo para ambas equipes que almejavam se firmar no G4, na tarde desse sábado (12/10) e o que vimos foi um Náutico muito apático, time desmotivado e sem ambição na partida, time que viu o Avai dominar o jogo e sair vencedor. Náutico entrou em campo com sua base titular que conseguiu aquela arrancada heróica de seis vitórias consecutivas sob o comando de Givanildo Oliveira, essa arrancada fez o Timbu chegar aonde está hoje. Porém, nessa partida decisiva contra o time catarinense não vimos 20% do time que encantou os torcedores e que nos fez acreditar no acesso como nunca. 
 
Rony cabisbaixo após gol sofrido ( Foto: GE )


 O início da partida estava muito equilibrado, duas equipes se estudando muito, Náutico entrou em campo com um entrave no time titular. Trata-se do meio campista Marco Antônio que não entrou visivelmente 100% na partida, e assim não rendeu o que se é esperado de um jogador de sua categoria, transição no meio campo estava escassa causando muita dificuldade para os atacantes, Rony e Bergson que mais um jogo a dupla de frente do timbu foi ineficáz e ambos fizeram uma atuação apagada.

O Náutico sofreu um revés. Com uma falta mal marcado do jogador Igor Rabello em cima do jogador avaiano, da entrada da área, Marquinhos com toda sua categoria abriu o placar, assim o Náutico se desarticulou e não teve forças para ir atrás do resultado, no final do segundo tempo novamente com um erro do juiz, Marquinhos marcou mais um para o Avai, dando resultados finais na primeira etapa, Avai 2-0 Náutico. 
Marquinhos Catarina comemorando seu gol  ( Foto: GE )


 Na segunda etapa nosso técnico Giva, veio com duas alterações logo de cara para tentar mudar o panorama da partida e aumentar o ímpeto de vitória da equipe alvirrubra. Saiu Marco Antônio e entrou Tiago Adam, e também tirou Rodrigo Souza para a entrada de Maylson, o time melhorou no segundo tempo e teve mais chances de gols,Tiago Adam pouco fez no jogo, mas se esforçou e correu o tempo todo, Maylson mais uma vez entrou muito bem no jogo e mas teve sua atuação manchada por conta de sua expulsão em uma entrada violenta em Marquinhos Catarina.

Em um contra ataque o Avai acabou fazendo o terceiro gol e o Náutico acusou o golpe e não teve mais forças para reagir, o acesso ficou mais difícil, mas agora enfrentamos o Tupi em Juiz de Fora e o Oeste na Arena Pernambuco, da pra acreditar que podemos subir se cumprirmos os dois deveres, que é mais que obrigação e também torcer para o Bahia tropeçar. Enquanto houver vontade de lutar, haverá esperança.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana