A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ainda existe esperança

(Foto: L'ÉQUIPE) 

Demorou para o Olympique de Marseille engatar neste domingo, no Stade Velódrome. Com muitas dificuldades para furar a frágil retranca do rival, o Olympique  foi para o vestiário segurando um empate, sem gols.

A postura foi totalmente diferente na segunda etapa e a equipe voltou melhor. Com menos de um minuto de jogo, Florian Thauvin abriu o placar, depois da assistência de Lopez. 1 a 0

Apos o gol, o Marseille dominou totalmente o Nancy, que não gerava perigo para o goleiro Pele. Aos 35', Thauvin deu bom passe para Gomis, que limpou para a direita e bateu forte para a meta. O chute desviou no defensor, foi no canto direito de Chernik e deixou o goleiro sem chances de defesa. 2 a 0. 

Nos acréscimos, após receber cruzamento de Leya, N'Jie balançou as redes nos acréscimos e fechou o placar. O gol decretou a vitória e uma ótima segunda etapa com o placar final de 3 a 0 sobre o Nancy.

Com o resultado, o Olympique de Marseille chega a 21 pontos e é o décimo colocado da Ligue 1. Apesar de uma primeira etapa sonolenta, na segunda parte a equipe de Rudi Garcia mostrou um bom futebol, semelhante ao jogado contra o Saint-Étienne, com ótimas atuações do jovem Maxime Lopez e Florian Thauvin.














Chapecoense, vitória e liderança

Semana passada eu publicaria um texto explicando a vitória contra o Sevilla pela UCL e sobre a derrota frente ao Genoa pelo italiano. Porém, no dia da publicação, houve o acidente aéreo que envolveu a Chapecoense e causou comoção nacional. Não tive estômago para publicar. Não irei comentar sobre o ocorrido, visto que inúmeros portais de internet, rádio e televisão já fizeram todas as análises do tema. Deixo apenas registrado todo apoio as famílias dos mortos.

No último sábado, 03, a Juventus enfrentou a Atalanta em Torino. Antes do jogo, importante salientar que houve um minuto de silêncio extremamente emocionante. O Juventus Stadium ficou completamente apagado, com as placas eletrônicas exibindo a cor verde da Chape e com os telões exibindo o escudo do time catarinense, com os dizeres “Forza Chape”. Para completar, a torcida bianconera deu um show de respeito, pois além do silêncio, todos as vítimas do evento foram aplaudidas. Que todos descansem em paz em uita força para as famílias!

Um minuto de silêncio respeitado no Juventus Stadium

Lesões

Antes de falar da partida, um tema já tratado em textos anteriores, mas impossível de esquecer: as lesões que assombram Vinovo. Bonucci fica parado por no mínimo dois meses. Nosso jogador mais constante da temporada, Dani Alves, fraturou a fíbula e os médicos não estipularam um prazo para seu retorno. Ambas as leões ocorreram no jogo que perdemos contra o Genoa.

Além disso, temos Barzagli que necessita de mais tempo para recuperação e Chiellini que vem voltando aos poucos. Dizem que Dybala pode retornar no banco de reservas no próximo jogo da UEFA Champions League, frente ao Dínamo Zagreb.

Se entendermos que o onze ideal é composto por Buffon, Barzagli, Bonucci, Chiellini, Dani Alves, Marchisio, Khedira, Pjanic, Alex Sandro, Dybala e Higuain (Mandzukic), seis deles já estiveram ou estão no departamento médico. Em qualquer time do mundo isso seria um problema. E, para nós, não é diferente.

O jogo

A Juventus entrou em campo em um 4-4-2 losango desta forma: Buffon, Lichtsteiner, Rugani, Chiellini, Alex Sandro, Khedira, Marchisio, Sturaro, Pjanic, Mandzukic, Higuain.
A Atalanta vinha de seis vitórias importantes no campeonato. Inter, Pescara, Genoa, Sassuolo, Roma e Bologna haviam sido vítimas do time de Bérgamo. A Juve era a líder do campeonato, porém, com todos os problemas de lesão e após uma péssima apresentação em Genova.

Para homenagear as vítimas do acidente, ninguém mais poderia ter aberto o placar que não fosse Alex Sandro. O gol foi todo construído individualmente pelo brasileiro. Um gol que demonstra a força e importância do lateral no grupo.

Alex Sandro homenageia Chapecoense e todas as vítimas com mensagem. Foto: Juventus.com
Pjanic teve uma de suas melhores apresentações com a camisa bianconera. Aos poucos vai ditando o ritmo do meio. Rugani foi o autor do segundo gol. Boa apresentação do jovem defensor italiano, em momento delicado para a defesa da Juve, sem Bonucci e Barzagli contundidos.

Marchisio e Khedira sempre importantes para o meio campo. Sturaro não comprometeu e
Higuain demonstrou muito esforço. Como estamos atuando com dois atacantes de área, ambos acabam tendo a função de voltar e buscar o jogo. Pipita se esforçou, vem levando azar, mas vem colaborando. Inegável que espera-se mais dele.

O nome do jogo foi Mario Manduzkic. Com a contratação de Higuain no começo da temporada por 90 milhões de euros, houve especulação no sentido de que o croata poderia ser envolvido em uma transação com o futebol espanhol ou inglês, mas ele ficou e vem demonstrando muita vontade em campo, aliada com ótimas atuações. Remo Freuler marcou o gol de honra dos visitantes já no final da partida, fechando as contas em Juventus 3x1 Atalanta.

No domingo, Milan e Roma venceram seus jogos, fazendo com que a Juve mantivesse os 4 pontos de vantagem na liderança do campeonato. Nosso próximo jogo é muito importante, apesar de ser encarado pela maioria com certa tranquilidade. Na próxima quarta-feira, 7, no Juventus Stadium, o time recebe o Dínamo Zagreb, pela última rodada da fase de grupos da UEFA Champions League. Uma simples vitória em casa confirma a primeira posição do grupo. 

Um empate ou derrota da Juventus e uma vitória do Sevilla nos coloca em segundo, na mesma situação da edição passada, quando pegamos o Bayern no sorteio. Apesar dos últimos resultados em casa pela fase de grupos, novamente acredito em uma vitória, que nos dará tranquilidade para recuperar os lesionados e focar na Série A e preparação para as oitavas.


Fino alla fine FORZA JUVE!

Resumo da rodada e programação da semifinal no Campeonato Colombiano

Agora só quatro clubes lutam pelo título (Foto: Divulgação/Liga Postobon)
Neste fim de semana, oito clubes colombianos entraram em campo almejando quatro vagas na semifinal, em partidas válidas pela volta da fase preliminar do Campeonato Colombiano. Os confrontos foram Santa Fé x Independiente Medellín; Atlético Nacional x Millonários; Deportivo Cali x Bucaramanga; Tolima x Patriotas; e tiveram mandos invertidos da ida.


Santa Fé 2-0 Independiente Medellín


O Santa Fé entrou em campo em campo como mandante e com a vantagem conquistada na ida. Após vencer por 2 a 1, fora de casa, o time da capital recebeu o Independiente, no El Campim, podendo até empatar. E fez mais do que isso, venceu por 2 a 0 e foi o primeiro à avançar para a próxima fase. Em momento nenhum, o adversário demonstrou que complicaria a classificação e os gols foram marcados por Balanda e Gordillo, no fim da primeira etapa e no início da segunda, respectivamente.


Atlético Nacional 3-0 Millonarios


Outro duelo entre clubes de Medellín e Bogotá aconteceu no Atanazio Girardot. Diferentemente do primeiro jogo, quando atuou o um time reserva e perdeu por 2 a 1, o Nacional contou com força máxima e com o apoio do torcedor verdolaga. Apesar da vitória por uma boa margem de gols, o jogo não foi fácil e só foi definido no final, já que o 1 a 0 permaneceu até os 88 minutos de peleja. No fim, os gols de Guerra, Diaz e Nieto, garantiram a vitória por 3 a 0 e, consequentemente, a classificação às semifinais. 


Tolima 0-1 Patriotas (3-1)


A vantagem conquistada na ida não se manteve e o Tolima sofreu jogando em seus dominios. Após a derrota por 2 a 1, o Patriotas reverteu a desvantagem, vencendo por 1 a 0, fora de casa. Nos pênaltis, contudo, o time de Ibagué foi mais efetivo e conseguiu a vaga na próxima fase. O único gol marcado no tempo regulamentar também foi de pênalti e marcado por Mosquera.

Deportivo Cali 1-1 Bucaramanga

Este foi o único jogo da rodada que não houve vencedor. Vindo de uma vitória por 2 a 1, o time visitantes foram até Cali, tentando segurar a vantagem conquistada em casa. Com a necessidade de vencer, os mandantes até abriram o placar com um gol de Aquivaldo na primeira etapa, mas cederam o empate no segundo tempo. O gol que classicou o Bucaramanga foi marcado por Guevgeozián.


Próxima fase: Com a definição de todos os classificados, os clubes já conhecem os seus adversários na próxima fase, que terá início nesta semana. Os confrontos de ida acontecem nos próximos dias 07 e 08 e os da volta acontecem no dia 11 de dezembro. Confira abaixo o chaveamento da competição e a programação dos jogos:

(Foto: @datosnacional)


Semifinais (Ida)


Santa Fé x Nacional: quarta-feira (07), às 22hrs (Brasília), no estádio El Campín, em Bogotá.

Bugaramanga x Tolima: quinta-feira (08), às 22 hrs (Brasília), no estádio Álvaro Gómez Hurtado, em Bugaramanga.


Semifinais (Volta)

Tolima x Bugaramangadomingo (11), às 19h30hrs (Brasília), no estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué.

Nacional x Santa Fé: domingo (11), às 22hrs (Brasília), no estádio Atanázio Girardot, em Medellín.

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Liverpool quebra tabu: perde para o Bournemouth pela primeira vez na história

Nathan Ake scores their fourth goal

Tudo indicava que o Liverpool voltaria para casa com os três pontos do confronto com o Bournemouth, no último domingo (06), pela 14ª rodada da Premier League. Mas o que vimos na partida foi mais uma prova que o futebol é mesmo uma caixinha de surpresa, especialmente a liga inglesa, que proporciona confrontos sempre imprevisíveis. E, infelizmente, dessa vez a vítima foi o Liverpool.

Nem o mais pessimista torcedor do Liverpool podia imaginar o placar final após um primeiro tempo tão bom para os Reds. Domínio total, com posse de bola elevada, o time trocava passes no campo do adversário e pressionava. Não demorou muito e o gol saiu. Manè foi quem marcou; após passe de Emre Can, o senegalês deu um toque sútil na saída de Boruc para abrir o placar, aos 20 minutos. Dois minutos depois, em um contra-ataque, Origi marcou o segundo.

Após o intervalo o cenário começou a mudar e Fraser, jogador que saiu do banco e deu outra cara ao Bournemouth, foi um dos responsáveis. Aos 10, Lovren se atrapalhou para afastar a bola, Wilson tocou para Fraser, que sofreu pênalti de Milner. Wilson marcou e iniciou a sequência que aconteceria na segunda etapa. Emre Can ainda marcou um belo gol e fez Liverpool 3 a 1. Aos 31’, Fraser diminuiu. Lucas Leiva e Lovren pareciam nervosos e, três minutos depois, os donos da casa empataram o jogo. Ainda tivemos chance para voltar à frente, mas a bola de Origi passou sobre o gol. Aos 48’, o golpe final, Aké virou o jogo após rebote de Karius em seus pés.

A derrota foi a primeira do Liverpool na história do confronto, e foi uma derrota daquelas difíceis de digerir. Um momento de baixa na temporada que vem sendo muito boa. Ficou claro que sentiremos falta de Coutinho, que só voltará em janeiro. A boa atuação de Manè e a volta de Lallana foram os pontos positivos no jogo, jogadores que serão importantíssimos nas próximas rodada para que continuemos na briga pelo título.

Caio Semblano | @caiosemblano

Cruz Azul, como terminar com um jejum que dura há quase duas décadas?

Cruz Azul não conquista o Campeonato Mexicano desde 1997. Fonte: (Getty Images)






Um dos grandes clubes do futebol azteca é o Cruz Azul. Sua época de ouro, entretanto, foi na década de 70, quando começou a jogar no Estádio Azteca, na Cidade do México. Posteriormente, o clube ainda conquistou mais um título nacional, chegando ao oitavo em sua história (1968-1969, México 70, 1971-1972, 1972-1973, 1973-1974, 1978-1979, 1979-1980, Invierno 1997).

Atualmente, o clube vive um jejum que mexe nas feridas de todos seus aficionados e todos os dirigentes que passaram por lá, sem conquistar o Campeonato Mexicano desde 1997. Ao longo de todos esses anos, empresários e grandes jogadores já passaram pela instituição, mas faltou organização para obter resultados e o time vem enfrentando diversos problemas para lograr seu maior objetivo. 

Estádio Azteca, na Cidade do México (Foto: (Getty Images)
Mais triunfos em uma temporada: 22 - 1971-72
Mais triunfos como visitante em uma temporada: 11 - 1979/80 (recorde do futebol mexicano)
Mais jogos sem receber gol: 5 - 1975/76, e 1983-84
Mais vitórias consecutivas: 10 - 1971/72 (recorde do futebol mexicano)
Mais empates consecutivos: 5 - 1973-74
Mais derrotas consecutivas: 6 - Clausura 2004
Mais empates em uma temporada: 17 - 1989-90
Mais derrotas em uma temporada: 13 - 1982-83 e 1989-90
Mais jogos seguidos sem ganhar: 11 - 1965-66
Menos vitórias em uma temporada: 2 - Clausura 2009
Menos empates em uma temporada: 0 - Apertura 2009
Menos derrotas em uma temporada: 1- Invierno 1998

Paco Jémez foi anunciado como o novo treinador do Cruz Azul. Fonte: (Getty Images)
Buscando mudar isso, o clube contratou técnico Paco Jémez, que coleciona passagens por equipes de pouca tradição em seu país. O que o espanhol pode agregar ao grupo? O futebol ofensivo é o ideal de Jémez, uma filosofia que sempre cala aos jogadores e torcedores, mas que requer muita paciência. O Cruz Azul mira novos olhares, para quem sabe muito em breve, volte a brilhar no maior cenário do futebol nacional.

Por: Ilgner Braga | @ilgner_braga

Manchester é azul, azul de Londres

Neste sábado (03), Manchester City e Chelsea fizeram o jogo mais aguardado da rodada, em Manchester. Uma partida que vem crescendo bastante de rivalidade nos últimos anos devido a todo o investimento financeiro nas duas equipes e por constantemente estarem brigando por título. Além de valer a liderança da Premier League, o jogo era rodeado de expectativa em cima do duelo de Guardiola x Conte.


Diego Costa aponta a faixa com "Força Chape" depois de marcar um dos gols (Foto: Getty Images)
E esse duelo dos técnicos começara antes mesmo da bola rolar, Pep surpreendeu a todos ao mudar totalmente sua escalação para o jogo e o City veio à campo no mesmo 3-4-3 que Conte usa no Chelsea, na tentativa de espelhar os visitantes. Conte, por sua vez, fez apenas uma mudança na equipe, já que Matic sentiu um incomodo na perna e deu lugar a Fabregas no time titular. O Chelsea veio com: Courtois; Azpilicueta, David Luiz e Cahill; Moses, Kante, Fabregas e Alonso; Hazard, Pedro e Diego Costa. 


A expectativa era que o jogo fosse uma guerra tática e uma guerra pela posse de bola, além de poucos espaços. E tudo isso se confirmou, o primeiro tempo foi de quase nenhum espaço para jogar, os dois times com muita dificuldade de ter a bola e uma pressão grande nos zagueiros, que muitas vezes se viam obrigados a dar um chutão para o ataque. O jogo se caminhava para um 0 a 0 na primeira etapa, até que após longo tempo trocando passes, a bola chegou na direita para Navas cruzar e Cahill, de canela, mandar a bola para o próprio gol, aos 44 minutos.


Com esse resultado, o City estava assumindo provisoriamente a liderança, precisando o Chelsea virar ou empatar para não perder-la. Porém, os primeiros minutos do segundo tempo foi de um Manchester avassalador, De Bruyne parou em Courtois e Aguero em Azpilicueta, que salvou em cima da linha. A chance mais clara aconteceu aos 11', quando De Bruyne, livre e com o gol aberto, chutou no travessão. Os Blues suportaram toda essa pressão e, aos 14 minutos Fabregas lançou Diego Costa. O atacante matou no peito, cortou Otamendi e chutou rasteiro, para empatar o jogo. 

Willian homenageou a Chapecoense após seu gol. Fonte (Getty Images)
O desenho do jogo era nítido, City tinha a bola, enquanto o Chelsea esperava o contra-ataque. Que veio aos 24', quando Diego Costa lançou Willian (que entrou na vaga de Pedro), e o camisa 22 chutou cruzado, virando o jogo. Já no final do jogo veio o golpe de misericórdia, Chalobah (que entrou no lugar de Diego Costa) fez o desarme, Alonso lançou e Hazard ganhou na velocidade, tocando na saída de Bravo e dano números finais ao jogo. Ainda deu tempo para Aguero e Fernandinho serem expulsos após confusão, mas o placar se manteve. 

Se o Chelsea precisava provar mais alguma coisa para confirmar sua força, provou. Conte teve seu grande desafio e o venceu brilhantemente um time que sabe exatamente o que fazer dentro de campo. Uma defesa muito difícil de ser vazada e um contra-ataque mortal. Os Blues mantiveram a liderança da Premier League, 34 pontos, e enfrenta o West Brow, em casa, na próxima rodada.

Os brasileiros na NBA


A NBA tem 70 anos de existência, e nesses anos vários e vários brasileiros passaram por lá. Como Marcelinho, Pipoka, Nenê e Leandrinho. No total dos "BR's" que já entraram na liga foram 18, e nessa temporada bateram o recorde de nove ao mesmo tempo.

Tiago Splitter


Primeiro brasileiro a ser campeão com o San Antonio Spurs, atualmente joga no Atlanta Hawks. Nesse ano completa seu sétimo ano na NBA.

Leandrinho Barbosa


Em seu décimo quarto ano na liga, Leandrinho joga pelo Pheonix Suns. Anteriormente o armador jogou pelo Boston Celtics, Indiana Pacers, Washington Wizards e o time do qual foi campeão, Golden State Warriors.

Nenê Hilario


O pivô Nenê esta na liga a quinze anos, sendo considerado por muitos o melhor brasileiro que já passou e atualmente na NBA. Já passou pelos times Denver Nuggets, Washington Wizards e atualmente joga no Houston Rockets.

Anderson Varejão


Anderson Varejão jogou 12 anos pelo Cleveland Cavaliers, e justo na temporada do qual ele saiu do time eles foram campeões, a vida é uma merda mesmo. É o melhor defensor brasileiro, sendo que em 2010 foi eleito para o NBA All-Defensive Team.

Raulzinho Neto


O armador Raulzinho teve sua entrada na NBA ano passado (temporada 2015-2016), jogando no Utah Jazz atuou como titular, pois o Dante Exum estava machucado. Sendo um dos melhores (se não o melhor) brasileiros na temporada passada.

Marcelinho Huertas


O ex-armador do Barcelona Lassa (Só que na época sem lassa) com 32 anos fez sua primeira temporada também ano passado. Atua no Los Angeles Lakers, sendo considerado o novo Magic Johnson (claro isso é uma piada).

Cristiano Felicio


Campeão da NBA Summer League (o que não significa nada) com o Chicago Bulls. Cristiano Felicio junto com Lucas Bebê (ou Nogueira) são um dos brasileiros que mais evoluíram, e provavelmente que vão evoluir na NBA.

Bruno Caboclo


Jogando pelo Toronto Raptors, ou melhor pelo Raptors-905 (time da D-League), tem decepcionado muito na NBA e na D-League tem destruído, tendo 1.8 de tocos por jogo. Torcemos que ele melhore o jogo, mas por enquanto está bem...

Lucas "Bebê" Nogueira


Lucas Bebê tem sido o brasileiro que mais evoluiu na NBA, para vocês verem, na ultima partida do Toronto Raptors teve 10 pontos, oito rebotes e três tocos. Sendo que isso não foi apenas um bom jogo, talvez uma boa fase, mas ele vem destruindo sendo um jogador de fundo de banco do qual joga apenas uns minutinhos no 2º ou 3º e fazendo uns garbages times (final do jogo onde já esta praticamente decidido o vencedor). Ele atualmente é meu BR favorito na NBA.

[todas as fotos são de autoria da NBA, exceto a foto do Raul Neto da qual é proveniente do jornal New Day]
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana