A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Resumo da 13ª rodada do Argentino: Tévez cala o Monumental, mudança na ponta e muito mais

O craque da rodada, Carlos Tévez (32), que ajudou o Boca a vencer o maior rival, contribuindo com 2 gols e 1 assistência. (Reprodução: @InformacionCABJ)
Na única rodada em que todos os placares saíram do zero, desde quando o torneio começou, tivemos o tão aguardado Superclássico, mais um tropeço do Estudiantes, agora vice-líder, além de outros grandes embates. Confira os destaques da rodada:

Aldosivi 1-1 Patronato

Na partida que abriu a rodada, o Aldosivi, que até aqui venceu apenas uma partida, recebeu o Rojinegro e chegou ao oitavo tropeço consecutivo. O zagueiro ídolo do Patronato, Walter Andrade, abriu o placar aos 34' da primeira etapa. No finalzinho da partida, já aos 86', o também zagueiro Alan Alegre, teve a alegria de empatar o jogo após passe de Arias.

San Lorenzo 3-2 Union Santa Fé


O treinador Diego Aguirre (51) segue seu bom trabalho à frente do Ciclón. (Reprodução: @SanLorenzo)
Já no sábado (10), tivemos um grande jogo no Nuevo Gasómetro. O San Lorenzo, que vinha de vitória contra o Olimpo, recebeu o Union e venceu mais uma, empatando em pontos com o ex-líder Estudiantes. Aos 30’ do primeiro tempo, o uruguaio Martin Cauteruccio abriu o placar cobrando falta. Na segunda metade, Blandi ampliou para o Ciclon, após passe de Cerutti. Aos 73', Franco Soldano diminuiu para os visitantes: 2-1. Com passe de Seba Blanco, Cauteruccio deixou o San Lorenzo numa boa, aos 83'. Um minuto depois, Guido Vadala marcou um golaço que fechou o placar.

Vélez Sarsfield 2-0 Atlético Rafaela

Em uma tarde ensolarada em Buenos Aires, o Vélez venceu La Crema com dois gols no segundo tempo. Aos 47', Cristian Nasuti abriu o placar após escanteio cobrado por Hector Canteros, ex-Flamengo. Cinco minutos depois, o experiente Mariano Pavone fechou o placar após vacilo da zaga adversária. O campeão mundial de 1994 segue sua recuperação no campeonato.

Talleres 1-1 Newell´s Old Boys

Jogando no La Boutique, o bom time do Talleres recebeu o Newell's e empatou pela terceira vez consecutiva. Aos 22', o atacante do NOB, Ignacio Scocco abriu o placar com uma bela cabeçada, só que contra o próprio patrimônio. Já nos acréscimos da etapa final, aos 94', o Newell's empatou com um gol chorado de Joel Amoroso, após passe de Scocco.

Racing 0-2 Olimpo

Racing saiu derrotado na última partida do ano no El Cilindro. (Reprodução: @RacingClub)
O Racing que vinha de derrota no clássico contra o Boca, perdeu mais uma e ligou o sinal de alerta. Os gols da equipe comandada pelo técnico interino Juan Barbas, foram anotados pelo zagueiro Víctor López e pelo volante Jonathan Blanco. Enquanto a partida ainda estava 1-0 para o Olimpo, o atacante Gustavo Bou teve a chance de empatar em cobrança de pênalti, mas a desperdiçou. Os comandados de Ricardo Zielinski foram vaiados após o apito final no El Cilindro.

River Plate 2-4 Boca Juniors

Festa xeneize no Monumental. (Reprodução: @BocaJrsOficial)
No domingo (11), tivemos o Superclássico de número 242. Em pleno Monumental de Núñez, os Millonarios foram goleados por 4-2 para o maior rival, que assumiu a liderança do campeonato. Mesmo jogando fora de casa, os Xeneizes não se intimidaram e abriram o placar com Walter Bou, aos 14', após passe de Carlos Tévez. O River virou ainda na primeira etapa, com gols da dupla Driussi, aos 34', e Alario, aos 40'.

Na segunda etapa, Marcelo "El Muñeco" Gallardo sacou Pity Martinez, Driussi e D'Ale, este último que saiu chorando, por saber que dificilmente voltará a jogar com a camisa do River no Monumental. Sem seus principais jogadores, o River viu Tévez empatar aos 60', após falha do goleiro Batalla. E virar, aos 81', com um dos gols mais lindos de sua carreira. Ainda deu tempo do ex-São Paulino Ricardo Centurion ampliar o placar para 4-2, nos acréscimos, dando números finais a goleada Xeneize.

Na próxima rodada, a 14ª do Campeonato Argentino, o Boca receberá o Colón, enquanto o River visitará o Olimpo. Antes disso, os Millonarios decidem a Copa Argentina contra o Rosário Central, na próxima quinta-feira.

San Martin 3-2 Estudiantes

O Estudiantes viu o Boca assumir a ponta. (Reprodução: @TodaPasion)
O Estudiantes tropeçou pela terceira vez seguida. Desta vez, contra o San Martin de San Juan, sendo derrotado por 3 a 2. Com a vitória do Boca, o novo líder, no Superclássico contra o River, o time de La Plata caiu para a segunda posição. Francisco Mattia, Facundo Barceló, e Emanuel Dening marcaram os gols do San Martin; enquanto o centroavante Lucas Viatri anotou os dois do Pincha. Com essa derrota, o Estudiantes estacionou nos 27 pontos, enquanto o Boca soma 28.

Rosário Central 1-2 Lanús

O atacante Lautaro Acosta (28), e o meia Alejandro Silva (27) foram os destaques contra o Rosário Central.  (Reprodução: @clublanus)
O Rosário Central, que preservou todos seus titulares para a final da Copa Argentina contra o River na próxima quinta-feira, viu seus reservas perderem em casa para o Lanús, que chegou aos 27 pontos e entrou na briga pelo título. O Central chegou a sair na frente, com gol da promessa de 17 anos Maximiliano Lovera, aos 49'. Porém, com gol de Lautaro Acosta, com assistência de Alejandro Silva aos 60', o Lanús empatou. E dois minutos depois virou, com participação dos mesmos jogadores, dessa vez Acosta deu o passe para Silva ampliar.

Atlético Tucumán 3-0 Quilmes

Recebimento incrível da torcida do Atlético Tucumán. (Reprodução: @ATOficial)
O Atlético Tucumán voltou a vencer em casa, após quatro meses. Com gols de David Barbona, Luis Miguel Rodriguez, e dele, do artilheiro Fernando Zampedri, o Atlético afundou o Quilmes, que tomou nove gols nos últimos três jogos, na crise. Essa foi a estreia virtual de Pablo Lavallén como técnico do Decano, que teve que assistir a partida da arquibancada, pois sua recisão com o San Martin ainda não chegou à AFA. Quem comandou o time de dentro do campo foi Luciano Precone.

Defensa y Justicia 2-0 Arsenal de Sarandi

No jogo que fechou a rodada, nessa segunda (12), o Halcón deu sequência à sua retomada e venceu o Arsenal jogando no Norberto Tomaghello. O jovem Nicolas Stefanelli abriu aos 60' o placar, e ampliou aos 91'. Esse resultado afunda ainda mais o Arsenal, que ainda não venceu no campeonato e amarga a lanterna, com pontos pontos de 39 possíveis.

OUTROS RESULTADOS:

Sarmiento 2-0 Tigre
Temperley 1-0 Godoy Cruz
Gimnasia y Esgrima 1-1 Belgrano
Banfield 1-0 Huracán
Colon de Santa Fé 0-2 Independiente

GOL MAIS BONITO DA RODADA:

Bela jogada de Centurión, que tocou para Pavón, que apenas deixou para Carlitos fazer um golaço:


SELEÇÃO DA RODADA:

GOL - Nereo Champagne (Olimpo): 8.6
LAD - Alexis Zarate (Temperley): 7.8
ZAG - Victor Lopez (Olimpo): 8.4
ZAG - Alexis Niz (Sarmiento): 8.0
LAE - Alexis Soto (Banfield): 8.0
VOL - Jonathan Blanco (Olimpo): 7.9
MEI - Alejandro Silva (Lanús): 8.1
MEI - Leonardo Gil (Talleres): 7.8
ATA - Carlos Tévez (Boca): 9.3
ATA - Nicolas Stefanelli (Defensa): 8.8
ATA - Lucas Viatri (Estudiantes): 8.8

(Com base nas notas do aplicativo Sofascore)

Classificação
Próxima Rodada
Artilharia

Por: Leonardo Domingues 

O figurado símbolo do futebol apático

Após engatar a segunda vitória consecutiva dentro de casa neste domingo (11), a Inter respira e segue em busca de galgar posições na tabela pensando em, ao menos, uma vaga na Champions League. O triunfo por 2 a 0 contra o Genoa garantiu os três pontos para a equipe e ânimo para a torcida, que se via desolada em meio a resultados desastrosos. Logo, devido ao placar, podemos concluir que a atuação foi empolgante e o resultado reflete claramente o que foi a partida, certo? Errado.

Stefano Pioli começou a partida no convencional 4-3-3, com três meias de pouca característica defensiva, porém com o dinâmico João Mário, jogador de ótima saída de bola e de grande reatividade nas transições, tanto defensiva quanto ofensiva, recompondo e permitindo a  Brozovic e a Candreva a compactação, auxiliando os laterais (principalmente a Nagatomo, por sua maior tendência em apoiar o ataque) nas jogadas ofensivas que passam pelos flancos do campo.

Embora a formação tenha sido ousada, foi da equipe genovesa as melhores chances, principalmente explorando a subida dos laterais e a fragilidade defensiva do meio para essa cobertura. Sem êxito nas saídas de contra-ataque devido, sobretudo, ao alto índice de erros de passe e as más atuações dos jogadores de frente, especificamente Palacio e Éder, a equipe Nerazzurri encontrou o caminho do gol após uma cobrança de escanteio que originou uma sobra para Brozovic, sozinho da entrada da área, abrir o placar em Milão.

O croata comemora o seu quarto gol em cinco jogos (Foto: Getty Images)
Notada a deficiência defensiva no setor de meio campo e a dificuldade em manter o controle da bola, o treinador partiu para as mudanças e colocou Felipe Melo. A opção pelo volante, que possui características exclusivamente de guarda, foi com intuito de conter a ímpeto adversário, que não parava de atacar. Ainda com vários erros de passe, sem conseguir impor seu ritmo e tornando a apatia e a mediocridade a tônica da (péssima) partida que fazia.

Eis que surgiu uma reação rápida iniciada por Brozovic, recuperando a bola, passando para João Mário e iniciando a jogada. Na sequência do lance, o português se desvencilhou de dois, chegou em profundidade e devolveu para o croata, que deslocou o goleiro e sacramentou a vitória milanesa. Depois do segundo gol, o time pôde ter uma tranquilidade maior, pois conseguiu a ocupação do meio campo de melhor forma com a entrada de Banega. Para a decepção de quem queria vê-lo em campo e dele próprio, Gabriel Barbosa, mais uma vez, viu a vitória de sua equipe do banco de reservas.

A vitória alivia, mas a atuação preocupa, o desconjuntado time de Pioli permanece com o marasmo e a morosidade que põe em xeque o sentimento do mais otimista dos torcedores. A Inter agora ocupa a nona colocação no campeonato com 24 pontos e encara o Sassuolo fora de casa no próximo sábado.

Do mais temido ao mais amado: O fenômeno Verdolaga vira uma paixão continental

FONTE: www.pasionfutbol.com
Por Marcos Paulo Fernandes Alves,

2016 foi um ano que o torcedor Verdolaga jamais se esquecerá em sua história. Belas campanhas nos campeonatos nacionais, culminando ainda com o belíssimo futebol apresentado na Copa Libertadores e na Copa Sulamericana fizeram com o que o time colombiano ganhasse respeito e notoriedade por todos aqueles que acompanham este esporte bretão pela América do Sul.

O futebol de um toque de bola moderno e refinado, aliado a exímia aplicação tática, fez com que o time de Reinaldo Rueda se tornasse uma potência soberana na América do Sul e que chegasse as principais finais continentais por conta do belo futebol apresentado. Mesmo com as ausências de nomes como Alejandro Mejía (foi para o Monterrey, do México). Jonathan Copete (foi o Santos) e Marlos Moreno (foi para o Manchester City), a sua espinha dorsal se manteve intacta e, cada dia que passava, o futebol do alviverde de Medellín só apresentava sinais de crescimento e evolução.

FONTE: twitter.com/nacionaloficial
Tudo poderia crer que o time colombiano iria ao Japão com uma dupla conquista continental para rechear ainda mais o seu arsenal histórico de grandes conquistas no futebol mundial e de que seria, um coadjuvante de luxo neste Mundial Interclubes da FIFA, que tem como protagonista, o time galáctico do Real Madrid. Mas o dia 28/11/2016, as 21h55 (no horário local de Medellín), mudaria completamente o rumo de toda esta narrativa que seria de mais uma final contra a nova sensação do futebol da América do Sul, a Chapecoense, para um momento de tragédia, dor e sofrimento, para um continente.

O avião da empresa boliviana LaMia, após gravíssima falha humana de seu piloto, colidiu com uma montanha próxima ao Aeroporto de Medellín, na cidade de La Ceja, vitimando 71 pessoas. Resultaram deste desastre, a morte de 19 jogadores do elenco da Chapecoense, 21 jornalistas brasileiros que fariam a cobertura deste jogo histórico para o time brasileiro, 25 membros da comissão técnica e da alta diligência da Chapecoense e do futebol catarinense e mais seis tripulantes a bordo nesta viagem de Santa Cruz de La Sierra (Bolívia) até Medellín. Somente seis sobreviventes, sendo três jogadores, dois tripulantes e o jornalista da RBS, Rafael Henzel.

FONTE: www.bonde.com.br
O acidente causou uma comoção em toda a América do Sul, e o time do Atlético Nacional, totalmente sensibilizado com os ocorridos pediu para que a Conmebol declarasse a Chapecoense como a campeã da Copa Sulamericana, como forma de homenagem e condolência ao que aconteceu e a campanha maravilhosa que o seu adversário de final havia feito. Não obstante a este fato, o clube, juntamente com o poder público e a população da cidade, resolveu fazer um ato fúnebre e ecumênico para o horário da primeira partida, contando com a participação de toda a sua delegação. O momento contou com um estádio inteiramente tomado pelos 45 mil lugares disponíveis e por mais de 100 mil torcedores, ao redor do estádio, acompanhando por telões espalhados nos arredores do Atanásio Giradot.

O fato, além de ter gerado uma comoção internacional, gerou um sentimento aceitação do clube colombiano que, vai ao Japão representar a gigante população do continente Sulamericano. Torcedores que se sensibilizaram com o ocorrido e que viram no clube Verdolaga, após sua belíssima atitude de Fair Play em prol a toda população de uma cidade que sofreste com a perda de seus entes queridos e com um país que ficou muito atônito com os ocorridos aos jogadores e jornalistas.

FONTE:  www.youtube.com

De fato, após sua bela vitória contra o Millonários, pelas quartas de finais do Colombiano, em casa e com a homenagem de sua torcida e jogadores no vestiário com os gritos de “Vamos, vamos Chape”, o apoio só aumentou e a torcida por esta conquista também. Que os comandados de Reinaldo Rueda possam fazer história na terra do Sol Nascente e trazer esta copa para a América, para honrar ainda mais o nome do futebol Sulamericano, principalmente do povo Chapecoense!!

FONTE:  www.youtube.com

Adelante Verdolagas!!!

Na raça também vale

No último domingo (11), o Chelsea recebeu o West Bromwich, em Londres, visando voltar a liderança da Premier League, que fora perdida um dia antes, já que o Arsenal venceu e alcançou a mesma pontuação do Chelsea, e tendo melhor saldo o passou. Para muitos a partida seria tranquila e os Blues teriam tudo para dar mais um espetáculo a sua torcida, o que não aconteceu.

David Luiz e o artilheiro após o gol da vitória. Fonte (Getty Images)
O West Brow, do técnico Tony Pulis, vinha de uma campanha muito consistente, ocupando a sétima posição do campeonato. Os Baggies vinham com uma proposta de ter uma defesa muito forte, tentar impedir o Chelsea de jogar e sair em velocidade para o contra-ataque. Já o treinador Antonio Conte promoveu uma mudança, Fabregas deu lugar a Matic, que voltava de lesão. O Chelsea veio com seu já conhecido 3-4-3: Courtois; Azpilicueta, David Luiz e Cahill; Matic, Kante, Moses e Alonso; Hazard, Pedro e Diego Costa.

A proposta do time visitante deu muito certo no primeiro tempo, o West Brow praticamente não correu risco e quando conseguia, saia em velocidade para o ataque. Os mandantes, que tinham a responsabilidade de atacar para recuperar a liderança, foi um time muito pouco criativo, sem conseguir impor pressão ao rival, deixando o primeiro tempo um jogo sem emoção.

Após poucas chances criadas no primeiro tempo, Conte até tentou mudar a postura do time na segunda etapa, mas sem resultado. Willian entrou na vaga de Pedro e Fabregas na de Moses, na tentativa de dar mais criatividade ao time. Mas não foi na base do toque de bola que saiu o gol. Aos 31 minutos, quando o jogo parecia se encaminhar para um chato 0-0, Diego Costa brigou pela bola na linha de fundo com McAuley. O atacante espanhol recuperou a bola, invadiu a área e praticamente sem ângulo chutou na gaveta de Foster, marcando um lindo gol, de pura raça.

Com um gol de pura raça, Diego fez o gol que deu novamente a liderança aos blues. Fonte (Reuters)
Após abrir o placar, o Chelsea recuou e apenas esperou o final de jogo, já que o West Brow não conseguia fazer muita coisa com a bola no pé, e assim se encerrou a peleja. Com a vitória, além de recuperar a liderança, o Chelsea atingiu uma marca que não alcançava desde 2007, nove vitórias consecutivas. Falando sobre o jogo, não foi uma grande atuação dos Blues, muito longe de seus últimos jogos, mas em jogos como esse o mais importante é vencer, e não deixar esses pontos importantíssimos em casa escapar. Já na próxima quarta-feira, o Chelsea enfrenta o Sunderland, fora de casa, e com certeza a torcida espera mais uma vitória contra o lanterna do campeonato.

Tá em crise? Chama o Tottenham

Lembra o amigo que citei na semana passada? Por via das dúvidas o convenci a almoçar fora no domingo, coincidência...

Finalmente vem jogando com constância e o melhor jogando bem. (Getty Images)
É engraçado como existem alguns jogos, que por mais que o adversário tenha um bom time, o histórico pesa contra ele (lembra que Ferguson adorava jogar contra o Tottenham, principalmente em estreias?), pois o histórico nos era tão favorável que já ajudava em diminuir a pressão da primeira rodada.

Neste domingo (11) não foi diferente do que vem acontecendo historicamente. E finalmente voltamos a vencer na Premier League, por 1 a 0, uma vitória bem magra é verdade, mas o que importa são os três pontos na tabela de classificação.

O jogo foi bem interessante e vejo que nas últimas partidas estamos conseguindo mostrar um padrão de jogo, bem diferente do que gostaríamos, pois é um padrão defensivo com contra-ataque forte. Verdade que precisamos melhorar muito nosso percentual de acerto nas finalizações, são muitas tentativas para poucos gols, mas acredito que vamos chegar lá.

Finalmente vamos conseguindo criar um padrão de jogo. (Getty Imagez)
Pogba e Ibra vêm jogando de forma consistente; Martial vem recuperando o futebol que tanto nos encantou; De Gea não tem nem o que falar é a segurança nas nossas balizas; Phil Jones outra grata surpresa, apesar de ver um grande potencial nele; e Mkhitaryan finalmente começou a jogar, uma pena ele ter novamente se lesionado, sorte que parece não ser nada grave.

Na última quinta-feira (08), mais uma vitória tranquila na Europa League. E nesta segunda-feira (12). Teve o sorteio das fases de mata-mata e vamos jogar contra o Saint-Etienne, no dia 16/02, em Old Trafford, e no dia 22/02, na França. É adversário para "passar o carro por cima", mas como o futebol é traiçoeiro, é melhor esperar.

É isso aí gente, estou terminando por aqui, mas apesar do fim de ano estar chegando a Premier League vai esquentando e nesse período podemos nos concentrar exclusivamente nela, torcendo para pontuar bem nessas rodadas, GGMU!

Missão de Karanka é melhorar sistema ofensivo do Middlesbrough

No domingo (11/12) o Middlesbrough foi até Southampton enfrentar os Saints que vinham de uma má fase reforçada pela eliminação na Liga Europa para o modesto Hapoel Beer Sheva de Israel. Para muitos essa seria uma boa oportunidade do Boro, mesmo fora de casa, arrancar três pontinhos pra ajudar na campanha, que tem como meta, fugir do descenso, um retorno precoce a Championship na próxima temporada.

Boufal e De Roon na imagem. Fonte: Mirror
Com um ataque fraco e poder de criação praticamente inexistente, reforçado pelas ausências de Negredo e Gastón Ramirez, o Middlesbrough não fez novamente um bom jogo e foi vencido pelos Saints com o placar de 1x0. Aliás, para acrescentar, Boro e Southampton fizeram um jogo irritante e sem muitas emoções, algo que já era previsto por duas equipes que são conhecidas por seu estilo de jogo defensivo.

O técnico Aitor Karanka é conhecido por dar padrão defensivo às equipes que treina. Mas será que isso implica em falta de criação no meio para municiar os atacantes? Fato é que, o Middlesbrough possui números ofensivos bem ruins até aqui, são 13 gols marcados em 15 jogos, é o ataque mais pobre da competição e para se manter na Premier League sem passar sustos, irá ter que fazer melhor do que tem feito até agora. Karanka já ajustou a defesa, que é uma das menos vazadas na competição, agora é hora de ajustar o ataque para se manter longe das últimas colocações.

Hoje o Middlesbrough é o 16º colocado com três pontos há mais que o Swansea, o primeiro na zona do rebaixamento. Próximo jogo do Boro será contra o Liverpool que não vence há dois jogos. O confronto será nesta quarta-feira (14/12), no Riverside Stadium, às 17h45 (horário de Brasília).

Aitor Karanka. Fonte: Chronicle Live
Por: Ronaldo Lopes / @ronaldolopes777
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana