A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

O garoto das estreias colocou fogo no jogo

Há alguns anos que não conseguíamos uma sequência sem derrotas como a que estamos vivendo hoje. Desde que Sir Alex Ferguson se aposentou que não emendávamos uma assim: São 13 jogos sem perder e tem caixa para mais.

As bolhas são sempre legais, mesmo longe de Upton Park, consegue manter o charme. (MUFC/Getty)
Tivemos um jogo duro nesse segundo dia do ano, fora de casa contra um adversário que, apesar de estar mal na tabela, sempre é muito perigoso. O West Ham, para mim, é um dos jogos mais charmosos de se jogar fora de casa. Verdade que perdeu um pouco com a mudança para o estádio olímpico de Londres, mas o campo cheio de bolhas de sabão antes do inicio da partida é sempre muito legal.

Mais um jogo em que dominamos e, mesmo não criando tantas oportunidades, que tivemos um domínio de campo e de ações, onde dificilmente perderíamos esta partida. Lógico que um pouco disso se deve à expulsão, logo no início, de Feghouli do West Ham. Mas pelo o que vimos nos últimos jogos esse domínio vem acontecendo constantemente.

250 partidas de De Gea no gol Manchester e Mourinho chegou a 13 partidas sem perder, comemoração merecida. (Reuters)
Para mim, a entrada de Rashford foi de fundamental importância. Apesar de muitos acharem que ele está pior na sua segunda temporada, a meu ver isso é mentira. Ele é um atacante goleador e já entendeu que tem que se adaptar às novas posições para ganhar espaço na equipe, já que o titular, indiscutivelmente, é Ibrahimovic. O "garoto das estreias" vem correndo por fora e ganhando seu espaço. Mesmo que nesse ano seja muito difícil, ele tem tudo pra ser o nosso principal atacante num futuro próximo. Ele tem tudo que se precisa para um atacante: Faro de gol, velocidade, posicionamento e, o principal, estrela.

Nossa vitória fora garantida através de gols de Mata e Ibrahimovic. Outro destaque foi nosso paredão, que, quando acionado, fez grandes defesas, inclusive uma cara a cara no lance anterior ao nosso primeiro gol. Com isso, o goleiro conseguiu assim fechar a sua partida de número 250 sem sofrer gol, uma marca respeitável.

Juan não se faz de rogado, ele Mata! Primeiro gol do jogo foi do espanhol. (MUFC/Getty)
Teremos uma pausa na Premier League pois iremos jogar duas partidas por copas inglesas. Primeiro no dia 7 de janeiro contra o Reading em Old Trafford na estreia da FA Cup - o campeonato mais antigo do mundo. Depois, contra o Hull no dia 10 de janeiro também no Teatro dos Sonhos pela semifinal da Copa da Liga. A Premier League só volta no dia 15 quando iremos jogar o clássico mais importante do país contra o Liverpool. São três jogos em casa e a esperança é de eu possa voltar a escrever nossa coluna com três vitórias para comentar. Fico por aqui na torcida junto com vocês, GGMU!

Sem CR7, James brilha e Real abre vantagem na Copa do Rei

(Foto: Victor Ramos II)
Em jogo válido pela ida das oitavas da Copa do Rei, o Real Madrid recebeu o Sevilla nesta quarta-feira (04), no Santiago Bernabéu, em Madri. O confronto ocorreu exatamente no dia que Zidane completava um ano à frente da equipe e o técnico teve alguns desfalques importantes. Entre eles, Pepe, Sérgio Ramos, Lucas Vásquez e Bale ficaram de fora por lesão, enquanto Cristiano Ronaldo foi poupado.

Mesmo com um time bastante modificado, os Merengues começaram muito bem a partida, marcando forte, abusando da velocidade no ataque e não demorando em abrir vantagem. Aos 10', Casemiro se antecipou, interceptou o passe de Mercado e tocou para James, que marcou um belo gol. Aos 28', Varane aproveitou a cobrança de escanteio de Toni Kroos, marcou de cabeça e ampliou a vantagem.

Apenas aos 33', o Sevilla teve a sua primeira oportunidade, desperdiçada por Correa. O jogador bateu prensado e Casilla defendeu. No rebote, Iborra, sem goleiro, mandou para fora. Porém, aos 43', quem marcou foi o Real Madrid. Após um pênalti sofrido por Modric, James converteu, marcou o seu segundo na partida e o terceiro gol madridista.

Já no segundo tempo, o Real Madrid conseguiu administrar, deu poucas chances ao Sevilla e segurou o placar, garantindo uma boa vantagem para o jogo de volta. Uma excelente vitória, contra um adversário muito difícil e mostrando que temos elenco para disputar todas as competições e brigar pelo título em todas.

(Foto: Victor Ramos II)
Sem dúvidas, o destaque da partida foi James Rodrigues, que muitas vezes vinha sendo “ignorado“ pelo técnico Zidane. O colombiano foi muito participativo do jogo, deixou a sua marca duas vezes e demonstrou mais uma vez que tem potencial para ser utilizado na equipe. Vamos torcer para que ele repita mais vezes esse tipo de atuação.

O próximo compromisso merengue será no dia 7, contra a equipe do Granada, pelo Campeonato Espanhol. Já o jogo de volta contra o Sevilla, será no próximo dia 12.

Alguns números de Zidane no comando do Real Madrid:

- 54 jogos;
- 41 vitórias;
- 11 empates;
- 2 derrotas;
- 3 títulos (Champions League, Supercopa da UEFA e Mundial de Clubes da FIFA);
- 38 jogos de invencibilidade e contando.

Por: Matheus Aguiar
Twitter: @SiteLF / @LFEuropa

O pesadelo do Crystal Palace

Um pesadelo que vai se tornando real! A vida do Crystal Palace entrou em um espiral descendente. A angústia é ainda maior por Selhurst Park, o caldeirão de outrora, o lar de uma das mais fanáticas torcidas de toda a Inglaterra, tida como a mais "Sul-americana" da ilha britânica, ter se transformado em um antro de derrotas, decepções e precipitações.

O Palace que iniciou a temporada de maneira satisfatória, se encaixando na primeira metade da tabela, dando mostras de que desta vez as Águias iriam se qualificar a disputa de uma vaga na UEFA Europa League. Foram investidas milhões de libras em contratações para suprir algumas carências da equipe. Benteke que foi destaque no Aston Villa e vinha de ano decepcionante no Liverpool, chegava para eliminar a falta do poder de definição em um ataque rápido, habilidoso e perspicaz com Zaha e Puncheon remanescestes da última temporada.

A questão é que, passado o excelente início de Premier League, que pese ainda as duas derrotas nas primeiras rodadas, mas de maneira global, sim, foi um ótimo início de competição. O Palace parece ter esgotado a sua cota de sucesso, a equipe que continua com suas quatro vitórias agora em 20 rodadas, 75% das vitórias aconteceu nas seis rodadas iniciais, portanto três vitórias que levaram o Palace à época ao 7º lugar e bem próximo da briga por competições europeias. Da sétima rodada em diante a sequência do Palace é tenebrosa, (1V - 3E - 10D) apenas 14% de aproveitamento, acerácea que credencia o Palace a ser um integrante da zona de rebaixamento, mas levando em conta somente este recorte da competição, as Águias seriam o último colocado da competição.

Na noite de terça (03), pouco mais de 48 horas passadas do confronto contra o Arsenal, um novo desafio se apresentou e desta vez um jogo de "vida ou morte" contra um adversário que se encontrava na zona de rebaixamento e que na primeira metade do campeonato já havia vencido o Palace. Portanto para tentar sua primeira vitória no comando e estreando em Croydon, Big Sam mandou a campo: Hennessey, Kelly (Mutch), Tomkins, Delaney, Ward, Ledley, Puncheon, Townsend (Sako), Cabaye, Zaha e Benteke (Campbell).

Big Sam ainda não venceu no comando das Águias. Reprodução/Twitter Oficial do Crystal Palace.
O Swansea que no primeiro encontro com o Crystal Palace venceu em um jogo maluco de nove gols, se sentiu a vontade na primeira etapa em Selhurst Park, mesmo diante da barulhenta e sempre participativa torcida do sul de Londres, que compareceu em peso lotando as arquibancadas com expressivos 24.913 espectadores. A equipe do País de Gales comandou as ações, dominando a primeira etapa e foi recompensada aos 42 minutos com um gol que nasceu de uma cobrança de escanteio na ponta esquerda e que definiu o marcador nos primeiros 45 minutos, 1-0 Swansea.

Na volta do intervalo o Palace mostrou vontade e brigou contra o resultado, disposto a reverter à situação delicada que se instaurava, a luta das Águias foi recompensada aos 38 minutos. A jogada se iniciou em um lateral cedido pelo adversário, a bola transitou da esquerda para direita, até chegar aos pés de Kelly na ponta direita, com muito capricho ele fez o levantamento na área, quase na linha da grande área e lá estava Zaha que com um belíssimo voleio completou para as redes igualando o marcador.

Zaha marcou o gol do Palace. Reprodução/Twitter Oficial do Crystal Palace.
Mas dois minutos depois Leroy Fer descolou um passe sensacional para Rangel decretar a continuidade da maré de péssimos resultados que se instalou permanentemente no Palácio de Crystal, 2-1 para o Swansea, outra vez o Palace deixou escapar pelos dedos um resultado na Premier League, sempre com requintes de crueldade, assim como a perigosa porém súbita aproximação da zona de rebaixamento que agora está a apenas um ponto de se concretizar. São 14 jogos e apenas uma vitória desde a 6ª rodada, no total da temporada (4V - 4E - 12D) e 16 pontos, a um ponto da zona e a três da lanterna, se faz necessária um reação e muito rápido.

Próxima partida do Crystal Palace pela Premier League:
14 de Janeiro - 13h (hora Brasília) - London Stadium.
West Ham x Crystal Palace.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Crystal Palace
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana