A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Com os jovens, Liverpool não consegue vencer o Plymouth

E a FA Cup começa em Anfield (Foto:Liverpool FC)
Neste domingo (08), O Liverpool fez sua estreia na FA Cup, o torneio de futebol mais antigo do mundo. O técnico dos Reds, Jürgen Klopp, colocou em campo o time mais jovem da história do clube, com uma média de idade de 21 anos. No campo podíamos ver jogadores bem promissores como Ben Woodburn, Ovie Ejaria, Trent Alexander-Arnold e o retorno de Joe Gomez, que se lesionou em 2015.

O adversário desta vez foi o Plymouth Argyle, time que disputa a League Two, quarta divisão inglesa. Para times menores, a FA Cup é a perfeita oportunidade de a zebra pintar e foi o que aconteceu em Anfield, com o Plymouth segurando um empate em 0-0.

Pra quem torce pro Liverpool já deve saber que o time tem uma dificuldade tremenda quando enfrenta times que "estacionam o ônibus", e era de se esperar que o Plymouth abordasse essa estratégia de jogo. Contudo, mesmo se o Plymouth começasse o jogo se defendendo com 11 jogadores atrás da bola, a tendência era de que uma hora os Reds achariam espaço, mas isso não aconteceu.

Incrivelmente, a defesa do Plymouth foi sólida todo o jogo e os jogadores realmente se comprometeram à ideia de jogo proposta pelo técnico Derek Adams. O trabalho defensivo foi muito bom, pois se um dos jogadores do Plymouth perdesse a jogada, já era possível ver um jogador na cobertura, algo que fez com que o Liverpool tivesse uma dificuldade enorme para encontrar espaço.

No começo da partida, o Liverpool colocou muita pressão no Plymouth, criando algumas chances, mas nenhuma com muito perigo. Após os 15 minutos, a partida se transformou em um jogo de apenas um campo, somente com o goleiro no campo de defesa do Liverpool, mas, novamente, o time não achava espaço.

Ojo batalhando pela bola (Foto:Liverpool FC)
Mesmo com o imenso talento de Sheiy Ojo, partindo pra cima dos defensores e tentando encontrar o chute, as chances de gol eram limitadas. O Liverpool conseguiu criar duas chances no primeiro tempo para abrir o placar: Uma com Woodburn, que acabou sendo travado na hora do chute e a outra com o próprio Ojo, mas sua cabeçada saiu para baixo, facilitando para o goleiro do Plymouth, que defendeu com facilidade.

No segundo tempo era de se esperar que conseguíssemos abrir o placar, mas a zaga do Plymouth continuava sólida, especialmente o zagueiro Sonny Bradley, que foi o destaque da partida. Klopp fez mudanças, colocando Sturridge, Lallana e Firmino no jogo.

Sturridge teve boas chances com chutes de fora da área, que passaram muito perto do gol. Lallana e Firmino não transformaram o time do Liverpool e o jogo acabou empatado, o que significa que haverá um replay, que será realizado no estádio do Plymouth no dia 18 de Janeiro.

Tivemos vários exemplos nessa partida de como a FA Cup é uma competição mágica. A torcida do Plymouth não parava de cantar e estavam em peso em Anfield, com mais de 9.000 fãs. Ao apito final, os jogadores comemoram o empate como se fosse uma vitória, pois ter um jogo de volta em sua casa contra um dos maiores times europeus é algo muito grande para um time de quarta divisão, especialmente porque será um jogo transmitido para todo o mundo.

Resultado de imagem para plymouth argyle fans at anfield
Torcida do Plymouth se apresentando em peso (Foto: Plymouth Herald)
As mudanças no time de Klopp são discutíveis, pois o Liverpool enfrenta o Southampton na quarta-feira (11), pelas semifinais da copa da liga Inglesa contra e no domingo temos um dos confrontos da temporada contra o Manchester United, um jogo que certamente queremos ganhar, depois do empate em casa onde o time de Mourinho se defendeu durante os 90 minutos.

Vou me despedindo por aqui, YNWA!

Gabriel Coelho: @gabrielcoelhof_
Linha de fundo: @SiteLF / LFEuropa

Ano novo, liderança renovada

No último domingo (08) a Juventus bateu o Bologna pelo placar de 3x0, no Juventus Stadium, abrindo 4 pontos de vantagem para a segunda colocada Roma, sendo que temos um jogo a menos.

Nosso allenatore Max Allegri colocou a Juventus em campo em um 4-3-1-2 da seguinte forma: Neto; Lichtsteiner, Barzagli, Chiellini, Asamoah; Marchisio, Khedira, Sturaro, Pjanic; Dybala e Higuain.

Há certo consenso de que as melhores atuações da Juventus na temporada ocorreram com um trio de meio campistas a frente da zaga, dando uma sustentação maior na transição para o ataque, sendo fundamental a participação de um jogador de porte físico nesta engrenagem, papel que atualmente vem fazendo Stefano Sturaro.

O brasileiro Neto foi titular na meta da Juventus no lugar do gripado Buffon. Foto: Juventus.com
Exatamente neste pensamento foi realizada a contratação do venezuelano Tomás Rincón (demais detalhes na análise desta contratação feita por Thiago Bonapace), que vem para agregar vigor neste mutante meio campo bianconero.

A Juventus se impôs desde o começo da partida. Logo aos 6 minutos de jogo, em jogada trabalhada pelo meio campo, Pjanic rasgou a defesa do Bologna em um lançamento central para Higuaín, que de primeira bateu forte, abrindo o placar para nós.

As duas contratações badaladas da temporada vem dando retorno esperado. O bósnio vem contribuindo com cinco assistências, participações em jogadas e cinco gols. Pipita Higuín vem sendo o melhor jogador da Juve no campeonato italiano. Ao todo são 18 presenças do nostro bomber na temporada e 12 gols.

O segundo gol da Juventus nasceu no pênalti sofrido por Sturaro na entrada da área. Dybala, que havia perdido o pênalti na decisão contra o Milan na Supercopa, não fugiu da responsabilidade e guardou. Quem sabe serve para tirar a “nhaca” que ronda La Joya desde que voltou de lesão.

Já na etapa final, tivemos uma boa jogada de Lichtsteiner pela direita, que tocou para Khedira, que de primeira devolveu em velocidade para o suíço, que, na velocidade ganhou de seu marcador e cruzou na medida para Higuaín selar o placar em Torino. Bom lance para dar moral a Stephan, que será titular indiscutível até o retorno de Dani Alves.

Com a provável saída de Evra, Asamoah torna-se a única opção para a reserva de Alex Sandro. Foto: Juventus.com
A vitória contra o Bologna marcou um recorde para a Juventus: 26 vitórias seguidas em casa em jogos do campeonato nacional.

Juan Cuadrado, Tomas Rincon e Mandzukic ainda entraram na segunda etapa nos lugares de Khedira, Pjanic e Higuaín. O pouco tempo em campo não foi suficiente para ver como o venezuelano sentirá a camisa bianconera.

Buffon não jogou por conta de uma gripe. Para o jogo contra a Atalanta, válido pela Coppa Italia a tendência é que Neto continue na meta da Juventus. Dani Alves ainda não tem data certa para o retorno. Bonucci retornou ontem aos treinamentos junto com o grupo e dizem que Alex Sandro pode voltar a treinar na semana que vem. Há esperanças de que Pjaca seja relacionado para o jogo de quarta (mais conhecido como amanhã, dia 11) após longo período de inatividade.

Allegri diz que nosso grande reforço de janeiro será o retorno do jovem croata comprado a peso de ouro. Vamos torcer para que Pjaca retorne bem e demonstre seu futebol.

Tomás Rincon chegou, já estreou. Dizem que Evra pode estar de saída para o futebol francês ou até para o Manchester United, onde a partir de agosto deste ano poderia assumir um cargo na comissão técnica do português José Mourinho. Para seu lugar especulam Sead Kolasinac, lateral-zagueiro de 23 anos de nacionalidades alemã e bósnia (defende a seleção principal da Bósnia) que atua no Schalke 04.

Dizem que Kolasinac estava nos planos da Juventus para vir de graça em julho, mês que termina seu contrato, porém, com a iminente saída de Evra, dizem que Marotta está disposto a oferecer aos alemães a quantia de € 3 milhões para contar com o jogador já nesta janela de inverno europeu.

Outras especulações menos fortes chegam do futebol francês. Dizem que o Lyon quer mais de € 30 milhões por Tolisso. A negociação ficaria para o meio do ano. Witsel foi mesmo para o futebol chinês para receber alguns caminhões de dinheiro. Essa novela pelo menos terminou.

Amanhã, (11) enfrentamos a Atalanta pela Coppa Italia. É nossa estreia, dizem que Allegri pode iniciar o jogo com Pjaca, Cuadrado e Mandzukic na frente, dando maior rodagem ao elenco.

Miei amici, o papo está bom, mas la storia c'è finita!

Fino alla fine, FORZA JUVENTUS!

Vittorio Venturini

Botafogo-SP na Copinha: Sete pontos, primeiro lugar no grupo, e o Vasco pela frente

Nesta semana, no dia 2, começou a competição mais famosa no mundo do futebol nacional de base. A Copa São Paulo de juniores, com mais de 120 times inscritos, e entre eles o Pérolas Negras, time Haitiano, que joga a competição pela segunda vez.

O Fogão, claro, mais uma vez formou um time de garotos habilidosos e com potencial, para tentar brigar mais uma vez pelo título da competição, que bateu na trave nos anos de 1983, quando perdeu a final dentro do antigo Palestra Itália para a equipe do Atlético Mineiro, e em 2015, quando dentro do Pacaembu, a equipe caiu para o Corinthians.

O Botafogo, que ao longo dos anos se acostumou a revelar grandes jogadores para o cenário do futebol nacional – jogadores como Raí, Sócrates, Doni, Cicinho, Bordon, Geraldão, entre outros – conta com a competência de Rodrigo Fonseca, para que assim como no ano em que foi finalista pela ultima vez, em 2015, possa aproveitar bastante os garotos da base. Valores como Filipe, Mancini e Isaac Prado, foram um dos que fizeram boa campanha neste ano, e depois ingressou o time profissional com destaque.

OS JOGOS

Foto: BotafogoSP
O torneio para os meninos do Pantera começou um dia após o início oficial da competição. No dia 3 de janeiro, em uma terça-feira, os garotos entraram em campo para o primeiro desafio na Copinha. Diante do dono da casa, o Independente de Limeira, o time comandado por Rodrigo Fonseca estreou na competição, visando a melhor das colocações.

O jogo não foi do melhores. Ainda muito nervoso, e tímido taticamente, os garotos tricolores não levaram muito susto do time da casa, mas também respeitou o adversário nos 90min, o que deixou o jogo propicia a um empate sem gols.

Foto: Globoesporte.Com
No segundo jogo, a primeira vitória. Diante de um rival desesperado pela vitória, o Botafogo entrou com a obrigação de vencer a partida, para não ser eliminado precocemente da Copinha. O Fortaleza, adversário da vez, tinha como propósito, o mesmo objetivo.

Mas quem saiu com a vitória foi o tricolor de Ribeirão. Com gols de Rodrigo Santos, de pênalti, e de Bruno, o Botafogo conseguiu o resultado que precisava, e pulou para a primeira colocação de seu grupo. O Fortaleza ainda no fim da partida diminuiu o marcador, com gol de Dênis, mas de nada adiantou. O time Cearense estava eliminado da competição.

Foto: O Liberal
Os meninos do Pantera precisavam de um empate para avançar a segunda fase, e o adversário na última rodada do grupo foi o Rio Branco, time de Americana.

Porém, a vontade dos meninos tricolores foi tanta, que ao fim da primeira etapa o time Botafoguense já vencia a partida por 3 a 0, e um futebol de gente grande, com superioridade técnica enorme sobre o time rival. Geissandro, Júlio Vaz e Teixeira foram os nomes dos gols no 1º tempo. Na volta do intervalo, logo no começo, Souza fez o gol que fechou o marcador, e garantiu mais três pontos, e a liderança da chave.

2ª FASE

O Botafogo passou para a 2ª fase da Copinha com a liderança de seu grupo, seguido pelo Independente, time da casa, que também se classificou. O tricolor de Ribeirão enfrenta agora o Vasco da Gama, uma das forças do RJ, nesta terça-feira, dia 10, às 16h, em Limeira, no estádio Agostinho Prada.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana