A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 22 de janeiro de 2017

Canary Review - Somos Jonny Howson



  
Os Canários voltaram a vencer na Championship. O resultado positivo contra o Wolverhampton trouxe um pouco de alívio ao bordo do clube, principalmente para a situação atual de Alex Neil, técnico do time.

O Norwich dominou o jogo praticamente todo, abrindo o placar com Naismith no primeiro tempo, que terminou com o 1 a 0 no placar. Eis o segundo período de jogo se inicia e, aparentemente, o ritmo igual. Norwich pressionando os visitantes, chances perdidas por Jerome – juro que esse texto é novo, não é reprisado, apesar de soar como um flashback – e com os erros vem o ditado “quem não faz... leva!”.

Logo após Jerome desperdiçar ótima chance, no contra-ataque Ivo Pinto, lateral-direito, um dos destaques tá fraca temporada canária, faz pênalti e Hélder Costa marca. É como disse anteriormente, dominamos praticamente o jogo todo, praticamente. Por felicidade nossa temos Howson! Ele que desarmou bolas, criou jogadas, e até marcou. Noite perfeita para nosso meio-campista.

Desde o primeiro tempo muito ativo, Howson foi peça importante para o jogo de hoje, ele quem deu o passe para Hoolahan invadir a área e receber pênalti, goleiro do Wolves expulso e convertido por Brady. Nos momentos finais, voltamos a pressionar, mas errando muito, Pritchard entrou mostrando serviço garantiu escanteio logo em seu primeiro momento, ao cobra-lo, a bola sobra para Howson chutar, contar com a sorte do desvio e ampliar o placar para os Yellows.

Merecido demais! Jonny Howson ou como os torcedores o chamam “Super Jonny Howson” são um dos poucos nomes que transmitem esperança para essa temporada do Norwich. Há chance de play-offs? Não sabemos. Mas já que dirigentes não mudam e não fazem nada pelo time, o jeito é acreditar no que temos disponível atualmente.

Lucas La Torre

Gols do jogo:



Acompanhe os Yellows em:

SoundCloud: https://goo.gl/oeH8JR


#OTBC

Sampaio vence o Santa Quitéria na estreia do Maranhense 2017

O Sampaio Corrêa recebeu o time do Santa Quitéria, jogo válido pela primeira rodada do Campeonato Maranhense 2017, neste sábado (21), às 16h30, no Estádio Castelão, e venceu pelo placar de 2 x 0. Com a vitória, a Bolívia Querida lidera o Grupo A com três pontos.

A Bolívia Querida fez o seu dever de casa ao vencer o Santa Quitéria (Foto: Elias Auê)
O atacante Henrique foi o destaque da partida, anotando dois tentos. O gol que abriu o placar foi marcado ainda no primeiro tempo, aos 23 minutos. O maranhense chutou de fora da área e contou com um desvio para encobrir o goleiro adversário. O resultado foi definido no segundo tempo, aos 9 minutos. Após ótima jogada na linha de fundo, Fernandinho rolou na entrada da pequena área para o centroavante Carlos Alberto, que chutou, mas a defesa adversária afastou e na sobra, Henrique estufou a rede.

Análise do jogo

Para um início de temporada, com um time ainda em montagem, com jogadores importantes no estaleiro, com pouco entrosamento e ritmo de jogo, diante de um adversário que entrou em campo com a proposta de marcar bem e partir em contra-ataque, o Sampaio não teve grandes dificuldades para vencer, apesar dos riscos corridos em cobranças de faltas na entrada da sua área.

Diante desses argumentos iniciais, não se pôde analisar a fundo se o 3-5-2 montado pelo técnico Vinícius Saldanha será eficiente durante o campeonato, mas percebeu-se a possibilidade de variações de esquema durante o jogo. Otávio, um dos três zagueiros, em alguns momentos assumia a lateral esquerda para os avanços de Esquerdinha, então Alex Maranhão e Breno ficavam fixos na zaga. Outra variação vista em campo foi o avanço de Alex para o meio de campo para fazer a cabeça de área.

No segundo tempo, o zagueiro da base Thiago Tomais, que disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior 2017 e também é polivalente, substituiu a Otávio e o esquema se manteve. Zé Leandro entrou em campo na segunda etapa no lugar do lateral direito Arthur, dois estreantes com a camisa tricolor, e deu uma melhor movimentação ao setor. O volante Cloves, apesar de ter cometido muitas faltas, foi um tanto eficiente na distribuição do jogo do meio de campo para frente, assim como na presença no ataque. Valderrama fez um primeiro tempo razoável, mas, na segunda etapa, teve uma queda de rendimento e não foi tão bem.

O goleiro Jean foi bem, apesar de uma lambança no primeiro tempo que resultou em um gol do Santa Quitéria, anulado pelo árbitro, alegando carga faltosa no arqueiro tricolor. No primeiro tempo, defendeu uma falta rasteira cobrada por Pedro Júnior, na qual a barreira encobria a sua visão. Em outras oportunidades, fez defesas seguras.

O meia Fernandinho teve boa participação no jogo, arriscando dois chutes da entrada da área no primeiro tempo e, no segundo tempo, desperdiçando duas ótimas chances cara a cara com o goleiro, pois não teve a frieza e a calma necessárias para escolher o melhor canto para finalizar e aumentar o placar. Carlos Alberto também teve uma boa chance, arriscando da entrada da área, mas a bola passou rente à trave. No mais, ele não recebeu tantas bolas com qualidade para finalizar.

O próximo adversário do Tricolor de São Pantaleão no Maranhense será o São José, no dia 01 de Fevereiro, mas antes disso o Sampaio viaja a Recife para enfrentar o Sport pela abertura da Copa do Nordeste, no dia 25/01, quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília).

FICHA DO JOGO:
SAMPAIO CORRÊA 2 X 0 SANTA QUITÉRIA

Local: Estádio Castelão, São Luís (MA)
Data: 21 de Janeiro de 2017
Horário: 16h30 (local)
Árbitro: Maykon Matos Nunes
Gols: Henrique, aos 23’ 1º T e 9’ 2º T (Sampaio)

Sampaio Corrêa: Jean; Breno, Alex Maranhão e Otávio (Thiago Tomais); Arthur (Zé Leandro), Valderrama, Cloves, Fernandinho e Esquerdinha; Henrique (Cleitinho) e Carlos Alberto. Técnico: Vinícius Saldanha.

Santa Quitéria: Solan; Dellacy, Negueba, Patrick e Pedro Júnior; Rodrigo (Davis), Anderson, Tim Marco, Anderson e Marllon (Marciano); Jonas e Alex Campo (Rogerinho). Técnico: Marquinhos Fumê.

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Era Son que nos faltava

Na partida mais aguardada da 22ª rodada, o Tottenham foi até Manchester neste sábado (21), para enfrentar o City, no Etihad Stadium. Todos os holofotes giravam em torno de uma possível estreia de Gabriel Jesus, mas independentemente dela ocorrer ou não, o fato é que, nós Spurs nem estávamos pensando nisso. Precisávamos manter o bom retrospecto no segundo turno jogando fora de casa, o que mais nos faltou na primeira metade do campeonato, já que o aproveitamento dentro do White Hart Lane chegou próximo da plenitude.

Son Heung-min celebrates scoring their second goal
O coreano evitou o pior e garantiu ponto em Manchester (Foto: Jason Cairnduff / Reuters)
Vindo de seis vitórias consecutivas, os londrinos tiveram uma única mudança no setor defensivo, devido à lesão de Vertonghen. Entre tantas opções que tinha, Maurício Pochettino optou pela mais óbvia, escalando Wimmer na linha de três defensores. A escolha não alterou a formação e a equipe começou o jogo no já conhecido 3-4-3 – Lloris; Dier, Alderweireld e Wimmer; Walker, Wanyama, Dembélé e Rose; Eriksen, Alli e Kane.

Se tratando de um adversário que também gosta de ter a posse de bola, poderíamos esperar um jogo bastante disputado. E foi justamente o que os primeiros minutos mostraram, ambas as equipes tentaram pressionar a saída de bola, porém os mandantes foram quem tiveram mais presentes no último terço de campo. A boa movimentação do City causaram as primeiras chances do jogo e dois cartões amarelos para Dier e Wimmer.

A melhor defesa do campeonato até então teve uma atuação atípica e a ausência de Vertonghen foi bastante sentida. Diferentemente do coletivo, Alderweireld teve uma grande atuação individual (até se lesionar no segundo tempo), provou mais uma vez que é fundamental e foi o responsável por evitar o que certamente seria um gol de Zabaleta, que teve a finalização interceptada já na pequena área. Minutos depois, o lateral voltou a levar perigo ao gol de Lloris, numa finalização a queima-roupa que passou rente a trave.

Com o grande volume de jogo imposto pela equipe do técnico catalão, o comandante argentino não titubeou, abriu mão dos três zagueiros e a equipe passou a aturar com uma linha de quatro, sem a necessidade de trocar peças – por ora, Dier passou a atuar no meio campo, até a saída de Wimmer no intervalo. A partir disso, houve uma ligeira melhora no setor defensivo, o que não bastou para tirar o ímpeto do adversário. O primeiro tempo, contudo, terminou com placar zerado graças às boas intervenções de Lloris.

Manchester City's Kevin De Bruyne (left) scores his side's second goal of the game
Lloris foi de herói à vilão após o intervalo (Foto: Martin Rickett/PA)  
Por incrível que pareça, ambos os gols sofridos vieram no início da etapa complementar, quando a peleja já parecia mais sob o controle. Após o lançamento longo, Lloris não conseguiu cortar a bola, Sané contou com a sorte e só teve o trabalho de empurrar para o gol vazio, abrindo o placar. Ainda que o goleiro tivesse se precipitado, a falha do goleiro no primeiro gol não se compara a segunda, ao soltar a bola nos pés de De Bruyne.

A derrota parecia certa e seria um tanto quanto injusto o francês ser o principal responsável por isso. A sorte foi que o restante da equipe parece não ter se abatido com os erros do capitão. Pelo contrário, o Tottenham mostrou maturidade de quem almeja o título, buscou a reação e finalmente conseguiu levar perigo ao gol de Bravo, que não havia trabalhado nenhuma vez na primeira parte. Após cruzamento de Walker, Kolarov resvalou de cabeça e a bola encontrou Alli, que nos colocou no jogo novamente.

A essa altura o coreano já estava em campo e a sua entrada seria fundamental para conseguirmos o empate. Após passe de Eriksen, Kane deu um toque de calcanhar e o Son voltou a ser algoz do City, assim como no primeiro turno. O fato é que, não conseguimos repetir a boa atuação que tivemos contra este adversário no primeiro turno, o adversário esteve mais perto da vitória na maior parte do confronto e o futebol não é justo, mas tivemos nossos méritos.

Manchester City Gabriel Jesus (right) scores a goal which was then disallowed
Felizmente Gabriel Jesus estava impedido (Foto: Martin Rickett/PA)
Os minutos finais foram melhores para os mandantes e Sterling teve uma chance clara. Já havíamos nos contentado com o empate, quando houve a confirmação da estreia de Gabriel Jesus, que deu uma nova cara aos Citizens. A promessa brasileira até chegou a balançar as redes, mas por sorte o bandeira estava atento, anulando o que seria um gol irregular. Apesar da reação, o resultado não era o melhor para o time de Londres, já que sabíamos que seriam bastante improváveis os rivais tropeçarem no dia seguinte.


O empate custou ao Tottenham à vice-liderança e a diferença do líder aumentou – agora nove pontos. Porém, não podemos esquecer que poderia ser ainda pior, já que contamos com os tropeços de Liverpool, United e do próprio City, que são concorrentes diretos as vagas na Champions. A briga pelo título, contudo, é algo que não devemos abrir mão. Nas próximas rodadas, os Spurs enfrentarão Sunderland e Boro, enquanto os Blues terão Arsenal e Liverpool. É a chance de nos recuperarmos do deslize – se é que pode ser considerado – e estes jogos serão cruciais para definir se poderemos ou não sonhar com o título.

#COYS

Por: Marcelo Júnior

Twitter: @marcelinjrr / @SiteLF / @LFEuropa

O primeiro esboço do Vila Nova para 2017

Se a primeira impressão é a que fica, o Vila Nova deixou isso evidente nos seus primeiros testes do ano diante do Uberlândia, Real-DF é o mais importante deles diante do Flamengo-RJ. O técnico Mazola Jr chegou a pouco mais de 15 dias ao clube, e em pouco tempo já deixou a mostra como será sua passagem pelo Vila Nova, mas é claro que ainda é muito cedo para dizer como a equipe deve reagir ao comando do treinador no decorrer do ano. O antigo treinador Guilherme Alves postava a equipe no 5-4-1. Já Mazola Jr bem mais renomado que o ex-treinador Guilherme Alves, tem um estilo de treinamento bem diferente e tenta encaixar a equipe no famoso 4-3-3.

Com algumas caras novas o primeiro esboço da equipe em 2017 foi a seguinte: Wendell; Maguinho, Luisão, Brunão e Jonathan; PH, Ruan, Fagner e Hiroshi; Vandinho e Wallyson. Ainda não foram testados os goleiros Elisson e Matheus Kayser, os volantes Geovane e Marcos Serrato, o atacante Moisés é o zagueiro Wesley Mattos. Ainda tiveram oportunidade os novatos Moraes Jr, Billy, é os já velhos conhecidos do torcedor, Roger, Marcos Vinicius e Matheus Anderson. Foi testado também o zagueiro Ícaro de 25 anos até então desconhecido pela torcida.

Foto: Divulgação
Aos poucos as dificuldades extracampo e deixada de lado, o clube vai se organizando e tomando uma nova forma em 2017. A situação do atacante Moisés foi resolvida da melhor forma, ele fica e está ciente que terá que correr atrás do prejuízo. O atacante deve disputar posição com um velho conhecido do técnico Mazola Jr e do Futebol Goiano Ruan, o atacante teve passagem pelo nosso arquirrival Goiás em 2014 onde não teve muito destaque. Além de Ruan e Moisés ainda terá Matheus Anderson e David para disputar posição.

Mazola Jr mudou o estilo do time, e fez com que um time recém-promovido da Terceira Divisão jogasse de igual para igual diante de um grande time da elite do nosso futebol. O Flamengo vinha com força máxima com, Diego, Muralha, Wiliam Arão, Jorge e Guerrero entre outros. O Tigre totalmente modificado com, Moisés, Hiroshi, Marcos Serrato, Wendell e Wallyson, esse no qual bem conhecido por muitos. Wallyson deixou seu cartão de visita ao acertar dois chutes certeiros. O atacante chegou como o principal nome do clube em 2017, pegou a 9 e mostrou para o que veio. Sim, era nada mais que um mero amistoso. Mas, mostraram a todos que o time e guerreiro tem raça e vai brigar de igual para igual diante dos rivais pelo título do Campeonato Goiano.

Foto: Reprodução / globoesporte.com/go.
Foi da base que veio um dos destaques da equipe, o zagueiro Brunão de apenas 19 anos. A jovem promessa do Tigrão ganhou a moral do treinador Mazola Jr um dia anterior do amistoso. É a missão de marcar nada mais, nada menos que o melhor centroavante em atividade no Brasil, Paolo Guerrero. O garoto cumpriu bem seu papel anulou totalmente o atacante peruano. Ganhou todas por cima e por baixo, sabe sair jogando nota máxima ao garoto.

Aos novatos, PH, Marcos Serrato, Moraes Jr, os dois volantes tudo que o Vila precisa tem a cara do time, corre, marca se precisar pisa também. Detalhe PH volante que marca firme, sem precisar levar cartão deve cobrir bem a vaga deixada por Bolt. Serrato e Hiroshi a dupla que veio do Tupi, jogaram como já era esperado. Wesley Matos, veio do rival Goiás crucificado, engasgado pelas críticas apresentou um bom futebol e já de cara pegou a braçadeira de capitão da equipe. O goleiro Wendell fez em um mero amistoso o que os goleiros anteriores não fizeram, e briga pela titularidade entre seus companheiros Elisson e Matheus Kayser, Wendell tem uma larga vantagem. Desejo sorte, a briga vai ser boa.

Foto: Reprodução / globoesporte.com/go.
Wesley Matos que foi eleito o melhor zagueiro da Série B em 2015, mostrou que pode voltar a jogar aquele futebol. Um zagueiro consciente, não deixou a desejar. Durante a semana Wesley comentou em uma rádio goiana sobre sua passagem pelo Goiás e exaltou o novo Wesley Matos que chega ao Tigrão, "Aqui no Vila, chega um Wesley totalmente diferente, focado em dar a volta por cima e mostrar realmente o meu valor, porque sei que isso ficou um pouco apagado. Sonho em confrontar o Goiás e realizar uma boa partida para que eles possam ver o que perderam".

Foto: Reprodução / Vila Nova FC.
Um atacante de 28 anos, que teve passagens por grandes clubes do futebol brasileiro, veio para acabar com a seca de gols do time colorado, Wallyson já é tratado como a maior contratação do clube nos últimos anos. É seu cartão de visita ao torcedor Vilanovense foi o melhor possível. Wallyson deixou sua marca no último amistoso do ano contra o Flamengo marcando dois golaços. Contando com a ajuda de dois companheiros do ataque Moisés e Matheus Anderson, Matheus no qual deixou vários marcadores da equipe Flamenguista para trás, outro bom garoto da casa cruzou e Wallyson de primeira deu um belo voleio deixando o goleiro Thiago sem chances de defesa. Se a primeira impressão é a que fica, tivemos boas dele.

No último amistoso do ano serviu para encaixar os erros, vem ai o Campeonato Goiano é não podem mais cometer erros bobos como foi em 2016. Boa sorte aos demais times. Aos rivais que se cuidem, o Tigrão vem ai.

Paysandu começa o ano com tropeço

No final da tarde de ontem (21), o Paysandu voltou aos gramados para enfrentar o Santa Cruz, num jogo único pela Taça Asa Branca, em Pernambuco.

O jogo em si foi de chegadas esporádicas, com poucos sustos. Apesar do Santa Cruz ter levado perigo logo no começo, levando a crer que seria um jogo bem mais movimentado do que realmente foi, quando Leo Costa arriscou um chute de fora da área, obrigando Emerson espalmar para fora.

A partida seguia sem muitas emoções, até que aos 34’ Eduardo levantou a bola na área, Lombardi e Gilvan subiram juntos para fazer o corte e acabou sobrando para Leo Costa, sozinho, dominar e chutar forte para o gol, abrindo o placar para a Cobra Coral.

(Foto: Gazeta Press)
O gol sofrido do Santa parecia ter aberto os olhos dos atletas do Papão e na primeira oportunidade real do time, William Simões cruzou, a zaga afastou e Diogo Oliveira apareceu para dominar e mandar de esquerda no ângulo do gol de Júlio César, que operou um milagre. Na sequência, o meia apareceu de novo para levantar a bola na área, o goleiro tricolor, desta vez, saiu mal e Gilvan desviou, a bola acabou beijando a trave.

No segundo tempo, as chances de gol foram ainda mais escassas. O Paysandu assustou com a bela cobrança de falta de Ayrton, que deu trabalho para Júlio César afastar. Aos oito minutos, a resposta veio com Thiago Primão batendo falta com categoria, a bola, entretanto, acabou pegando só na rede pelo lado de fora.

Palavra da colunista: Faltou mais toque de bola e aproximação com o ataque, onde Bergson e Cearense passaram a maior parte do tempo isolado. Diogo Oliveira demonstrou uma incrível lucidez, poderá ser peça importantíssima do Papão na temporada. 

QPR x Fulham: Um derby movimentado e bastante disputado

Sem mais, nem menos: Mesmo sendo duas equipes sem muita tradição no futebol inglês, o clássico entre Queens Park Rangers e Fulham sempre foi um jogo pegado e que atrai muitos espectadores, inclusive, rivais para assistir o que tem tudo para ser um grande espetáculo!

Nesta manhã de sábado (21), ambas as equipes proporcionaram mais um desses encontros, pela - rodada da Championship, em Londres. O derby aconteceu no estádio Loftus Road, ou seja, o mando de campo do QPR, que vinha de uma sequência de três vitórias seguidas. Nós, torcedores do The Hoops é claro, esperávamos um bom resultado num clássico que prometia ser um grande jogo do início ao fim!

(Foto: QPR FC/Facebook)
Uma primeira etapa movimentada. Porém, logo aos 3 minutos, o Fulham teve a chance de abrir vantagem através da penalidade máxima assinalada pelo árbitro. O goleiro Alex Smithies fez uma grande defesa na cobrança de Chris Martin e chegou ao terceiro pênalti defendido nas duas partidas disputadas no clássico pela Championship 16/17.

Fora isso, uma partida muito equilibrada para ambas as partes, até que aos 25 minutos, quando o promissor garoto Ryan Manning abriu o placar para o QPR. Logo após o revés, a equipe do Fulham pressionou, pressionou e pressionou, mas nada de gol para os visitantes... O primeiro tempo terminou com a vantagem de 1 a 0 para equipe mandante.

A etapa complementar foi quase predominantemente para o lado do Fulham. Em desvantagem no placar, os visitantes buscaram o gol às pressas, a fim de evitar a derrota no derby. Os 45 minutos finais ficaram marcados pelos dois gols anulados do QPR, sendo que, logo após o segundo gol anulado, a equipe do Fulham empatou a partida aos 75 minutos. O atacante Chris Martin se redimiu após ter perdido o pênalti na primeira etapa.

Logo após o empate, os Rangers buscavam mais do que nunca o segundo gol e decretar a sua quarta vitória seguida no campeonato. Mas, mesmo com os sete minutos de acréscimos que o juiz deu, nenhum dos times conseguiram desempatar a partida. Com isso, o QPR chegou aos 33 pontos, estando na 17ª colocação da tabela. No próximo dia 28, a equipe jogará novamente em seus domínios, contra o Wigan, pela mesma competição.


Ryan Manning foi o melhor jogador em campo no derby (Foto: QPR FC/Facebook)
Após o final da partida, a Sky Bet revelou que o autor do gol do Queens Park Rangers, Ryan Manning foi o melhor jogador em campo.

Estatísticas

Posse de bola: QPR: 25% x Fulham: 75%
Total de chutes: QPR: 14 x Fulham: 15
Chutes a gol: QPR: 4 x Fulham: 5
Precisão de passes: QPR: 60% x Fulham: 85%
Escanteios: QPR: 5 x Fulham: 8
Impedimentos: QPR: 7 x Fulham: 2
Faltas cometidas: QPR: 18 x Fulham: 9

Por: Victor Fernandes // Twitter: @vopfernandes
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana