A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 29 de janeiro de 2017

Que comecem os jogos

E que comecem os jogos. Finalmente, depois de um bom tempo longe do nosso time do coração, a Raposa voltou a atuar e por incrível que pareça começamos com o pé direito.

Cruzeiro e Villa Nova é aquele tipo de confronto que trás em nossa mente várias recordações especiais, uma delas nos leva á 1977 que ficou marcado o recorde de publico no antigo Mineirão (132.834 presentes) e com esse triunfo mantivemos o tabu de 18 anos de invencibilidade.

Sem moleza por aqui, a temporada começou pegando fogo, na quarta-feira (01) o Cruzeiro já encara um clássico em competição valida pela Primeira liga. Fala sério, um clássico com direito a torcida mista, com provocações e uns ataques cardíacos é tudo que precisamos para iniciarmos o ano de vez.

@Cruzeiro
Sobre o jogo, por ser a primeira partida da temporada, ainda é muito cedo para poder avaliar o rendimento do time ao decorrer do ano, entretanto conseguimos observar mais pontos positivos do que negativos nesse duelo.

Quando o assunto é melhoras no time, podemos destacar a evolução na parte ofensiva e trocas de passes com mais eficiência, sem esquecer que nossas laterais com Ezequiel e Diogo Barbosa quase impecável.

Um primeiro tempo digno de Cruzeiro, apesar da proposta defensiva do Villa Nova, a Raposa soube administrar o duelo e possuiu melhor posse de bola e criou mais oportunidades de balançar as redes, tento que só foi acontecer no final do primeiro tempo. Ariel Cabral, por essa ninguém esperava, ele foi o responsável pelo o primeiro gol celeste.

@Cruzeiro
Para o segundo tempo, como já era de se esperar, o ritmo diminuiu, porem isso não impediu que o Robinho deixasse uma pintura no jogo, que cobrança de falta foi aquela meus amigos. O único gol do Villa Nova foi marcado por Roni.

Reajustes são sempre necessários e a evolução é inevitável, entretanto estamos sempre na torcida por um ano vitorioso.

Paula Fernandes /@Paulinha_CEC

Firmes na busca pelo título

Após uma dolorosa eliminação na Copa do Rei, na última quarta-feira (25), o Real Madrid entrou em campo hoje (29/01), pela 20ª rodada da La Liga. Num confronto contra a boa equipe da Real Sociedad, o time merengue contou com o "fator casa", e enfrentou o clube basco no Santiago Bernabéu. A equipe merengue precisava mais do que nunca vencer, não apenas para recuperar a confiança da torcida, mas também para se distanciar dos rivais, que tropeçaram na rodada.

A torcida merengue, como nós mesmos reconhecemos, não é nem um pouco acomodada. E, ao ver a escalação, vaiou bastante o lateral-direito Danilo, que não fez uma boa partida contra o Celta de Vigo pela Copa do Rei. Posteriormente, com uma mescla de vaias e aplausos, vaiou também Cristiano Ronaldo. Usando o tradicional 4-3-3, a equipe foi à campo com: Navas; Nacho, Sérgio Ramos, Varane e Danilo; Casemiro, Kroos e Kovacic; Cristiano Ronaldo, Benzema e Lucas Vázquez.

Kovacic comemorando seu gol, foi sem dúvidas o melhor da partida. Fonte (90 min)
Os primeiros 20 minutos do jogo teve as duas equipes travando um duelo de bastante intensidade nas trocas de passes, mas a maior parte desse tempo ficou concentrado no meio-campo, sem oferecer perigo algum aos goleiros de ambas equipes.

Durante a primeira etapa, tivemos como primeiro e um dos poucos lances de perigo da equipe adversária, uma jogada do jovem Oyarzabal, que ganhou de Sérgio Ramos no corpo, avançou pela diagonal e cruzou rasteiro, mas Varane cortou e evitou qualquer possibilidade de finalização. Vale destacar também, a cobrança de falta do jogador brasileiro Willian José, que chutou seco e forte no canto, obrigando Navas a fazer boa defesa, este que foi um dos poucos lances de perigo da Real Sociedad durante o jogo inteiro.

Aos 37', Cristiano Ronaldo tocou no meio de dois defensores da Real Sociedad, e deu uma bela assistência para Kovacic, que finalizou com classe e abriu o placar para a equipe merengue. Sem sua principal peça no meio-campo no jogo de hoje, Modric, o seu compatriota Kovacic fez sua melhor aparição com a camisa merengue, marcando um gol e dando uma assistência, sem dúvidas foi o melhor da partida.

No segundo tempo, a equipe da casa voltou sem mudanças, e com poucos minutos, Kovacic deu assistência magistral para Cristiano Ronaldo, que finalizou de cavadinha, marcando o segundo gol da equipe merengue na partida, e o seu 13º na competição. O gol e assistência foram essenciais para o gajo recuperar a confiança da torcida, e a confiança em si mesmo.

Vale ressaltar também, outra partida monstruosa, impecável e magnífica do volante brasileiro Casemiro, que distribuiu lançamentos e passes, além de doze desarmes. Para termos uma noção, a equipe inteira da Real Sociedad, incluindo reservas, efetuou a mesma quantia de desarmes.
   
A equipe merengue fez uma das melhores aparições na temporada hoje. (Fonte: Goal.com)
Numa aula de contra-ataque, o Real Madrid marcou o terceiro gol da partida, já aos 82'. Após a saída de bola do Navas, Cristiano Ronaldo tocou para Danilo e o brasileiro tocou para Lucas Vázquez, que avançou pela diagonal; e num belo cruzamento, o espanhol achou seu compatriota Morata, que finalizou a jogada de cabeça. 3-0.

Sem dúvidas, a equipe merengue fez uma de suas melhores partidas na temporada - talvez a melhor -, mesmo com muitos desfalques, apresentando um futebol vistoso e convincente. Com a vitória, nos distanciamos mais um pouco dos rivais e continuamos firmes pela busca do título. O Real Madrid, líder da competição, tem um jogo a menos e ainda pode tornar a vantagem um pouco mais elástica, tem pela frente no próximo domingo (05/02), o Celta de Vigo, pela La Liga, no Balaídos.

Por: Kayo Henrique | Twitter: @Heenrique010

A primeira vitória da nova Chapecoense

Dois meses depois da tragédia com o avião que levava a delegação Chapecoense, jornalistas e empresários para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, na Colômbia, o Verdão fez sua estreia no Campeonato Catarinense e chegou a primeira vitória em 2017.

Foto: Sirli Freitas
Ainda é estranho para o torcedor não ter os velhos jogadores, aqueles que foram motivos de muitos sorrisos e alegrias em 2015 e 2016, mas aos poucos a Chapecoense vem mostrando sua nova cara, com gols de Niltinho e Wellington Paulista, a Chape venceu o Inter de Lages por 2x1.

Com sol forte e o apoio do seu torcedor, a Chapecoense começou melhor a partida, com Rossi e Niltinho jogando pelas pontas, o ataque veloz não demorou muito para surtir efeitos, logo aos cinco minutos, Nenén lançou Rossi, que em velocidade ganhou da zaga e cruzou para Niltinho empurrar para o fundo das redes de Neto Volpi, abrindo o placar na Arena Condá.

Os visitantes responderam aos 28 minutos, Parrudo ganhou de Grolli, cortou o marcador e chutou para grande defesa de Arthur Moraes. Aos 41 minutos, quando tudo se encaminhava para o final, Rossi lançou Girotto, que tocou para Wellington Paulista, que bateu de primeira, ampliando o placar para a Chapecoense, e homenagear Bruno Rangel na comemoração.

Sem alterações, as equipes voltaram para o segundo tempo, em vantagem no placar, o Verdão voltou tranquilo, mas querendo ampliar ainda mais o placar, e só não conseguiu por que Neto Volpi fez grande defesa, do chute de Niltinho aos 15 minutos. O Inter respondeu aos 22 minutos, e chegou ao seu gol na partida, Enercino pegou de primeira e teve ajuda de Arthur Moraes, que falhou, diminuindo o placar para 2x1.

Aos 71 minutos contando as duas etapas, a partida foi paralisada para homenagens as 71 vítimas do acidente, os mais de oito mil torcedores a uma só voz, entoavam o canto “Vamo Vamo Chape”. Sem mais inspiração das equipes, o apito final do árbitro garantiu a primeira vitória da nova Chapecoense.

A Chape volta a campo na próxima quarta-feira (1), quando viaja para enfrentar o Tubarão, no Estádio Domingos Gonzalez, às 19h30.

Marcelo Weber || @acfmarcedo

Atlético-GO 0x1 Vila Nova: Hiroshi garante vitória para o Tigrão

Na tarde do último sábado (28), Atlético e Vila Nova deram o ponta pé inicial a temporada 2017, foi um clássico bastante disputado. O Atlético mandou na partida durante quase todo o primeiro tempo, o Dragão parecia que sairia do Serra Dourada vitorioso. Nada disso. Após a parada técnica o Vila se organizou em campo é equilibrou a partida, o gol mesmo só foi sair no segundo tempo após pênalti cometido no atacante Wallyson. Hiroshi bateu firme, 1x0 Vila Nova.

A pré-temporada para os dois times foram bem distintas, o Atlético sofreu com as baixas do elenco e o fator extracampo sobre o sumiço do treinador Marcelo Cabo. O time chegou há treinar uma semana sem a presença do treinador. Já o Vila Nova sofreu por uma reformulação administrativa, trouxe recentemente Wallyson, o atacante teve passagens por grandes clubes brasileiros.

Foto: Reprodução / Globoesporte.com/go.
Até os 30' minutos do primeiro tempo o Vila estava perdido na partida, o meio de campo batia cabeça. As melhores oportunidades do primeiro tempo foram criadas pelo Atlético, Wilians obrigou o goleiro Wendell trabalhar. A dupla de zaga consciente, o capitão Wesley Matos e Brunão em momento algum comprometeu o jogo mais uma vez foram os destaques da partida.

O Vila teve um inicio de jogo bem abaixo do esperado, aquele estilo de jogo no amistoso diante do Flamengo não foi o mesmo apresentado no clássico. O Atlético de Marcelo Cabo parecia ter estudado bastante o rival, o meio do Dragão isolou o esquema de Mazola Jr. O treinador Colorado aproveitou a para técnica para dar um belo puxão de orelha do grupo, foi dito e feito. Vila voltou atento e melhor, o time ainda tinha o segundo tempo para correr atrás do resultado.

Foto: Reprodução / O Popular.
Voltando para o segundo tempo atento Vila foi logo surpreendendo o rival, Wallyson obrigou Kléver a trabalhar e foi em uma arrancada dele que surgiu a boa oportunidade do jogo. Wallyson foi derrubado por Ricardo Silva na pequena área, seria a bola do atacante, mas não, ele pegou a bola e entregou a Hirsohi. O meia bateu rasteiro sem chances para o goleiro rubro-negro, 1x0 Vila.

O Vila, por fim administrou a partida criando chances reais de gols com o atacante Wallyson. Ao substituir Vandinho, Matheus Anderson mais uma vez mudou o sentido do jogo. Entrou ligado no jogo, Moisés que se cuide. Esse no qual foi detectado uma lesão grau um na coxa, Mazola mesmo tinha noticiado que o atacante sentiu antes do amistoso diante do Flamengo e optou em ir para o jogo.

Reforços

Após a partida o presidente do Vila Nova Ecival Martins confirmou a uma radio de Goiânia mais dois reforços para a zaga, deve ser os últimos contratados do clube para o Campeonato Goiano e para a Copa do Brasil. Se trata dos zagueiros Alisson Brand ex-Parana e Alemão ex-Santa Cruz.

 Alisson Brand e Alemão devem ser os últimos contratados do Vila. Foto: Reprodução.
Na próxima quinta-feira (02), o Tigrão receberá o Anápolis, no Serra Dourada, em Goiânia as 20h30. Em jogo valido pela segundo rodada do Campeonato Goiano 2017.

Jogo calmo, torcedor irritado

Começou o Gauchão 2017, o campeonato mais charmoso do universo, mas o Internacional ainda segue em 2016 e decidiu ainda não virar o ano. Sou totalmente a favor de usar o Gauchão para testes, testes de formações, estratégias e descobrir novos jogadores na base, mas o time montado hoje tinha umas peças que todos sabem que não servem para o Inter.

Os jogos treinos estavam mostrando e muito bem que o time tem sérios problemas nas conclusões a gol. Mas no jogo oficial o time foi um tanto patético. Time não criou nada, ficou preso no meio campo e até correu riscos demais contra um dos times mais fracos do regional. O empate em 1x1 ficou barato. 

Foto: Deive Pazos
Vou dizer que não foi o resultado, mas o estilo de futebol apresentado que não me agradou. O torcedor que acompanhou firmemente o ano passado conseguiu ver que o estilo de jogo na verdade é o mesmo praticado pelo Inter de 2016. Totalmente sem transição de bola, corria muito atrás do pessoal do VEC, até pressionava o adversário, mas o goleiro Reinaldo agarrava as tentativas Coloradas.

O Inter teve dois jogadores que foram os melhores na partida, o volante Rodrigo "Leão de Chácara" Dourado, que dava bote em todos os lances além de ser o autor do gol do Colorado. Outro foi o goleirão Danilo Fernandes, mereceu aplausos, tava defendendo até a sombra dos Quero-Quero, foi um dos nomes do Inter, melhor em campo ao meu ver.

Se dentro de campo o jogo foi meio morno, fora dele o jogo foi extremamente quente, "torcedores do Inter" começaram uma briga generalizada, onde o resultado foi a paralisação do jogo para o inicio do UFC, foram socos, pontapés e tentativas frustradas de voadora, algo muito parecido com aquelas luta livre que passa na televisão. Uma total patuscada das ditas "Organizadas". O mais interessante disso tudo foi que D’Alessandro, capitão colorado/dono do Inter, xingo boa parte dos torcedores brigões.

Foto: Deive Pazos
O jogo só voltou quando a Brigada Militar interviu e foi à vias de fato e conseguiu encerrar a saraivada de pedras que voavam para tudo quanto é lado, algumas delas acertaram a casamata do Internacional.

Fora isso tudo o jogo foi um empate bem ruim tanto para pentacolores quanto para colorados que marcam o primeiro ponto no Gauchão. Na próxima rodada o Internacional recebe o Novo Hamburgo, no Beira-Rio, no sábado.

Ismael Schonardie | @Ismahsantos

Um bom começo do JEC em um justo empate

IMG_4850
Joinville Esporte Clube - Site
Um empate justo entre Almirante Barroso e Joinville. Um jogo bem disputado no meio de campo, duas equipes que sabem atacar, porém pecam na defesa, faltam ainda com o entrosamento no meio de campo, com saídas rápidas pelas laterais. Mesmo com falhas no meio para os dois lados os times conseguiram manter um bom nível do início ao final do jogo.

Primeiro tempo

O JEC conseguiu ter um ritmo muito bom. Com bolas para o centroavante Bruno Batata, que muito marcado pouco produziu, algumas bolas alçadas durante o jogo, mas prezando sempre por reposições curtas de Jonathan que buscava na sua maioria Caíque. Nossos volantes apoiaram muito durante o primeiro tempo, com destaque ofensivo a Kadu e ótimas recuperações de Roberto.


Como se pode ver o time trabalhou em duas táticas no primeiro tempo, um 4-4-2 em linha defendendo e um 4-2-3-1 e até hora um 2-4-3-1 atacando.

Segundo tempo

O JEC e o Almirante se jogaram ao ataque, não queriam o empate de jeito algum. Com algumas alterações o jogo ficou mais aberto, com superioridade do JEC na bola rolando, mas precisão na bola parada do time de Itajaí. Aldair mudou o meio de campo do Joinville, além de Ciro somar muito na briga pelo ataque buscando mais o contato com os zagueiros e melhorando o domínio do time, já Juninho só foi aparecer para o jogo ao final Fugindo para as laterais.

Os gols saíram aos 58' com Aldair em um belo chute de fora da área, após receber bola de Alex Ruan que fez jogada pela esquerda e tocou pro meia próximo à meia-lua pela direita. O segundo do JEC veio com boa jogada de Aldair aos 81' que pela direita cortou pro meio, cruzando de esquerda na cabeça de Max que finalizou boa jogada de cabeça no cantinho de Rodolfo.


Diferente do primeiro tempo o JEC veio em um 4-1-4-1 na fase defensiva que evoluía para um 4-3-3 assimétrico, ora com Juninho, ora com Aldair ao ataque.

As análises

Jonathan - Com algumas falhas ainda carece de ritmo, porém ainda não há um concorrente a altura.

Caíque - Muito bem no apoio, também salvou uma bola em cima da linha, pouco falhou.

Henrique Mattos - O pior em campo pelo JEC é reserva e não vem aproveitando bem as chances.

Max - Evoluindo muito bem a cada partida, o canhoto tem feito boas partidas.

Fernandinho - Faz o simples, mas pode sofrer com a falta de preparo, não aguenta os 90'.

Roberto - Na sua segunda partida profissional demonstra muita qualidade, desarma muito bem e tem ótimo passe.

Kadu - Conhecemos há tempos, é o mesmo Kadu, agora com responsabilidade de carregar o piano, não decepciona.

Fabinho Alves - Muito veloz, incomodou muito a defesa adversária, chega muito ao fundo, ainda sem muito ritmo, mas irá ajudar muito.

Lúcio Flávio - É indiscutível a qualidade, porém pode ser melhor para o segundo tempo, dando vaga a Aldair.

Alex Ruan - Tem muita força na defesa, é rápido, pode continuar nessa segunda linha, como pode ameaçar Fernandinho na lateral, porém fez um primeiro tempo apagado.

Bruno Batata - Pouco jogou, foi bem marcado e não chegou a finalizar bem, não tem vaga garantida.

Aldair - Mudou o jogo, entrou chutando, tabelando, com uma assistência e um gol foi o melhor em campo.

Juninho - Entrou apagado, foi ter um pequeno destaque depois dos 80'.

Ciro - Brigou muito no ataque, não chegou a finalizar com perigo, mas vai brigar pela vaga.

Ficha técnica do JEC
Jonathan; Caíque, Henrique Mattos, Max e Fernandinho; Roberto (Juninho) e Kadu; Fabinho Alves, Lúcio Flávio (Aldair) e Alex Ruan; Bruno Batata (Ciro).

Substituições: Aldair entrou aos 45' na vaga de Lúcio Flávio, Juninho e Ciro entraram nas vagas de Roberto e Bruno Batata aos 59'.
Gols: Aldair assistido por Alex Ruan aos 58' e Max assistido por Aldair aos 81'.
Cartões: Roberto recebeu amarelo aos 18' e Aldair recebeu amarelo aos 78'.

O que está havendo, Liverpool?

Torcida espera muito mais do Liverpool (Foto: Liverpool FC)
Vinha sendo uma semana catastrófica para o Liverpool. O time perdeu uma invencibilidade de um ano jogando em casa para o lanterna do campeonato, o Swansea, e também foi eliminado nas semifinais da Copa Liga, perdendo para o Southampton, mais uma vez em seus domínios.

Depois de péssimos resultados como esses, o mínimo que se esperava era de que o time pudesse se recompor vencendo o Wolverhampton, pela FA Cup, jogando em Anfield no sábado (28). No entanto, os Reds decepcionaram mais uma vez e foram derrotados pelo 18º colocado da Championship, por 2x1.

Vendo a escalação de Klopp para o jogo, já podíamos concluir que o alemão decidiu abordar a mesma estratégia que estava sendo usada nas copas: colocar um time mais jovem e dar chance para eles se provarem. Os Reds foram à campo com: Karius, Randall, Gomez, Klavan e Moreno; Lucas, Ejaria e Wijnaldum; Woodburn, Firmino e Origi.

Stearman abriu o placar (Foto: AMA Sports Photo Agency)
Particularmente, eu considero essa escalação capaz de vencer o Wolverhampton, mas isso não se provou em campo. Depois de Moreno ter feito uma falta, os Lobos abriram os placar em menos de um minuto com Stearman, que marcou de cabeça e facilitou o trabalho dos Wolves.

Além disso, como todos já sabem, o Liverpool enfrenta dificuldades quando o adversário "estaciona o ônibus" e, especialmente com a seleção de Klopp, o time não tinha nenhum jogador capaz de dar um passe que quebrasse a defesa dos Wolves. Por conta disso, os Reds não acharam espaço durante o primeiro tempo.

Utilizando sua principal arma, o Wolverhampton abriu dois gols de vantagem, após o português Helder Costa dar um passe fenomenal para o ex-jogador do Aston Villa, Weimann, que aproveitou uma falha bisonha de Joe Gomez, teve espaço para driblar Karius e colocar a bola no fundo da rede.

Após ter sofrido o segundo gol, Klopp decidiu dar chances para Coutinho e Sturridge, que proporcionaram o que havia faltado no primeiro tempo: Criatividade. Coutinho arriscava mais do que todos os jogadores do meio campo do Liverpool e Sturridge sempre é um perigo quando está com a bola, pois é muito rápido e habilidoso.

Mesmo batendo na porta do Wolverhampton por muito tempo, o gol do Liverpool só aconteceu aos 86', quando Origi conseguiu aproveitar um erro de marcação da zaga dos Wolves e dar uma esperança para os Reds. No entanto, já era muito tarde e os comandados de Klopp foram elimindados de duas copas em menos de quatro dias, fazendo com que o mês do Liverpool ficasse ainda pior.

Origi deu esperanças ao Liverpool, mas não foi o suficiente (Foto: Liverpool FC)
Muitos estão colocando toda a culpa em Klopp pelo horroroso mês do Liverpool, mas eu discordo disso. Obviamente, ele poderia ter colocado um elenco mais forte para enfrentar o Wolverhampton, mas não tem culpa dos erros que os jogadores cometem dentro de campo. O alemão seleciona os jogadores de acordo com o que eles apresentam no treino, e se colocou a dupla de zaga que enfrentou os Wolves, é porque ele confia neles.

Com certeza, o clube poderia ter aproveitado a janela de transferências e ter reforçado o elenco, que em muitos aspectos é fraco comparado aos times que brigam pelo top-4 da Premier League. Com a ausência de Mané e a fragilidade defensiva, deveria ter tentado investir. O Liverpool foi ligado a jogadores como Brandt, Promes e Tah, mas nenhum deles veio à realidade. Eu considero que a questão não se trata apenas de não querer contratar, mas sim, de contratar os jogadores certos, como o próprio alemão mencionou.

Com Mané retornando da Copa Africana de Nações e com jogadores que estavam lesionados pegando ritmo, a tendência é de que o Liverpool cresça de produção nos próximos meses. Na terça-feira (31), enfrentamos o Chelsea pela Premier League, jogando em Anfield. Levando em conta o recorde contra times do top-6, não podemos ser subestimados para o próximo confronto, pois há não muito tempo atrás, os Blues foram vencidos pelos Reds jogando em casa.

Vou me despedindo, YNWA.

Autor: Gabriel Coelho (@gabrielcoelhof_)
Linha de Fundo: @SiteLF/ @LFEuropa

Anotaram a placa? CRB goleia Miguelense por 4 a 0

Em partida realizada no estádio Gerson Amaral, o CRB recebeu a equipe do Miguelense em confronto válido pela segunda rodada do campeonato estadual. Ambas as equipes não se enfrentavam de forma oficial desde a última participação do clube de São Miguel dos Campos no ano de 2001 na primeira divisão do campeonato estadual.

Escalações

CRB: Juliano; Marcos Martins, Boaventura, Gabriel e Diego; Adriano, Jocinei, Clebinho e Sergio Mota; Maílson e Neto Baiano.
Reservas: Bruno, Audálio, Adalberto, Jorginho, Jefferson Recife, Bruno Nascimento, Yuri, Elias, João Paulo, Emaxwell e Edson Ratinho.

Miguelense: Ricardo; Allef, Clayton, Anderson Baiano e Joel; Jonílson, Luan Braz, Marcelo e PH; Shalon e Jandyr Balotelli.
Reservas: Raul, Luan Brisa, Janiel, Cosmo, João Luiz, Cássio, Douguinha, Jefinho e Dwann.

Primeiro tempo

Logo no início da partida, Marcos Martins deu passe em profundidade para Maílson. O jogador invadiu a área e chutou forte na saída do goleiro Ricardo. Galo abriu o placar logo aos 6' minutos jogados em Coruripe. CRB 1 a 0 Miguelense.

Os torcedores ainda comemoravam a abertura do placar, quando aos 7' minutos a bola foi jogada para o ataque, Neto Baiano de cabeça tocou para Sérgio Mota, que limpou o marcador e chutou forte para marcar o segundo gol do Galo. CRB 2 a 0 Miguelense.

Foto: CRB
Após alguns minutos, o Regatas conseguiu ampliar o placar novamente. Aos 18' o jogador Maílson recebeu pela esquerda, entrou na área e fintou o zagueiro, tendo o gol livre para finalizar, mas preferiu tocar para Sérgio Mota. O camisa 10 do Galo com apenas um toque conseguiu marcar o terceiro gol da equipe da casa. CRB 3 a 0 Miguelense. Dois minutos após mais um gol do Galo, o treinador Rommel Vieira fez a primeira mudança da equipe visitante na partida aos 20' minutos. Cosmo entrou no lugar de Marcelo.

Aos 34' minutos, triangulação perfeita de Neto Baiano, Maílson e Sérgio Mota. Neto tocou para Maílson que achou Sérgio Mota livre, livre para ampliar o placar e fazer seu terceiro gol no jogo, quarto do Regatas na partida. CRB 4 a 0 Miguelense. Uma atuação impecável no primeiro tempo.

Segundo tempo

Na volta para a segunda etapa, Clebinho foi substituído. Dando lugar ao jovem João Paulo Penha. No começo do segundo tempo, o Galo voltou meio sonolento, deixando a bola para o adversário e controlando o resultado elástico que criou no primeiro tempo. Um segundo tempo sem graça e sem muita coisa para se ver, o destaque dos primeiros minutos foi um gol mal anulado do jogador Neto Baiano que ampliaria o resultado para 5 a 0.

Foto: CRB

Aos 24' Maílson saiu para a entrada do jogador Elias. Maílson deu duas assistências e marcou um gol no primeiro tempo. Enquanto o CRB nada criava, o Miguelense perdia gols e oportunidades de diminuir o placar. Neto Baiano tentava fazer seu gol, mas esbarrava na defesa adversária. Elias também teve oportunidade de balançar as redes, mas acabou finalizando para fora.

Edson Ratinho entrou aos 33' minutos no lugar do camisa 10 Sérgio Mota, meia fez uma partida espetacular com três gols marcados. Realmente, o CRB entrou no segundo tempo só para garantir o resultado. Manteve a calma, trocou passes e uma vez ou outra tentava marcar o quinto gol. As oportunidades foram ficando escassas e o jogo foi se encaminhando para o mesmo placar do primeiro tempo.

Próximo compromisso

O CRB continua com seus pensamentos no Campeonato Estadual. O próximo jogo é contra o Santa Rita no Estádio Rei Pelé na próxima quarta-feira (01). No próximo domingo (05) o CRB enfrenta o CSA no clássico alagoano pela Copa do Nordeste.

Fora de casa, Uberlândia estréia com vitória

Após ficar longos cinco anos fora da elite do futebol mineiro, o gigantesco Uberlândia Esporte Clube voltou a disputá-la em 2016, com uma história quase centenária e outrora a pedra no sapato dos times da capital, principalmente no alçapão do Juca Ribeiro. Na temporada passada, o furacão verde da mogiana chagou até a liderar o certame, mas brigou mesmo contra o rebaixamento, que só não veio pelo bom início de temporada.

Nessun testo alternativo automatico disponibile.
Reprodução/Facebook Oficial do Uberlândia.
Em 2017, o UEC rompeu com o modelo adotado anteriormente, saíram os gestores da Universidade do Futebol e a diretoria optou por apostar em uma gestão doméstica. O primeiro passo foi a contratação do experiente e intenso técnico Paulo César Catanoce (como jogador teve passagem pelo Corinthians) que foi o comandante no título do módulo II em 2015 e treinou o Tricordiano em 2016.

L'immagine può contenere: una o più persone, stadio, erba e spazio all'aperto
Equipes perfiladas para o confronto deste sábado (28). Créditos: José Elias.
No primeiro compromisso do ano, o maior verde de Minas viajou aproximadamente 900 quilômetros até Muriaé, coladinha no estado do Rio de Janeiro. O adversário foi o Tricordiano, que subiu juntamente com o verdão e cumpre suspensão do TJD-MG por incidentes no estádio Elias Arbex em Três Corações na partida contra o Tupi de Juiz de Fora na 10ª rodada do Mineiro de 2016. A primeira alternativa seria jogar em Pouso Alegre no sul de Minas, mas o estádio não passou na inspeção e o jeito foi jogar a quase 450 quilômetros de sua sede em um campo neutro, o que contribuiu para pouca presença de torcedores.

Alguns torcedores da maior do interior encararam a viagem e saíram satisfeitos com a vitória difícil, porém importantíssima. De quebra devolvendo a derrota sofrida para esse mesmo Tricordiano no gigante do Parque do Sabiá no último encontro.

Catanoce mandou à campo: Thiago Braga, Rodney, Mauro Viana, Robinho e Vandinho, Bruno Moreno, João Paulo (Elivelton), Alê (Jéferson Berger) e Juninho Arcanjo (Marcão Goiano), Reinaldo Alagoano e Vanger. Basicamente a mesma equipe que participou dos amistosos de preparação.

Quarteto de arbitragem e os capitães. Reprodução/Twitter oficial da FMF.
Com a falta de familiaridade com o gramado sendo uma constante para as duas equipes, o Uberlândia foi pra cima do Tricordiano no começo. A partida estava bem parelha, as duas equipes tinham que jogar contra o forte calor de quase 40°, mas na primeira etapa foi o Uberlândia quem criou as melhores oportunidades. Thiago Braga não trabalhou no primeiro tempo, o Tricordiano até ensaiou uma ronda próximo à área de verdão, mas o placar ficou no 0-0.

Na volta do intervalo o time da "casa" continuou tentando pressionar a máquina verde de Uberlândia, mas sem qualquer chance clara de gol. O Uberlândia voltou a ter as melhores chances, desperdiçando alguns gols claros e até um tiro livre indireto dentro da área. Aos 34 minutos do segundo tempo, Jéferson Berger entrou no lugar de Alê e em sua primeira participação aos 35 minutos, fez o gol da vitória. Após cobrança de escanteio ele desviou a bola para as redes do goleiro Marcão.

Bom início para o Uberlândia que construiu as melhores oportunidades e aproveitou uma para vencer neste sábado (28) no estádio Soares Azevedo por 1-0 e largar na competição com valiosos três pontos. Próximo desafio é contra o "persona non grata" em Uberlândia, Democrata de Valadares. Vamos lotar o Parque do Sabiá e mostrar nossa força no Gigante do Parque

Próximo jogo pelo Campeonato Mineiro:
05 de Fevereiro - 16h (hora Brasília) - Parque do Sabiá.
Uberlândia x Democrata.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Uberlândia

Vitoria com garra e com sustos

Em partida antecipada, ASA venceu fora e continua 100%. No sábado, 28 de jan/2017, aconteceu a partida válida pela segunda rodada do campeonato alagoano, o ASA foi visitar o Murici, em Murici.

Com um início avassalador, o time visitante logo mostrou suas armas, e no primeiro minuto de jogo, o atacante Leandro Kivel dominou a bola no peito, girou e chutou no ângulo do goleiro, um golaço.

Sem dar muito espaço para o time da casa respirar, o ASA continuou em cima, pressionando e em uma troca de passes entre o volante Leanderson, e o atacante Leandro Kivel, quase resultou no segundo gol, assustando o goleiro do time da casa.

O zagueiro Edson Veneno, agora jogador do Murici, e ex-ASA, quase marcou contra a própria pátria. Na jogada seguinte, num escanteio que resultou o segundo gol para o time visitante. Tessio cruzou e Nata completou de cabeça, aproveitando a ótima jogada aérea, bem trabalhada pelo técnico Maurílio Silva ao longo da semana.

Fonte: ASCOM Murici
O segundo tempo começou bem quente, logo no primeiro lance, Paulo Sérgio, acertou uma falta de longa distância e o goleiro Luís Cetin não conseguiu evitar o gol. O bandeirinha chegou a marcar o impedimento, logo a confusão estava formada, jogadores do Murici reclamavam, caíam em cima do bandeirinha, mas, logo em seguida o juiz validou o gol.

Mais reclamações, agora do time visitante, o ASA. Porém, sem sucesso, no meio dessa confusão toda, o juiz amarelou dois jogadores, entre eles Leanderson, que na jogada seguinte cometeu falta, recebeu outro amarelo e foi expulso.

Com um a mais, o Murici se animou e começou a pressionar, dando vários sustos no time visitante, de tanto pressionar, aos 49’ quase matou o torcedor do coração (literalmente) mandando uma bola a esquerda do gol de Luís Cetin, tirando tinta da trave. Com os cinco de acréscimos jogados, o juiz encerrou a partida. Consolidando o triunfo do time visitante, o ASA.

A briga no ataque entre Leandro Kivel e Jefferson Baiano pela artilharia do campeonato promete ser uma boa dor de cabeça para o técnico Maurílio Silva, com esse gol marcado na partida de hoje, Leandro Kivel assume a artilharia, deixando o companheiro pra trás, por enquanto.

Resta à gente acompanhar o desenrolar dessa briga boa. O time está evoluindo ao longo dos treinamentos e jogos, porém, o segundo tempo desse jogo de ontem, preocupa, o time teve uma queda de rendimento preocupante, mas conseguiu segurar o resultado, que é praticamente o que importa.

Nós, torcedores, esperamos que ao longo dos jogos, isso possa se resolver. A expectativa nesse time que está em primeiro no grupo e invicto, é a melhor possível. Ide Avante, lutai, lutai!
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana