A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Quem é o próximo?

O FC Porto venceu o Vitória de Guimarães por 2x0, fora de casa e chegou a quinta vitória consecutiva, pela Liga NOS. Os gols dos Dragões foram marcados pelos atacantes Soares e Diogo Jota. Na vice-liderança, os tripeiros estão com 50 pontos conquistados, enquanto o líder tem um ponto a mais do que os azuis e brancos. Na próxima sexta-feira (17), o FC Porto encara o Tondela, no Estádio do Dragão. Enquanto o Benfica enfrenta um jogo duro contra o Sporting Braga, fora de casa.

Diogo Jota comemora o segundo gol do FC Porto [Fonte: Site oficial do FC Porto]
Enfrentar o Vitória sempre é difícil, ainda mais jogando fora de casa, e o retrospecto mostra a dificuldade dos portistas quando os encaram, em Guimarães. O jogo mostrou que a história estava certa. Foi uma partida bastante truncada, com poucas chances de gol para ambas as equipes. Mas o brasileiro Soares, que fez dois gols na sua estreia, no clássico contra o Sporting, decidiu achar um espaço para abrir o placar, ainda no primeiro tempo, 1x0. Apesar dos Tripeiros estarem vencendo o jogo, o espetáculo deixava a desejar.

Tiquinho Soares marca seu terceiro gol em dois jogos no Porto [Site oficial do FC Porto]
No segundo tempo, o jogo melhorou bastante. Os donos da casa foram para cima e obrigaram o FC Porto a se defender. Porém acabaram dando espaço para alguns contra-ataques dos visitantes. E os Dragões chegaram a assustar, Felipe, Marcano e Diogo Jota chegaram perto de ampliar a vantagem. O próprio Jota que quase havia marcado, ganhou uma nova chance e dessa vez ele não perdoou. Os Tripeiros venceram por 2x0. Missão cumprida no Castelo e continuamos a caça à liderança.

CHAMPIONS: Quarenta e quatro mil bilhetes já foram vendidos.

Com gol de estreante, Fogão vence a primeira no Paulistão

Jogando dentro de casa, pela 2ª rodada do Campeonato Paulista, o Fogão contou com a força de sua torcida, e se impôs diante do belíssimo time do Novorizontino, e conseguiu uma vitória muito importante para suas pretensões no Estadual. O time comandado por Moacyr Junior vinha de uma boa apresentação na abertura do torneio, frente ao Palmeiras, e queria provar que o jogo, não teria sido uma atuação isolada.

Com algumas modificações na equipe que enfrentou o Palmeiras, o Botafogo foi a campo com a reestreia de Francis com a camisa tricolor. O atleta é muito lembrando em Ribeirão Preto, já que foi dele os três gols do Fogão contra o River-PI em 2015, na final da Série D, que trouxeram ao Pantera, o inédito título brasileiro.

O JOGO

O Tricolor fez um jogo seguro na primeira etapa. Contando com o apoio de mais de 3 mil pessoas presentes no Santa Cruz, o Botafogo foi dominante o tempo todo durante os primeiros 45 minutos, e logo no comecinho da partida, antes de o relógio marcar 10 minutos de jogo, em cruzamento vindo de Samuel Santos, Magrão fez um belo corta-luz, e Rafael Bastos chegou batendo de primeira, para fazer o primeiro gol do Pantera no Paulistão desse ano. Detalhe essencial na jogada foi a briga pela bola de Samuel Santos no lance que originou o tento. O lateral Tricolor lutou contra dois jogadores adversários, e mesmo assim conseguiu escapar para fazer o cruzamento.

Com o placar em vantagem, e depois de perder Marcão, por contusão, o Bota segurou a barra em sua área defensiva. Com os espaços totalmente fechados, o time de Moacyr Junior passou a explorar as jogadas de contra-ataque. O Novorizontino até que tentou esboçar pressão no fim, mas o jogo virou de tempo com a contagem mínima.

Na volta do intervalo, parecia que os donos da casa sairiam com uma goleada. Com um futebol de marcação nas primeiras linhas do adversário, o Fogão pressionou a saída de bola do Novorizontino, e deu certo. Aos 8’, depois de bola recuada para o goleiro Tom, e indecisão do mesmo com seu zagueiro, Francis, o estreante da noite, se aproveitou e roubou a bola do arqueiro, e com a cabeça empurrou para o gol vazio: 2 a 0 Pantera.

foto: site, divulgação, Botafogo-SP

Só parecia. Em seguida ao segundo gol do Bota, o Novorizontino respondeu rapidamente, e Alexandro empatou para os visitantes. O jogo a parti dali se tornaria complicado para o Tricolor.

O treinador Junior Rocha colocou mais dois jogadores de ataque e foi com tudo para poder empatar a partida. Os atacantes da equipe de Novo Horizonte passaram a jogar mais adiantados, e pressionando muito os zagueiros do Fogão, para que pudesse tentar nos minutos restante uma busca pelo gol de empate.

Mas não deu. O Fogão usou da experiência de seus atletas para conseguir segurar a partida, e deixar o campo de jogo com três pontos de suma importância. Fim de jogo, 2 a 1 Botafogo, e a primeira vitória no Paulistão. De quebra, também a primeira em casa.

PRÓXIMOS JOGOS.

O time do Botafogo volta a campo agora na próxima quarta-feira, quando receberá as 19h30 no Santa Cruz a Ponte Preta. Jogo difícil para os comandados de Moacyr Junior, que enfrentará uma equipe de primeira divisão, e com jogadores renomados. O Novorizontino na mesma data e hora, enfrentará o Corinthians, em Itaquera.

Notas: Os vídeos dos gols, não tiveram disponibilidade para mostrarmos.

Até quando a nossa diretoria irá banalizar seus próprios erros?

Parece que não criar grandes expectativas foi um grande acerto... Àqueles que acompanham a minha coluna certamente vão se lembrar de que, ainda no primeiro texto da temporada, demonstrei certo pessimismo através do seguinte texto: Tupi 2017: Podemos esperar coisas boas? (Se você não leu, é imprescindível que prossiga neste).

Pois bem, haja boa vontade para esperar coisas boas, uma vez que conhecemos bem a diretoria que temos. Portanto, amigos carijós, foi algo intencional deixar apenas a tal pergunta no título, até por que, naquele momento, criticas demasiadas pelas escolhas do técnico e jogadores – que sequer haviam estreado – seriam injustas com os mesmos. Contudo, não titubeei ao alerta-los sobre o filme repetido visto na pré-temporada, que só poderiam refletir em frustrações, ainda que não às esperassem tão cedo...


O Tupi sequer marcou gols no campeonato (Foto: Leonardo Costa/tupifc.esp.br)
Bastaram apenas três jogos para que tudo viesse à tona. Após duas apresentações pífias contra times do interior, sabíamos que poderíamos esperar menos ainda da terceira rodada, na qual o adversário seria o Cruzeiro. De certa forma, "apenas" 4 a 0 foi um alívio para nós, pois há muito tempo não vemos tamanha disparidade para os times da capital – O autor do primeiro gol da peleja, sozinho, é capaz de pagar a atual folha salarial do Tupi ao longo de vários meses –. Confesso que temia um vexame ainda maior...

Desta vez, não falarei muito sobre o jogo em si, já que o foco no momento é outro. Vale destacar, porém, o gol incrível perdido por Juninho no início da partida, quando o placar ainda estava zerado. Depois disso, méritos para o adversário, que não fez mais do que a sua obrigação (Peço desculpas à colunista da Raposa, mas não se empolgue com esta vitória!). Certamente, sair na frente logo cedo mudaria a história do confronto, mas enfim... Não importa, perdemos!

De volta ao que interessa, novamente irei recorrer ao texto anterior, mais precisamente ao sétimo parágrafo, onde parecia prever que Éder Bastos e Fabinho serviriam apenas coadjuvantes de um "teatro" com final repetido – nada empolgante para nós, torcedores, obviamente –. Dito e feito: O técnico não resistiu à pressão e não demora em que criticas ao novo dirigente de futebol também entrem em cena.

Éder Bastos é só mais um "cobaia" dos últimos tempos (Foto: Raphael Lemos/globoesporte.com)
Não irei dizer que vi a sua saída como algo ruim. Pelo contrário, demiti-lo foi corrigir o erro em ter contratado, afinal, o nome de Éder Bastos nunca me agradou. Tanto pelo currículo curto como técnico, quanto pelas polêmicas como auxiliar, era um estopim para uma passagem breve. Logo nos primeiros jogos, vimos um time desorganizado, sem padrão de jogo definido e atuações dignas de pena, que nos deixaram preocupados com o risco de rebaixamento – Entre a queda do Tupi ou do técnico, que caia o técnico! –.

Entretanto, não é preciso entender muito de futebol para saber que na maioria dos casos os maiores culpados de um fracasso não são os técnicos, tampouco os jogadores – Aliás, sempre há alguém acima que os contrata, certo?! –. No caso em questão, isso é ainda mais evidente, pois não foram poucos que caíram recentemente: Junior Lopes, Ricardo Drubscky, Estevam Soares e Ricardinho só em 2016. É um circulo vicioso em acertar nas demissões e errar em contratações.

Se este emprego é o mais ingrato que existe eu não sei, mas especialmente no Galo Carijó, não há dúvidas. O comandante do acesso à Série B, inclusive, foi o último que saiu pela porta da frente. Não é a toa que Leston Junior optou em não permanecer. Caso contrário, certamente colocaria em xeque tudo de bom que fez, já que muitos ainda veem o erro apenas no treinador. Seja bom ou ruim, o próximo "cobaia" estará fadado ao fracasso, já que a atual diretoria não cansa de banalizar seus próprios erros.


A corda sempre arrebenta do lado mais fraco e já falei disso aqui (Chega a ser até engraçado que o título do texto após a saída de Drubscky há quase um ano atrás cairia muito bem desta vez também). Pelo menos agora, a maior parte da torcida finalmente está apontando os verdadeiros culpados, embora alguns ainda achem que este elenco pode dar bons frutos... Talvez o máximo que podemos alcançar é a permanência na elite e olhe lá...

A folha salarial em torno de 60 mil (segundo o Globo Esporte) serve bem para mostrar o desleixo da diretoria e a "ladainha" de dizer que o orçamento curto no estadual é pra priorizar as competições nacionais não cola mais. Afinal, não é de hoje que o torcedor deseja mais transparência, pois não vemos retorno algum. A cada vez que lembrarmos que estaremos reféns deste amadorismo até 2019, será um novo calafrio, enquanto com quem votou não acontecerá o mesmo. Vocês não são alvinegros!

P.S.: A última foto é apenas uma ilustração do que estamos usando no nariz deste 2016 e sugiro que a partir do próximo jogo troquem esse mascote por um palhaço também!

Por: Marcelo Júnior || Twitter: @marcelinjrr

Resultado negativo, postura positiva

Uberlândia, MG, 13 - Em jogo duro até os 32 minutos do 2º tempo, UEC sucumbiu no fim mais demonstrou postura e organização tática dignas de elogios.

Atlético-MG e Uberlândia; Independência (Foto: Reprodução/ TV Globo MInas)
Atlético x Uberlândia - Indepedência. Reprodução/TV Globo Minas
Se você considerar única e exclusivamente o resultado como retrato fiel do jogo, lamento, mas não entenderá a realidade do confronto. Como alguém que há tempos acompanha o Furacão Verde da Mogiana, havia muitos anos que não acompanhava uma equipe do Uberlândia tão aplicada taticamente e endurecendo o jogo, sim, o Atlético começou a catimbar e se enervar com a demora em sair o gol - Não estão acostumados com situações assim.

Na tarde deste domingo (12), aconteceu o confronto que valia a "liderança" no Horto, apenas por fins matemáticos, pois a diferença entre as equipes em questão a elenco e orçamento, trata logo de colocar um pé atrás no torcedor, jamais deixando de acreditar e torcer loucamente para o maior do interior. De positivo devemos tirar a postura e o grande jogo de alguns atletas com: Robinho, Vandinho, João Paulo (melhor jogador do UEC, em minha opinião) e Alê.

As equipes que estavam 100% na competição após dois jogos, entraram em campo buscando igualar o líder Cruzeiro. O Atlético jogou durante o meio de semana pela Copa da Primeira Liga e mesmo assim entrou com força máxima diante do Periquito do triângulo. Catanoce comandante do Verde, em entrevista anterior ao jogo, comentou que a equipe não alteraria sua forma de jogar contra o Galo.

Quando a partida se iniciou, o UEC apostou em um sistema defensivo, que ainda não levara nenhum gol no campeonato e que não chegou a correr muitos riscos nos dois primeiros jogos, defesa esta que conta com Mauro Viana que esteve na seleção do último campeonato.

O Atlético é quem tinha a obrigação de propor o jogo, o Uberlândia estava na dele, assim o Galo tentou durante toda a primeira etapa, mas a impressão que transparecia é de pouco interesse com a partida. O UEC chegou duas vezes na primeira etapa, os donos da casa também chegaram duas vezes com relativo perigo, 0-0 foi o retrato dos primeiros 45 minutos.

A segunda etapa não mostrou muita coisa diferente, com o tempo passando e o Atlético não fazendo muito para merecer marcar um gol, o Verdão começou a gostar da partida e por alguns minutos foi melhor que os mandantes e esteve próximo de marcar, principal chance veio em cruzamento da direita de Alê, que foi desviado e passou a centímetros de Reinaldo Alagoano.

Como o UEC não conseguiu marcar seu tento, na reta final após uma pequena pressão e uma jogada de lateral (Na última temporada o Uberlândia empatava com o Atlético até o final quando em lance de lateral na área saiu o gol que definiu o confronto naquela ocasião), a defesa do Verde se desorganizou pela primeira vez e Danilo marcou, com o gol sobraram mais espaços e os outros gols foram consequência, final 3-0 Atlético.

Aqui vale o registro que o confronto teve uma boa arbitragem - Vários jogos tem sido alvo de reclamações, grande parte justíssimas. O UEC ainda se mantém em ótima posição na tabela, no G4. Agora serão dois jogos em sequência no nosso estádio, contra Tombense e América/TO. Os gols não refletiram a excelente atuação do Uberlândia, sobretudo na defesa.

Nessun testo alternativo automatico disponibile.
Confronto testou a equipe do Uberlândia, apesar da derrota, sensação para a sequência é positiva. Reprodução/Facebook Oficial do Uberlândia Esporte.
Uberlândia: Thiago Braga, Rodney (Cesinha), Mauro Viana, Robinho, Vandinho, João Paulo (Elivelton), Alê, Bruno Moreno, Marco Goiano (Schumacher), Vanger (Jefersom Berger) e Reinaldo Alagoano. Tecnico: Paulo César Catanoce.

Próximo Jogo pelo Campeonato Mineiro:
19 de Fevereiro - 16h (hora Brasília) - Parque do Sábia.
Uberlândia x Tombense.

Por: @carlosjr92educa
Carlos Alberto de Sousa Júnior - Colunista do Uberlândia

"Maldita" sorte

Neste sábado (11), o Eintracht Frankfurt entrou em campo para visitar o Leverkusen na Bay Arena. Já esperávamos um confronto bastante complicado, apesar do atual retrospecto fora de casa nos levar a sonhar alto. Ao expor o provável time que iria a campo, mais uma vez com "a dupla de ouro" formada por Branimir Hrgota e Aymen Barkok, era impossível não se animar. A torcida no estádio mesmo como visitante dava um tremendo espetáculo e os nervos de todos apreciadores do Eintracht se aflorava na pele. Só não sabíamos que ia ser a melhor sensação sentida nesse dia...

O jogo mal começou e aos 5 minutos do primeiro tempo o "infernal" atacante mexicano, Chicharito Hernandez, abriu o marcador e deu um tremendo "banho de água fria" em todos envolvidos com o Frankfurt. A já estudada formação de Nico Kovac encontrou um adversário pronto para quebrar suas linhas defensivas e mostrou que apesar do ótimo desempenho na temporada ainda não está taticamente perfeito e que precisa haver alterações na maneira de jogar a fim de evitar ser uma equipe estática.

Depois do gol, o Eintracht pressionou e a agressividade foi a maneira mais prudente encontrada para tentar o gol de empate. Hrgota era o mais perigoso e parava frequentemente nas boas defesas do guarda-redes adversário, o time da casa apenas cadenciava e mantinha a posse de bola, as duas equipes mantiveram essas propostas até o encerramento da primeira etapa.

"a tristeza estampada no olhar" Produção/Eintracht Brasil
A dominação executada por parte dos donos da casa deixou clara a enorme diferença de vontade, técnica e também tática existentes na partida. Karim Bellarabi espalhava medo a cada decida para o ataque em velocidade, em uma delas aos 63 minutos achou mais uma vez Chicharito na área e o camisa sete (7) sozinho empurrou para as redes, isso evidenciou a errada marcação do Frankfurt e os futuros treinamentos da semana.

Em mais um ataque relâmpago Bellarabi acionou Kevin Volland que aproveitou mais um erro da zaga do Eintracht e definiu o placar, 3 a 0. O ótimo retrospecto do Frankfurt fora de casa caiu por terra com essa derrota massacrante e a torcida que agonizava de esperanças e gratidões antes da partida, ao fim da mesma restaram apenas protestos.

"Protestos da torcida visitante" Produção/ twitter official do Eintracht Frankfurt
Perder para o Bayer Leverkusen, em plena Bay Arena, não é algo para se lamentar de todo. Não éramos favoritos e sabíamos das dificuldades, mas a forma que aconteceu extrapolou os limites de aceitação, a forte dominação feita pelos donos da casa implica a fraqueza do visitante, e aceitar isso é um duro golpe para todos.

Graças aos resultados da rodada que todos sem exceção ajudaram a manter a terceira posição da Bundesliga, o sonho dos fênix se manteve completamente vivo, e a UCL cada vez mais próxima. Mas a lição que fica é que se não houver melhorias o time não se sustentará no topo, a sorte não é fiel, e talvez da próxima vez os resultados não ajudem cabe ao treinador Nico Kovac se situar nas carências da equipe e mirar sempre o progresso.

Por: Gabriel Ferraz / @_vsferraz

Muito mais que um jogador, um capitão. Parabéns Luisão!

Luisão comemora o 34º título nacional, o 3º conquistado pelo capitão benfiquista (PA images)

Ânderson Luis da Silva ou simplesmente Luisão, o capitão benfiquista. Esta figura emblemática na história recente do clube encarnado comemora hoje (13), mais um ano de vida. São 36 anos de idade, dos quais 14 destinados ao Benfica. Uma marca incrível, que fez com que o zagueiro se tornasse o brasileiro com mais jogos vestindo a Águia no peito.

Luisão ao lado de Eusébio
Luisão já também conseguiu ultrapassar Eusébio, o ídolo máximo do Benfica em jogos disputados. O brasileiro que se jogar amanhã contra o Dortmund, pela Uefa Champions League, chegará à marca de 500 jogos com a camisa vermelha, Eusébio maior ídolo do clube soma 440 aparições.

O "Girafa", apelido que ganhou em Portugal devido ao seu porte físico, não cansa de colecionar recordes pelo SLB, também é o décimo estrangeiro com mais aparições na Primeira Liga, top 5 em aparições benfiquistas pela Champions e o melhor, um dos jogadores mais vencedores da história do clube da Luz.



Luisão em 14 anos de Benfica conquistou: 5 campeonatos portugueses, 2 Taças de Portugal, 3 Supertaças Cândido de Oliveira e 7 Taças da Liga. E Luisão com seu alto nível de atuação ainda chegou a atuar pela Seleção Brasileira onde conquistou 2 Copa América (2004), na qual marcou um gol a partida final no empate em 2 a 2 com a Argentina, onde a seleção canarinho venceu os hermanos nos pênaltis. Em 2005 e 2009 fez parte da seleção que disputou e conquistou a Copa das Confederações, ainda disputou os Mundiais de 2006 e 2010 pela Seleção Brasileira.

Zagallo comemora com Luisão o título da Copa América 2004




E não é só em jogo de final pela seleção que Luisão mostra sua importância e o faro de gol, mesmo sendo zagueiro. Em sua segunda temporada pelo Glorioso Encarnado, em 2004-05, Luisão foi autor do único gol no dérbi diante do Sporting, que deu a vitória ao Benfica e foi praticamente o gol que deu ao Benfica o 31º título do campeonato português.

Também foi muito importante na conquista do Campeonato de 2009-10 quando fez dupla com o jovem David Luiz, a dupla logo caiu nas graças da torcida e foram dadas como uma das melhores da Europa na ocasião, o "Girafa" também foi responsável e tutor dos jogadores que são responsáveis pelo tricampeonato português e que está indo rumo ao tetra na presente temporada.

O que falta a Luisão era um título europeu, ele bateu na trave por duas vezes. Na temporada 2010-2011 o Benfica por pouco não fez a final da Liga Europa com o rival, Porto. O Benfica acabou por ser eliminado nas semifinais e outra final portuguesa aconteceu, entre Porto e Braga. Mais próximo, em 2012-13 e 2013-14 o Benfica chegou à final da Liga Europa, nos dois o títulos escapou nos últimos momentos em 2013, foi derrotado pelo Chelsea com um gol nos acréscimos do tempo normal e em 2014 derrotado pelo Sevilla nas penalidades após um 0-0 durante 120 minutos de futebol.

No entanto, a luta pela conquista europeia para Luisão e o regresso de um título europeu pelo Benfica depois de 55 anos continua nesta época, pois amanhã o Benfica joga pelas oitavas de final da Uefa Champions League, com o Borussia Dortmund, onde Luisão fará sua 500ª aparição em busca da tão sonhada "orelhuda".

Luisão sempre foi desde sua chegada um jogador com garra, com alma e que entendeu a mística benfiquista. Em seu aniversário de 36 anos todos os benfiquistas gostariam de parabeniza-lo e agradecer por ter sido, ser e continuar sendo um pilar para o Benfica. Mesmo com a idade chegando e a natural pendura das chuteiras se aproximando, a presença do camisa 4 continua essencial para o clube, para os colegas, para a comissão técnica e direção do Benfica. Por isso o zagueiro e a direção do Benfica já se reuniram e está tudo certo para a renovação do contrato do zagueiro brasileiro até o fim de sua carreira como jogador e o jogador ao aposentar-se será parte da diretoria benfiquista. Merecido, será Benfica com Luisão até o fim.

Parabéns Capitão, muito obrigado por tudo!

#CarregaBenfica

Atlético 3x0 Uberlândia – Os candidatos a 12° jogador

Alo, Alo amigo leitor sócio-torcedor do Linha de Fundo, em uma tarde agradabilíssima no Horto, e um jogo com clima de ressaca. Seja da torcida pós mais um sábado agitadíssimo de pré-carnaval na capital mineira, seja por certa ressaca pós Pratto (não aprendi dizer adeus, mas tenho que aceitar, amores vem e vão, são aves de verão), ou até pelo curto tempo de preparação em relação ao último jogo somado ao fator calor, tinha um sol para cada um naquele Horto.

Spoiler Alert! O Atlético bateu o Uberlândia por 3 X 0 e garantiu a liderança do estadual, com 100% de aproveitamento. Roger Machado repetiu a escalação do jogo contra o Joinville. Segundo o próprio treinador o time se alinhou em um 4-1-4-1 com Giovanni, Rocha, Leo Silva, Gabriel, e Fabio Santos na primeira linha, Carioca a frente como primeiro volante, e a segunda linha com Otero, Elias, Cazares e Danilo, e Fred mais a frente.

Fonte: Superesportes
O time de Roger ao longo de todo primeiro tempo e boa parte do segundo esteve lento, em certos momentos até um pouco preguiçoso. Para o espectador da telinha diria que esses minutos tiveram uma animação de um UFC de tartarugas. A equipe, como Roger pede, insiste e treina, valorizou demais a posse de bola, contudo sem agredir o adversário, era uma posse horizontal. O famoso telefone da paquera fazendo “## doce”: Toca, toca, toca, toca e ninguém atende.

Roger Machado fez a primeira substituição aos 10 minutos, Maicossuel entrou na vaga de Cazares, o que a princípio não fez muito efeito, posteriormente o treinador realizou uma alteração mais ousada, colocando o Rafael Moura no lugar de Elias e pouco tempo substituiu Otero por Clayton. O 4-1-4-1 se transformou em um 4-4-2 a inglesa, com os dois centroavantes dentro da área e muitas jogadas de Linha de Fundo. Roger perdeu a compostura e o jogo refinado apelando a um dos expedientes mais antigos do futebol mundial, o abafa, bolas aéreas e pressão na defesa adversária.

Fonte: Superesportes
Tal pressão ficou evidente ao ponto do primeiro gol sair na famigerada jogada de Marcos Rocha, o lateral cobrado direto na área, para Moura brigar com os zagueiros e Danilo mandar de cabeça para o fundo da rede, 3º gol do Danilo no campeonato.

Seis minutos depois, Maicossuel tabelou com Fred, numa bonita jogada, e nosso camisa 9 deixou para o He-man bater para o gol e marcar, pelos poderes “greyskull” Foi um gol emocionante, prêmio mais do que merecido para um Atleticano que ralou, rodou o Brasil para poder realizar seu sonho, marcar com o manto Alvinegro. He-Man pode não ser um primor técnico, mas ama a camisa alvinegra como poucos que estiveram lá, e só isso já nos basta. He-man tem tudo para ser ídolo.

Fonte: Superesportes
Pouco tempo depois, Fred, ex-camisa 99, e agora 9, seu número de direito – pois trata-se do maior centroavante brasileiro em atividade, teve a sua merecida recompensa e marcou terceiro, que veio de um cruzamento primoroso de um inspirado Maicossuel que talvez tenha colocado uma dúvida na cabeça de Roger Machado.
 
O Atlético tinha certa dificuldade de movimentação, o Cazares não mostrou aquele futebol, que esperamos, foi lento na transição e leniente na recomposição. Já Elias, sentiu o ritmo do jogo, e um pouco de falta de entrosamento com os novos companheiros, contudo apenas a sua presença já fez uma incrível diferença no meio campo alvinegro.

Para fechar o texto, remeto aos esportes americanos, na terra do Tio Sam, especialmente no basquete existe uma premiação ao melhor reserva, ao sexto homem, o cara que sempre entra e muda a cara do jogo. No futebol tal exemplo também se aplica, nem sempre os 11 de saída assimilam o jogo e o adversário de tal maneira que se decida à parada. Para esses casos a sagacidade do treinador em enxergar a partida, bem como a qualidade do banco de reservas, dos candidatos a 12º homem, em responder tais orientações se tornam primordiais. No Domingo Roger leu bem o jogo, colocou as peças certas.

Maicossuel e He Man responderam otimamente bem, e um jogo chato terminou com placar de vitória contundente.

Saudações Alvinegras!

Por: @AlinedeLimaMun2, @Mhfernandes89 e Equipe Vingadores LF

Dois mil pontos...

Os três pontos da vitória em cima do Watford no Teatro dos Sonhos, pela vigésima quinta rodada da Premier League fez o Manchester United chegar aos dois mil pontos na história da liga, fechando uma média de mais de setenta pontos por temporada, um recorde difícil de se alcançar.

Quase sem trabalhar no jogo, De Gea comemora mais uma partida sem sofrer gol. (MUFC Getty Images)
Mais uma vez dominamos o adversário sem dar chance para uma derrota e diferentemente de últimos jogos em casa conseguimos marcar os gols.

Juan Mata abriu o marcador aos 32 minutos do primeiro tempo e Martial fechou a conta no início da segunda etapa, conseguimos construir muitas oportunidades, mas não transformamos em gols, se melhorar nosso percentual de finalização vamos ter muitas goleadas.

O Man United é o único clube que marcou 2000 pontos em todas as edições da Premier League. (MUFC Getty Images)
Juan Mata, pouco tenho falado do espanhol e isso me fez refletir como estou sendo injusto com ele. Vem fazendo uma temporada muito constante e de muita importância para o time. Analisando bem, talvez seja o jogador mais importante do elenco principalmente pelo fato de toda pressão que ele enfrentou com a vinda de Mourinho aos Red Devils. Vale lembrar que a saída dele do Chelsea foi exatamente à época em que o português estava à frente da equipe londrina.

Mata vem fazendo boas partidas e quase sempre mudando a história dos jogos. Ele tem sido de grande importância. Apesar de não ser tão badalado quanto seus companheiros de posição, para mim, seria o titular na frente de nomes como o jovem Martial ou o armênio Mkhitaryan. Ele faz diferença sempre que está em campo.

Ibra passou em branco no jogo mas não foi por falta de tentativas. (MUFC Getty Images)
Agora vamos dar uma parada na Premier League para nos concentrarmos em jogos de copa, já temos na quinta-feira a partida de ida contra o Saint Étienne em Old Trafford e na próxima semana decidimos nossa vida na Liga Europa jogando fora de casa no Stade Geoffroy na França.

Entre estes jogos enfrentaremos o Blackburn no Ewood Park pela FA Cup e terminamos o mês do carnaval disputando a final da Copa da Liga em Wembley contra o Southampton.


Após esses quatro jogos podemos ter um início de ano espetacular, basta passarmos pelo perigoso adversário da Liga Europa e conseguirmos vencer as batalhas em solo inglês.

Até a próxima e GGMU!

Paraná ganha do Jotinha e assume a liderança do estadual

O Tricolor entrou em campo na tarde chuvosa do último domingo (12) pela 4º rodada do Paranaense e venceu o J. Malucelli por 1x0.

Renatinho comemora o gol da vitória do Paraná sobre o Jotinha. | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Renatinho, autor do gol da vitória Tricolor (Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo)
Em busca dos três pontos e da liderança do campeonato, Wagner Lopes voltou a usar os titulares no estadual. A única mudança foi a saída de Jonas Pessalli para a entrada de Matheus Carvalho, que estreou como titular.

A torcida que compareceu à Vila Capanema viu um primeiro tempo de total mando da equipe visitante e a desorganização da mandante. Enquanto o Paraná não conseguia trocar passes no ataque do Jotae só fazia ligação direta (que não dava certo), eles chegavam com muito perigo, botando Léo para trabalhar mais de uma vez.

No segundo tempo, a postura da equipe mudou e começou a botar pressão no início. O time chegou várias vezes pela lateral direita com Diego Tavares, que estava muito mal no jogo, sem êxito. Até que Wagner Lopes colocou Guilherme Biteco (SENHOR GUILHERME BITECO) no lugar de Matheus Carvalho, que fez o jogo mudar outra vez.

Biteco entrou arrasando em todos os jogos que fez pelo Paraná até agora. E dessa vez não foi diferente. Aos 19 minutos, fez um maravilhoso, excelente e quantas mais palavras poderem descrever o lançamento para Renatinho, que só deu um toquinho magistral na bola e tirou do goleiro Fabrício anotando o único gol da partida, o gol que deu a vitória para o Tricolor da Vila.

Depois do gol, o Paraná tomou as rédeas da partida, mas nada que causasse muito perigo aos J. Malucelli, exceto o gol que o próprio goleiro do time quis entregar, quando espalmou uma bola que ia para fora, para dentro área, porém, a oportunidade não foi aproveitada pelo Tricolor.

MELHOR DA PARTIDA

Sim, mais uma vez ele: Guilherme Biteco. Sempre entrando no segundo tempo, mas sempre mudando o jogo. Muito participativo, Biteco comandou o Paraná depois de sua entrada. Driblando bastante, distribuindo a bola, finalizando e dando o lançamento, praticamente um passe, para Renatinho fazer o gol da vitória.

Resultado de imagem para guilherme biteco paraná 1x0 j malucelli
Guilherme Biteco, o criador do gol do Paraná (Reprodução/RPC)
PRÓXIMO CONFRONTO

Paraná volta a jogar no próximo domingo (19) às 17h contra o PSTC, em Cornélio Procópio, defendendo a liderança do Campeonato Paranaense.

Fora de casa, Bragantino goleia o Capivariano e se consolida no G4

Pela 4ª rodada Série A2 do Campeonato Paulista, o Bragantino goleou fora de casa o Capivariano por 4x1. Os gols do Massa Bruta foram marcados por Gilberto, Anderson Ligeiro e o jovem meia Vitor (duas vezes). Deco fez o gol dos donos da casa.

Bragantino goleou o Capivariano fora de casa. Foto: (Divulgação/C.A Bragantino)
Após um 1º tempo equilibrado, o Bragantino foi eficaz na marcação e utilizando da velocidade de seus homens de frente pra contra-atacar, com um toque de bola que atordoou a defesa do Leão da Sorocabana.

O Bragantino é o 3º colocado da Série A2, com 10 pontos, enquanto o Capivariano se encontra na Zona de Rebaixamento, em 19º, com apenas três pontos, à frente apenas do União Barbarense.

Capivariano: Julio César; Marrone, Leandro Silva, Petterson e Carlos Melo; Jácio, Corrêa, Bruno (Joãozinho) e Rafael Rocha (Romarinho); Déco e Jô (Muller Fernandes). Técnico: Élio Sizenando

Bragantino: Renan Rocha (Farley); Bruno Oliveira, Gilberto, Guilherme Mattis e Fabiano; Adenilson (Daniel Pereira), Edson Sitta e Rafael Chorão; Adriano Paulista (Revson), Anderson Ligeiro e Vitor. Técnico: Alberto Félix

PRÓXIMOS CONFRONTOS

Nesta quarta-feira, às 19h30min, o Bragantino estreia pela Copa do Brasil, diante do Anápolis, em Goiás. O empate classifica o Alvinegro das Pedras para a 2ª fase da competição.

Em seguida, o Bragantino receberá o líder Água Santa, em confronto direto, no Complexo Esportivo Marcelo Stéfani. Já o Capivariano enfrentará o Taubaté, na Arena Capivari, às 17h00min.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana