A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

O carnaval de Alex Sandro e Mandzukic

O mês de fevereiro é, geralmente, o mês tradicional do carnaval em todo o mundo. Além do carnaval brasileiro, na Itália temos o famoso carnaval de Venezia, que possui uma roupagem diferente da nossa, o que não torna esse ou aquele superior.

Nesse último final de semana, que foi o do carnaval brasileiro, tivemos a 26ª rodada da Série A Tim. No último sábado, 25, a Juve enfrentou o Empoli no Juventus Stadium. Destaque também para outras duas partidas: No mesmo dia 25, o Napoli perdeu para a Atalanta por 2x0, em pleno San Paolo, com dois gols do zagueiro Mattia Caldara (que já pertence a Juventus e está emprestado ao time de Bérgamo) e Internazionale 1x3 Roma, em Milano, fazendo com que a Roma seja a única equipe a almejar o título junto com a Juventus.

Allegri postou a Juventus da seguinte forma: Neto; Dani Alves, Bonucci, Rugani, Alex Sandro; Marchisio, Pjanic, Cuadrado, Sturaro, Mandzukic; Higuaín. Os únicos que podem ser considerados reservas que entraram no time inicial foram Neto, Rugani e Sturaro. Rugani ainda atuou (e muito bem) em muitas partidas nesta temporada. Na verdade apenas Sturaro e Neto são considerados jogadores de nível diferente dos que costumam iniciar os jogos.

Mandzukic comemorando seu gol. Um gladiador da era moderna! Foto: Juventus.com
A Juventus iniciou a partida muito bem, criando diversas oportunidades de gols, deixando o Empoli encurralado no campo de defesa. A partir dos 20 minutos da primeira etapa, o time da Toscana acertou a marcação e deixou o jogo mais emparelhado, com poucas chances para ambos os lados.

Já na segunda etapa, aos 51 minutos, Cuadrado arrancou um ótimo cruzamento na cabeça de Mandzukic. O croata testou firme na bola, que explodiu no travessão e já pingou dentro do gol. Mandzukic, que não é bobo, para não ter problemas, foi como um carro alegórico sem freios e estufou as redes.

Exatos 13 minutos após o primeiro gol, novamente tivemos uma trama armada pelo lado direito do nosso ataque. Cuadrado foi até a linha de fundo, fez uma bonita jogada (com um elástico), tornou o passe para Dani Alves que cruzou rente ao gramado. A bola parou nos pés de Alex Sandro, que utilizou todo o seu vigor físico girando na marcação e batendo cruzado. O placar então foi para 2x0 e se mantém até o final do jogo.

Mandzukic e Alex Sandro já foram muito elogiados por mim durante essa temporada. O crescimento técnico e tático deles é vertiginoso. Mandzukic está numa fase de sua carreira que seria difícil pensar que poderia mudar seu posicionamento que não fosse aquele de jogar dentro da área como um camisa 9. No jogo de sábado, ele não apenas revezou com Sturaro a posição de um meia esquerda/ponta esquerda, como fez um papel de um segundo atacante mais centralizado, papel de Dybala no esquema de Allegri.

Alex Sandro vive ótima fase na Juventus. Foto: Juventus.com
Quando Alex Sandro foi contratado muitos viraram a cara. O brasileiro ainda chegou a ter o status de reserva de Evra, mas com o tempo, passou a ser nítida a necessidade de dar a titularidade a Alex, que vinha pedindo passagem com excelente forma física e técnica. Nos últimos jogos, o lateral-esquerdo vem sendo peça fundamental no ataque da Juventus, com assistências, volume de jogo e até gols. A saída de Evra mostrou-se fundamental para que não houvesse essa exigência de dar minutos para um jogador já consagrado, mas em final de carreira, dar a titularidade absoluta a Alex Sandro e dar mais minutos de jogo a Asamoah na lateral-esquerda (e não no meio, pelo amor de Deus), que faz o papel de maneira justa, correta.

Dessa forma, com o time em ótima fase, manteve sete pontos de distância para a segunda colocada Roma e 12 pontos para o terceiro colocado Napoli. Nosso próximo jogo é exatamente contra o time da Campania, pelo jogo de ida da Copa da Itália, amanhã, dia 28.

Fino alla fine, FORZA JUVENTUS!

Lyon 5-0 Metz - Vitória para lavar a alma

Essa temporada vem sendo uma completa decepção para o torcedor do Lyon. Apenas quarto colocado no campeonato local e eliminado nas duas Copas Francesas, os comandados de Bruno Génésio têm todas as suas atenções voltadas para o confronto decisivo contra a Roma nas oitavas da Europa League. Para quem foi vice-campeão da última Ligue 1, se contentar com uma vaga para a próxima Liga Europa parece pouco, mas é a realidade de um tradicional clube europeu que vive momento de transição.

Apesar de todos os pontos negativos, o sistema ofensivo do Lyon vem funcionando muito bem. (Imagem: L'Equipe).
No último domingo (26), Lyon e Metz se enfrentaram no Parc OL no chamado confronto de opostos. Os donos da casa brigam por vaga em competição europeia, enquanto os visitantes, em viés de crise, lutam contra a queda para a segunda divisão nacional. Lembrando que no primeiro turno, quando essas equipes se encontraram, o jogo foi marcado pela violência. Em forma de protesto, a torcida organizada do Metz atirou rojões ao gramado, e por pouco, não causaram maiores danos ao goleiro português Antonhy Lopes, do Lyon. A partida foi cancelada imediatamente pela federação e será refeita no final do campeonato.

O jovem técnico Bruno Génésio muda bastante a formatação tática do time jogo a jogo, e isso não é variação. Já chegamos ao meio da temporada, e Génésio ainda não encontrou um esquema ideal e tampouco os seus titulares. Nesse jogo, o Lyon em tese jogou no 4-2-3-1: Tousart e Tolisso dando consistência no centro do campo (com a ausência do capitão Maxime Gonalons), Cornet e Depay nas beiradas, Fekir meia por trás de Lacazette no comando do ataque. No entanto, com a bola, o time variou para o 4-2-4, muito disso pelas características dos homens da frente e também pela fragilidade do adversário. De mudanças da última partida, na goleada avassaladora diante do AZ Alkmaar, Darder, Ghezzal e Yanga M'biwa deram espaço a Mammana, Tolisso e Depay.

Muito criticado pela torcida, Bruno Génésio está no clube desde 2005, como auxiliar. Assumiu o time principal no ano passado. (Imagem: Goal).
O JOGO

Os donos da casa começaram muito mal no jogo. Logo aos 58’ segundos de jogo, o experiente meia Mandjeck, do Metz, perdeu um gol incrível. Nos primeiros quinze minutos de jogo, o panorama foi esse: Metz com muita posse de bola e tentando atacar o Lyon. Porém, no decorrer do primeiro tempo, o time conseguiu se impor e contou muito com a participação de seus laterais para isso, tanto Jallet quanto Rafael, fizeram excelente partida. Como de costume, o gol que abriu o placar para o Lyon e que deu início a goleada dos Gones, foi marcado em uma jogada genial de Alexandre Lacazette, que teve seu chute defendido por Didillon, mas no rebote, Depay fez no apagar das luzes.

Lacazette comemora o gol de Depay após bela jogada iniciada por ele. (Imagem: L'Equipe).
Totalmente abalado com o gol no final da primeira etapa, os visitantes mantiveram a sua postura de esperar o Lyon, e depositar todas as suas esperanças em contra-ataques casuais. O cenário da etapa complementar foi idêntico ao do início do jogo: Metz tentava ter a posse, mas só criava perigo para si mesmo. Depois do doblete de Depay aos 13 minutos do segundo tempo, as coisas só ficaram piores para o Metz. O lateral Iván Balliu marcou contra, Lacazette e Valbuena deram números finais ao jogo. Destaque para esses dois últimos gols do Lyon, que por sinal, foram dignos de Puskás. Um show de agilidade e frieza de Lacazette, para cortar três vezes o mesmo marcador e colocar no ângulo, além do talento de Valbuena para aproveitar de um erro de saída de bola do Metz, e fazer de 'cobertura'.

No auge dos 23 anos, Memphis Depay parece ter encontrado sua melhor forma física no Lyon. (Imagem: L'Equipe).
NOTAS E ATUAÇÕES

Antonhy Lopes | 6 - Apesar de ser um grande goleiro e um dos melhores do Campeonato Francês, o português não foi muito exigido na partida. Isso porque o Metz não proporcionou muitos perigos ao Lyon, Lopes foi um "espectador" na goleada do time.

Christophe Jallet | 8 - Mesmo sendo veterano e bastante rodado no futebol francês, Jallet ainda sim é o melhor lateral que temos. Fez uma partidaça, chegou ao ataque, deu assistência, não perdeu um duelo individual sequer e ganhou a confiança de seu comandante. 

Emanuel Mammana/Moucar Diakhaby | 7 - O argentino que chegou nessa temporada vindo do River Plate não está decepcionando. Faz ótima temporada, juntamente de seu parceiro de zaga, o jovem revelado no Lyon, Diakhaby. Com esses dois jogando, o time tem cinco clean sheets na temporada, mais do que com qualquer outra dupla de zaga.

Rafael | 7 - O brasileiro está fazendo a sua melhor temporada na Europa desde que saiu do Fluminense muito jovem para o Manchester United. Um dos líderes em assistência no elenco, Rafael fez uma boa partida diante do Metz. Muito voluntarioso, sempre dando opção para os meias laterais e claro, sendo consistente defensivamente.

Lucas Tousart/Corentin Tolisso | 8 - Vigor físico, qualidade no primeiro passe e boa chegada ao ataque definem muito bem os dois volantes do Lyon. Um deles, revelado na base do clube e desde 2014/15 é titular, o outro, chegou do Valenciennes no início da temporada passada. No jogo, ambos deram assistências e acertaram a maioria dos passes que tentaram, além de desarmarem com extrema facilidade. Dois jovens para se prestar atenção.

Memphis Depay | 9 - O melhor em campo, o ponta holandês que chegou recentemente por um fortuna, vindo do Manchester United, marcou dois gols e foi muito participativo durante o jogo todo. Justificando toda a badalação em seu redor e também o Status de "Novo" ídolo.

Nabil Fekir | 7 - Depois de um hat-trick perfeito no meio da semana na Liga Europa contra o AZ, o nível do franco-argelino caiu um pouco, mesmo assim, fez um bom papel armando o jogo, distribuindo a bola no centro do campo e se movimentando muito bem como de costume.

Maxwel Cornet | 5 - O ponta que é revelado no próprio Metz, foi o que mais deixou a desejar no Lyon na partida de ontem. A sua característica de usar e abusar da velocidade nos flancos do campo, às vezes, prejudica o time. Surpreendentemente, Cornet foi substituído e saiu sob as vaias de um Parc OL vazio.

Alexandre Lacazette | 9 - O craque, até quando não faz muitos gols, decide o jogo para sua equipe. Lacazette marcou apenas uma vez, mas participou diretamente de praticamente todos os gols do Lyon. Infelizmente, ao que tudo indica, o atacante também formado na base do clube, deverá sair ao final da temporada.

Apesar da má campanha na Ligue 1, o Lyon apresentou crescimento nas últimas partidas. (Imagem: L'Equipe).
Com a vitória, o Lyon se manteve na briga por vaga em Liga Europa, somando 46 pontos, na quarta posição. Quatro a frente do Bordeaux e 13 atrás de PSG e Nice. Na próxima rodada, o gigante do vale Rhône visitará o próprio Bordeaux, no Matmut Atlantique. Jogo complicado e um grande teste para o time. No primeiro turno, no Parc OL, o Bordeaux venceu o Lyon por 3-1, em um jogo que ficou marcado pela expulsão do capitão Gonalons e pelo golaço do brasileiro Malcom.

Destaques alternativos do Campeonato Francês

O futebol francês é muito conhecido por revelar grandes jogadores para a seleção local, ou até mesmo para países africanos, dos quais a maioria dos atletas tem descendência. Porém, na atual edição da Ligue 1, podemos citar diversos jogadores "desconhecidos" do grande público que vem fazendo excelente temporada. Principalmente nas equipes menores, que apesar do baixo investimento conseguem trabalhar muito bem no mercado de transferências, contratando e revendendo constantemente. Abaixo, veja cinco nomes que estão chamando atenção nessa temporada:

Alguns dos melhores jovens do Campeonato Francês. (Imagem: Goal).

Ryad Boudebouz (Montpellier) - Revelado no Sochaux no início dessa década, o talentoso franco-argelino se destaca bastante desde essa época. Driblador, criativo e de extrema qualidade técnica, o meia-atacante é o jogador com mais chances criadas e dribles completos dentre as cinco grandes ligas europeias. Um fato curioso sobre Boudebouz: Ainda nos tempos de Sochaux, o jogador recusou em diferentes oportunidades propostas do Lyon e após fazer má temporada em 2013/14, foi negociado com o Bastia, e em sequência, vendido por apenas 1.4 milhões de euros ao Montpellier.

Ryad Boudebouz é sem dúvidas um dos mais talentosos meias da Ligue 1. (Imagem: L'Equipe).
Benjamin Moukandjo (Lorient) - Apesar da péssima temporada que faz o Lorient, que sempre foi figura certa na primeira divisão do Campeonato Francês nessa década, o bom atacante camaronês é de fato um destoante e isso desde a época de Stade Reims. Campeão da Copa Africana das Nações recentemente, Moukandjo acumula oito gols em 19 partidas disputadas na Ligue 1. O mesmo, teve seu nome vinculado a clubes da Premier League nos últimos dias, e com certeza não ficará no Lorient para a próxima temporada, provavelmente na segunda divisão nacional.

O bom atacante camaronês é o único jogador de seu país a marcar mais de 10 gols por três temporadas seguidas na Ligue 1. (Imagem: Bein Sports).
Martin Braithwaite (Toulouse) - Um atacante completo. É assim que muitos torcedores do Toulouse definem o ótimo jogador dinamarquês que está no clube há quatro temporadas. Capitão do jovem clube de uma região pouco povoada na França, Braithwaite também pode atuar pelas pontas e como meia por trás do centroavante. Presença certa nas convocações de sua seleção, o polivalente atacante tem 14 gols e sete assistências na temporada. Driblador, forte, rápido e de ótimo poder de finalização, o nórdico quase saiu para o futebol alemão na última janela. Na temporada passada, junto de Wissam Ben Yedder, Braithwaite formou uma das melhores duplas da Ligue 1 na ocasião.

Ídolo do pequeno Toulouse, Braithwaite já se destaca na Ligue 1 há um bom tempo. (Imagem: L'Equipe).
Oussama Tannane (Saint-Étienne) - Holandês, mas que defende a seleção do Marrocos, Tannane chegou em 2015/16 ao maior campeão francês. Na Eredivisie, sempre chamou atenção pela sua facilidade para driblar e por sua absurda precisão nas bolas paradas. Atua como ponta (com características de armador) e no centro do campo. Nessa temporada, apesar de muitas contusões, vem sendo importante na boa campanha de sua equipe no Campeonato Nacional, que briga por vaga em competições continentais. Parece pouco pela história que tem o Saint-Étienne, porém é a realidade.

Classe, força física e muita facilidade para driblar: Oussama Tannane ainda dará muitas alegrias a torcida do Saint-Étienne. (Imagem: L'Equipe).
François Kamano (Bordeaux) - O mais jovem dessa lista e também o que tem maior potencial. Revelado no Bastia e ganhando bastante destaque especialmente na temporada passada, o guineano de 20 anos é o famoso velocista; engana-se quem pensa que ele é apenas um "ponta burro", muito pelo contrário. Líder de assistências e melhor contratação do Bordeaux nesse ano, vale lembrar que o mesmo chegou por apenas quatro milhões de euros. A coisa que mais impressiona nesse jogador, é que surgiu muito jovem. Fez sua estreia na Ligue 1 aos 16 anos, em 2012/13, na penúltima rodada do campeonato, ainda no Bastia, obviamente.

Mesmo com a pouca idade, Kamano já é titular absoluto de sua seleção e isso desde os 18 anos. (Imagem: Goal).
Um tanto quanto atípica, a Ligue 1 2016/17 tem um Mônaco avassalador, com melhor ataque do campeonato de forma absoluta e líder, com 62 pontos. Dois a mais que Paris Saint-Germain e Nice, que fecham a zona de classificação para a próxima UEFA Champions League. A briga pelas outras vagas em competições europeias parece estar polarizada entre Lyon (que tem um jogo a menos), Saint-Étienne, Bordeaux e um pouco mais distante o Olympique Marseille.

A briga pelo rebaixamento é um paradoxo na Ligue 1. Do décimo ao vigésimo colocado, a distância é pequena: Apenas 6 pontos. Em uma rodada, tudo pode mudar. No entanto, em minha opinião, os três times rebaixados ao final da atual temporada, serão: Metz, Lorient e Caen. Apesar de possuírem bons nomes em seus respectivos elencos, a irregularidade nos confrontos diretos pesará contra essas equipes. Lembrando que dois clubes têm o seu descenso determinado de forma direta, enquanto o 18°, disputa um playoff de ida e volta com o terceiro colocado da Ligue 2. Algo idêntico ao que acontece na Bundesliga.

Enfim o gol, enfim a vitória

Ypiranga vence o Veranópolis e consegue manter-se vivo no Gauchão.

''Até que enfim conhecemos nossa primeira vitória no ano, até que enfim conseguimos vibrar com um gol no Gauchão'', foi assim que os torcedores do Ypiranga deixaram o Colosso da Lagoa após a vitória sobre o Veranópolis. Durante a semana a direção se sensibilizou e abaixou o valor dos ingressos, conseguiu juntamente com empresários da cidade diversos brindes para sorteio, e assim trouxe mais público para o estádio, com a esperança de ver a torcida empurrar o time rumo a primeira vitória. A torcida compareceu, um bom público no Colosso da Lagoa para ver um Ypiranga diferente. Guilherme Macuglia viu um defeito que todos os outros times já tinham visto no Ypiranga, sua dificuldade na bola aérea, assim, improvisou o zagueiro Tairone de primeiro volante e passamos a contar com três jogadores de marcação e altos para nos defender, outra surpresa foi a entrada de Wagner na zaga, e Neverton na ponta direita, o retorno de Vinicius a lateral também era inesperada.

O Ypiranga começou melhor, logo aos 5 minutos, depois do passe de Kaio Wilker, Jackson apareceu de frente para o goleiro e foi derrubado, mas o juiz mandou seguir. A torcida estava impaciente na arquibancada, o árbitro da partida estava perdido, o clima de tensão era grande, o Canarinho era melhor no jogo, assim como fora melhor no inicio dos outros jogos. Até que aos 33 minutos, Vinicius entrou costurando a defesa adversária e foi derrubado. Pênalti para o time da casa. Estava ali a oportunidade do primeiro gol no campeonato, enquanto a torcida pedia desesperadamente para Michel não pegar a bola para bater, Kaio Wilker tomou a iniciativa e bateu no canto direito sem chances para Reinaldo.

Kaio Wilker marca para o Ypiranga (FOTO: Leandro Vesoloski - Atmosfera)
O segundo tempo iniciou com o Ypiranga melhor, Neverton que até o momento fazia uma bela partida, estava desgastado e foi substituído por Eder, que em sua primeira oportunidade chutou de dentro da área e fez o segundo do Ypiranga. O Colosso da Lagoa vibrava, era o início da reabilitação, era a torcida aliviada. O Veranópolis no decorrer do segundo tempo mais ficava perto de tomar o terceiro gol do que assustar o YFC, aos 49 minutos o árbitro encerrou a partida.

Guilherme Macuglia

Uma grande estreia em casa. Foi inteligente em reforçar a marcação na bola aérea com o Tairone de volante, além de Neverton atuando com muita velocidade na ponta direita, Michel ainda não marcou seu gol, porém foi muito mais atuante e ajudou muito na jogada do segundo gol. Macuglia também deu confiança e pôs para jogar Vinicius, que foi muito criticado depois do jogo contra o Passo Fundo. O time mostrou mais vontade e determinação, é assim que se joga gauchão. É assim que tem que ser.

Torcida

Um parabéns a torcida que se fez presente em bom numero no Colosso, inclusive eu levei comigo cinco familiares lá da fronteira com o Uruguai que estão passando as férias aqui e que nunca tinham ido ao Colosso da Lagoa.

Reparei em um detalhe interessante, a cada ano que passa, mais cresce o numero de camisas do Ypiranga no estádio. Com o sorteio de brindes, o clube se aproximou ainda mais da torcida. O Mascote Canarinho fazendo a alegria das crianças é sempre um show, temos que valorizar o nosso maior patrimônio que é nossa torcida. Parabéns.

Bom feriado a todos!
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana