A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sábado, 4 de março de 2017

Fortaleza 5 x 0 Itapipoca: Cumprindo tabela

Caros tricolores, Fortaleza voltou a campo na noite desse sábado (4), para enfrentar o Itapipoca, time que já estava rebaixado, pela nona rodada do certame estadual. O time foi escalado com cinco modificações, em relação à derrota para o Tiradentes, no sábado passado por dois a zero. Ligger e Gastón foram sacados por opção técnica e os atletas Zé Carlos e Leandro Lima, para melhorar o condicionamento físico. Os gols foram marcados pelo Lúcio Flávio, Max oliveira duas vezes e Bruno Melo duas vezes.

O jogo foi muito tranquilo para o Tricolor de Aço, que se aproveitou da fragilidade do adversário e construiu boas jogadas e ocasiões de gol, trocou muitos passes com velocidade e foi um time mais versátil do que nas aparições anteriores. Marquinhos Santos começa a mostrar as suas características no time, com laterais de origem nas suas posições e o time sendo armado de forma muito ofensiva, com muita velocidade do meio para frente. Horário de 19h30min, num sábado, com o time não tendo a confiança da torcida, 2 mil pagantes ainda foi um número aceitável.

Alguns pontos negativos dessa vitória foram a saída do meio-campista Esquerdinha, com trinta minutos do primeiro tempo, com uma suposta lesão no joelho e com uma entorse no tornozelo e a saída do zagueiro Max Oliveira, sentindo um desconforto no ombro. O extracampo do time foi muito agitado nessa semana, o executivo de futebol César Sampaio foi demitido e o diretor de futebol Ênio Mourão, abdicou do seu cargo de diretor e continua apenas como vice-presidente do clube. Na sexta-feira (3), devido as fortes chuvas na capital, o campo do Pici ficou alagado, tendo o time que treinar num campo sintético.

FICHA TÉCNICA
FORTALEZA 5X0 ITAPIPOCA

Fortaleza: Marcelo Boeck, Felipe, Heitor, Max Oliveira (Ligger), Bruno Melo, Jefferson (Vinicius Baiano), Pablo, Esquerdinha (William Schuster), Wesley, Gabriel Pereira e Lúcio Flávio. Técnico: Marquinhos Santos

Itapipoca: Tiago, Leo, Dougão, Bruno Bareta, Renan, Douglas Pico (Rodrigo Sena), Kesley, Elanardo, Junior (Evair), Tiago Sheick e Romário (Wescley). Técnico: Ewerton Câmara

Renda: R$ 6.541,00
Público presente: 2.382 (2.151 pagantes)

Lúcio Flávio marcou um gol e deu duas assistências. Com o triunfo, o Tricolor garantiu o segundo lugar geral. (Foto: Heleni Santos/Agência Diário)
Próximo jogo do Fortaleza será no sábado as 16hs na arena Castelão, frente à equipe do Altos-PI, pela quinta rodada da Copa do Nordeste.

BORALEÃO!!!
SAUDAÇÕES TRICOLORES!!!
QUEREMOS O ACESSO!!!

Sem dó nem piedade

[Fonte: Site oficial do FC Porto]
O FC Porto goleou o Nacional da Madeira por 7x0, na tarde deste sábado (4), no Estádio do Dragão. Os gols dos tripeiros foram marcados por Soares (2), André Silva (2), Óliver, Brahimi e Layún. Os tripeiros estavam realmente inspirados e não deram chances a equipe da cidade do melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo. Foi a oitava vitória seguida do FC Porto na Liga NOS. O placar elástico marcou a maior goleada do campeonato. A única equipe pentacampeã em Portugal segue na cola do Benfica, apenas um ponto distanciam as duas maiores potências da terrinha.

O primeiro gol do FC Porto só aconteceu aos 31 minutos de jogo, Óliver Torres foi o primeiro a marcar. No fim da primeira etapa, Brahimi aumentou a vantagem para os Tripeiros, 2x0. No começo do segundo tempo os atacantes da equipe azul e branca mostraram que sabem e bem fazer gols, André Silva e Soares ampliaram a vantagem para 4x0. A coisa que já estava ruim para os madeirenses ficaram pior quando Tobias Figueiredo recebeu o segundo amarelo e foi expulso, se já não estava péssimo, piorou mais quando na falta Layún fez o quinto gol portista, 5x0.

[Fonte: Site oficial do FC Porto]
No fim, ainda deu tempo para os atacantes portistas aumentarem seus números na artilharia do campeonato, Soares e Andre Silva foram mais uma vez fatais e fizeram, Porto 7, Nacional da Madeira 0. O brasileiro Soares fez seu sétimo gol em seis jogos com a camisa do FC Porto. Ele marcou em todos os jogos que disputou pela Liga NOS com a camisa azul e branca. Iker Casillas passou mais um jogo sem levar gols e foi mais um telespectador no Dragão além dos 39.230 torcedores que compareceram. No fim, os portistas cantaram "Queremos o Porto campeão".

Iker assistindo ao jogo de dentro do campo [Fonte: Site oficial do FC Porto]

Com reservas, Chapecoense usa a cabeça e vence Criciúma na Arena Condá

Sem chances de conquistar o título do turno do Campeonato Catarinense, Chapecoense e Criciúma entraram no gramado da Arena Condá na tarde do chuvoso sábado (4). Melhor para o Verdão, que mesmo jogando com reservas, dominou a partida e vencendo por 2x0, gols de Túlio de Melo e Luiz Otávio.

Foto: Sirli Freitas
Com a cabeça na estreia da Taça Libertadores da América, e apenas cumprindo tabela no turno do Catarinense, Vagner Mancini optou em preservar os titulares, mandando a campo uma equipe totalmente reservas, com grande destaque era Apodi, que voltou a assumir a lateral direita do Verdão.

Os poucos mais de 2 mil torcedores que estiveram na Arena Condá, viram uma Chapecoense muito bem postada, e dominando do inicio ao fim. A pressão do Verdão iniciou com menos de um minuto de partida, quando Apodi avançou e cruzou rasteiro, mas Túlio de Melo não alcançou e perdeu a primeira oportunidade. Aos 18’ a Chape voltou assustar, e novamente jogada de Apodi, agora cruzando alto, para bela cabeçada de Túlio, passando rente a trave de Luiz.

A Chapecoense abriu o placar aos 22 minutos, Osman fez linda jogada, deixou Carlos Eduardo na saudade, e cruzou na medida para Túlio de Melo, agora sim, estufar as redes de Luiz. Só uma equipe jogava, poucos minutos depois quase o segundo do Verdão, após chute de Nenén que o goleiro do Tigre espalmou, Nadson não aproveitou o rebote, chutando por cima do gol.

Sem conseguir jogar durante todo primeiro tempo, o treinador Deivid resolveu mexer no Criciúma, Kalil deixou o gramado para entrada de Fávio. Mas nada mudou, a forte marcação do Verdão anulava qualquer possibilidade de criação de jogadas do Tigre.

A do Criciúma que já era ruim ficou ainda pior depois da expulsão do volante Chico, que fez falta em Apodi, e recebeu o segundo amarelo, sendo expulso pelo árbitro aos 22 minutos. Melhor para a Chapecoense, que aproveitou estar com um homem a mais, e ampliou o placar aos 35 minutos, após cobrança de escanteio de Nadson, o zagueiro Luiz Otávio subiu mais que todo mundo e definiu o placar.

Uma partida em que só uma equipe entrou em campo, é assim que podemos definir o duelo deste sábado, novamente com tempo fechado e chuva na cidade de Chapecó, fato que afastou o torcedor das arquibancadas da Arena. As duas equipes já sem chances, enquanto a Chapecoense estava com a cabeça na Libertadores, o Tigre buscava terminar o turno na segunda colocação. Destaques para Apodi que voltou a jogar 90 minutos com a camisa do Verdão, juntamente com Osman que pela primeira vez conseguiu fazer uma grande partida, Luiz Otávio bem na zaga e sendo coroado com o gol na segunda etapa, sem esquecer de Túlio de Melo, com jogadas pelo alto, arma fatal contra os adversários.

A Chapecoense que logo depois do duelo treinou na Arena Condá viaja ainda neste sábado, com destino a Venezuela, aonde na próxima terça-feira (7), inicia a caminhada em uma competição Sul-Americana, enfrentando o Zúlia, no Estádio Pachencho, às 21h45.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

A resposta

Pizzi foi o autor da resposta ao FC Porto (EPA/Lusa)
Desfaz o vento o que há por dentro... Não, não é a música do Skank, estou falando da resposta em campo que o Benfica deu após a goleada e a provisória liderança tomada pelo Porto.

O Benfica venceu o Feirense fora de casa, de maneira econômica a equipe da Luz venceu a equipe de Santa Maria de Feira fora de casa, pelo placar mínimo. O 1 a 0 que valeu os três pontos à equipe encarnada, além disso, a vitória também devolveu a liderança ao Benfica o que serviu como resposta ao FC Porto que foi a campo exatamente antes do Benfica e aplicou uma goleada de 7 a 0 no Nacional e havia ocupado a liderança provisória do campeonato. Liderança que foi assegurada pela equipe lisboeta ao apito final.

O jogo contra o Feirense não foi fácil, os fogaceiros não estavam com uma proposta apenas de defender-se e procuravam também se jogar ao ataque para tentar fazer gols contra o Benfica. Mesmo de forma desorganizada a equipe do Norte de Portugal, levava mais perigo à meta encarnada. O Benfica tinha mais posse, mas de maneira desorganizada buscava ataques pelo lado direito, mas sem Nelson Semedo, que estava ausente da partida por suspensão automática, as jogadas não fluía. André Almeida substituto do lateral nesta noite, foi muito bem defensivamente, ofensivamente deixou a desejar e atrapalhava a combinação de jogadas com Pizzi e Salvio. E se pela direita as jogadas não saíam da melhor forma, pela esquerda elas sequer saíam. Eliseu e Carrillo não conseguiam fazer tramas ofensivas, a raça sobressaía no time, faltava criatividade e jogadas de talentos dos jogadores encarnados.

Até que finalmente, pelo meio, a jogada e o gol saíram, após várias chances desperdiçadas. Finalmente saiu o gol. Num bate e rebate, a bola sobrou com Zivkovic na entrada da área que tocou pra Pizzi, que tabelou com Carrillo e o português deu um sutil toque na bola pra deslocar Vaná. 1 a 0 pro Benfica.

A partir daí o Benfica teria todo o segundo tempo para tentar ampliar a vantagem e fazer valer o seu favoritismo... Não foi o que aconteceu. O Glorioso sentou em cima da vantagem, teve chances, é verdade de fazer mais gols, mas o placar se manteve intacto. O Feirense ainda teve chances de empatar a partida, mas o goleiro recém-convocado para a seleção brasileira Ederson, mostrou o porquê está nesta condição e salvou o Benfica do empate, e manteve os encarnados na liderança.

Dois pontos importantes a serem citados, há necessidade urgente de Cervi fazer parte de o time titular do Benfica, ele dá muito mais mobilidade ofensiva e é uma opção há mais para os homens de frente, diferente de Carrillo, que parece jogar apenas quando quer, o argentino está sempre com o gás total. Samaris parece que também chegou ao seu prazo de validade, é louvável sua dedicação e amor à camisola encarnada, mas Fejsa faz uma falta tremenda ao time, creio que na ausência de Filipe Augusto hoje suspenso, iniciar o jogo com André Horta seria mais útil, mostraria mais ousadia em vencer o jogo desde sempre.

Tudo isso importa muito, mas vencer importa mais, estarmos à frente de nossos rivais mais ainda, e ultrapassar nossos rivais e darmos uma resposta no mesmo dia, é magnífico. Para aqueles que diziam que jogávamos sob pressão, a pressão aí está, mesmo com pressão e a jogar fora de casa e mal vencemos. Vão ter que fazer mais.

Mais três pontos, num jogo difícil, agora o Benfica volta às atenções para a Liga dos Campeões da Europa, onde enfrenta na quarta-feira o Borussia Dortmund, na Alemanha. O Benfica tem a vantagem do empate, e pode perder por até um gol de diferença desde que faça gols.

ACIDENTE

Torcedor benfiquista é socorrido pelos bombeiros (Foto: Paulo Jorge Duarte)
A arquibancada do estádio Marcolino de Castro, estádio onde aconteceu o jogo entre Feirense e Benfica, cedeu no local onde estavam os torcedores do Benfica, precisamente na hora que era comemorado o gol de Pizzi. Muitos ficaram feridos, mas o caso mais grave foi o de um senhor de 59 anos, que teve de ser transportado para o Hospital Central de Santa Maria da Feira para ficar em observação.

Com cabeça na Libertadores, Palmeiras bate Red Bull

Já pensando na estreia pela Copa Libertadores diante do Atlético Tucumán, o Palmeiras foi até Campinas e bateu o Red Bull Brasil por 3x1. Se a atuação não foi brilhante (e não foi), garantiu uma boa pontuação que poderá ser administrada de agora em diante com a divisão das atenções com o torneio continental.

Com Guerra no lugar de Michel Bastos e a volta de Felipe Melo, Eduardo Baptista manteve Zé Roberto no meio e o time respondeu bem mais uma vez, fazendo um ótimo começo de jogo. O gol cedo marcado por Willian (aproveitando mais uma assistência de Dudu, ainda que meio sem querer) deu ainda mais tranquilidade para o Verdão trabalhar a bola sem pressa.

Sem levar muito perigo no ataque, o Red Bull assustou apenas em chutes de longe – um deles obrigou ótima defesa de Fernando Prass. Mesmo com um gramado irregular, as melhores chances ainda eram do Verdão que até poderia ter ampliado o placar na primeira etapa.

Felipe Melo disputa bola com gramado cheio de água. (Foto:Divulgação/Cesar Greco/Ag. Palmeiras)
No segundo tempo, Guerra e Willian deram lugar a Michel Bastos e Borja. O esquema voltou mais ao 4-1-4-1 das primeiras partidas, mas o espaço entre os jogadores aumentou e o Palmeiras perdeu o controle do meio-campo, passando a sofrer um pouco com a pressão de um valente Red Bull.

É bem verdade que Prass não teve tanto trabalho assim, foram mais cruzamentos do que uma jogada exatamente trabalhada. Com uma postura voltada ao contra-ataque, Eduardo apostou no veloz Roger Guedes que marcou o segundo gol depois de perder uma grande chance em trapalhada do Saulo.

O jogo que parecia decidido ainda teve momentos de emoção com um gol do Red Bull perto dos acréscimos, aproveitando uma falha geral da zaga palmeirense. Assim como aconteceu diante da Ferroviária, coube a Borja matar qualquer risco de um empate: ele fez a parede e girou para marcar por baixo das pernas do goleiro Saulo.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana