A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 15 de março de 2017

O Judas ainda é o número um

A sequência desumana de jogos que o Manchester United está passando deixou sua primeira vítima, fomos eliminados da FA Cup, para o Chelsea em Stamford Bridge na última segunda-feira. A diferença de jogos entre os dois clubes é impressionante, o United fez até agora 45 jogos na temporada enquanto os Blues fizeram 34. Uma diferença de desgaste físico que ainda foi ampliada pela injusta expulsão do meio campista Ander Herrera, o placar de 1x0 para eles acabou ficando barato.

Mourinho sofreu com muita hostilidade da torcida azul, me pareceu dor de cotovelo. (MUFC/Getty Images)
Os heróis resistiram bravamente jogando com dez homens, e sentindo bastante o desfalque. No ataque, por exemplo, só tínhamos Rashford e mesmo assim ele estava se recuperando de uma virose. Vejo sempre muita gente falando quando acontece algum erro que favoreça os Red Devils, mas quando é ao contrário...

Não gosto de comentar sobre arbitragem, mas Michael Oliver merece minha atenção, pois vem sistematicamente errando contra a nossa equipe, e o pior é que também vem apitando muitos jogos nossos, nos últimos cinco, ele marcou três pênaltis contra nossa equipe, deixou de marcar penalidades claras em duas oportunidades, sofremos gols que saíram de lances irregulares... Nesse último, Herrera foi expulso numa falta simples enquanto Diego Costa deu uma cotovelada em De Gea e não foi punido, melhor até parar por aqui.

Outra coisa que marcou o jogo foi a torcida xingando o Special One, sinceramente acho que era uma situação que poderia não acontecer, o português tem uma história no clube londrino e merecia mais respeito dos torcedores que tanto celebraram com suas conquistas. Logicamente José Mourinho não deixou barato e na coletiva soltou a pérola que usei como título da coluna.

As condições do gramado não ajudaram para que houvesse uma partida de futebol. (MUFC/Getty Images)
Na semana passada visitamos o Rostov na Rússia, um jogo que prometia ter o clima tenso entre as torcidas, tanto que o clube emitiu uma nota sugerindo aos torcedores não usar nada relacionado ao United, pelo bem do futebol esse clima foi desfeito quando os torcedores russos receberam os ingleses com cobertores de presente para ajudar a suportar o frio, muito bonita a atitude, espero que tenhamos semelhante no jogo da volta em Old Trafford.

A torcida chegou junto na Rússia, muito orgulho! (MUFC/Getty Images)
O placar de 1x1 foi o máximo que se tirou de futebol, infelizmente o gramado era inadequado até para uma partida amadora de futebol, quanto mais para uma competição como a Liga Europa.

Nosso martírio continua, ainda temos dois jogos para completar a sequência, na próxima quinta-feira recebemos o Rostov no jogo da volta e no domingo visitamos o Middlesbrough voltando a jogar pela Premier League, vale lembrar que temos dois jogos adiados para jogar, visitaremos o City e o Southampton em jogos que deveriam ter acontecido no final de fevereiro e no início de março.

Agora é jogar estas partidas e depois teremos uma data FIFA que vem num bom momento para recuperar os jogadores lesionados e desgastados com essa maratona que enfrentamos. Até a próxima e GGMU!

Sampaio segue contratando e anuncia um atacante e um zagueiro como reforços

A diretoria da Bolívia Querida confirmou a contratação do zagueiro Maracás, a pedido do técnico Francisco Diá, com quem trabalhou no ano passado no América (RN). Maracás é natural de Itiruçu (BA), tem 22 anos, 1,84 de altura e 71 kg. Ele esteve presente em oito jogos pelo alvirrubro de Natal nesta temporada. Além do América, ele atuou pelo Londrina, Vitória e pelas categorias de base do Bahia.

Maracás é anunciado pelo Sampaio Corrêa (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)
Outro que pinta no elenco tricolor é o centroavante Uilliam, que estava no Altos (PI), também a pedido do treinador do Tubarão. O atacante, revelado nas categorias de base do Fortaleza, é natural de Bonito (BA), tem 22 anos, 1,82 de altura e 69 kg. Nesta temporada, ele atuou em 11 jogos (cinco no Piauiense, dois na Copa do Brasil e quatro na Copa do Nordeste) e marcou três gols (dois na Copa do Brasil e um no Piauiense).

Atacante Uillian reforça a Bolívia Querida (Foto: esportes.opovo.com.br)
Os dois jogadores chegam ainda hoje a São Luís e a tendência é que estejam regularizados até a sexta-feira para que possam atuar na partida decisiva contra o Imperatriz, pelo estadual, no próximo domingo.

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Jogadoras maranhenses são convocadas para a Seleção Brasileira Feminina Sub-17

No dia 24 de fevereiro, o técnico Luiz Antônio Ribeiro, da Seleção Feminina Sub17, anunciou a primeira convocação deste ano, através do site da CBF. Foram chamadas 24 jogadoras para um período de treinamentos, como de costume, no CT da Granja Comary, em Teresópolis, entre os dias 13 e 25 de março.

Técnico Luizão convoca a Seleção Brasileira Feminina Sub-17 (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)
Entre as selecionáveis, estão duas jovens maranhenses: Mariza Nascimento Silva, de 15 anos, e Maria Vitória Silva Lima, 16. Mariza, em 2016, atuou pelo JV Lideral, de Imperatriz, na Copa do Brasil Feminino e no Campeonato Maranhense Feminino. Vitória ainda não possui experiência em um clube profissional. Ambas são atacantes e alunas da escolinha EG Sports, dirigida por Enio Gomes, ex-técnico do JV Lideral.

Veja a lista com todas as convocadas:

Goleiras
Stephanie – Cruzeiro
Alice – União Alagoana
Beatriz – Chapecoense

Laterais
Vitória – Centro Olímpico
Bruna – Chapecoense
Gisele – Tiger/Luso Brasileiro
Natália – Chapecoense

Zagueiras
Andrine – Pelotas
Lauren – Centro Olímpico
Giulia – Juventus (SP)
Yasmin – Chapecoense

Meio-campistas
Miriam – Centro Olímpico
Rafaela – Criciúma/FME
Camille – Tiger/Luso Brasileiro
Kemillyn – Tiger/Luso Brasileiro
Luisa – Pelotas
Gabriela – Centro Olímpico
Flávia – Tiger/Luso Brasileiro
Júlia – Chapecoense

Atacantes
Mariza – JV Lideral/EG Sports
Vitória – EG Sports
Isabela – Projeto Resende Futebol/Futuro
Amanda – Vila Guarani
Stefane – Estrela Social

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Uma carreira toda dedicada ao Arsenal: Apresento-lhes Tony Adams

Um grande clube possui muitas lendas, que na maioria dos casos são jogadores com enorme capacidade técnica e um talento extraclasse. Jogadores que dão orgulho aos fãs do clube, de todas as gerações. São atletas que entram para a história, por intermédio de títulos, mas, além disso, pelo respeito e comprometimento que tem pela instituição – caras que honram a camisa. Partindo deste pressuposto, preciso falar sobre Tony Adams, um dos maiores símbolos do Arsenal, nosso eterno capitão – O Mr. Arsenal.

Tony Alexander Adams nasceu no dia 10 de outubro de 1966; Natural de Londres, Adams iniciou a carreira no ano de 1980, com 17 anos de idade, quando se juntou à Escola Infantil do Arsenal. Tony Adams, junto com Lee Dixon, Nigel Winterburn e Steve Bould – o último, seu parceiro de defesa e atual assistente técnico de Arsène Wenger no clube –, fez parte de uma das linhas defensivas mais fortes da história do futebol inglês, conhecidos como “famous Back Four”. Comandados por George Graham, marcaram época na Inglaterra... foram anos incríveis para o torcedor Gooner.

Tony Adams teve uma ascensão muito rápida no clube, já com 21 anos de idade, no fim dos anos oitenta, se transformou no capitão mais jovem do Arsenal, liderando o clube neste posto pelos 14 anos seguintes, até a sua aposentadoria. Sua vasta qualidade técnica, liderança e paixão ao jogar futebol o levaram à seleção inglesa, onde também se tornou capitão, após a aposentadoria de Gary Lineker em 1992. Pelo english team, Tony alcançou às semifinais da Eurocopa de 1996, perdendo para a Alemanha nos pênaltis.

No total, Tony Adams levantou 12 troféus pelo Arsenal, sendo eles: 4 títulos da liga nacional, dois no modelo antigo (1988-89, 1990-91) e dois na versão Premier League (1997-98, 2001-02); 3 títulos da FA Cup (1993-94, 1998-99, 2001-02); 1 título da Copa da Liga Inglesa, à época intitulada como Rumbelows Cup (1993); 3 títulos da FA Community Shield (1998, 1999, 2002) e 1 título da Recopa Europeia (1993-94). Além dos títulos, Adams é também o segundo jogador em toda a história do clube a vestir mais vezes a camisa do Arsenal em partidas oficiais (669 jogos), atrás apenas de David O´Leary (722 jogos). Pelo clube, Adams marcou 48 gols. O mais especial deles, na temporada 1997-98, contra o Everton em Highbury, no jogo da festa pelo título da Premier League, Tony fez um gol digno de centroavante, após lançamento digno de um playmaker de Steve Bould. Nossos defensores se divertiram assumindo novos papéis. Este gol de Adams foi escolhido pelos torcedores como o décimo primeiro gol mais histórico e relevante do Arsenal em todos os tempos. Veja...
"Jogue para o nome na parte dianteira da camisa e recordarão o nome na parte traseira" 
(Foto: Arsenal.com).
A vida pessoal de Tony é um tema que deve ser abordado ao contar sua história, mesmo eu não gostando muito de invadir a particularidade dos jogadores. Acontece que, Tony Adams foi mais um que sofreu, e muito, com o alcoolismo. Frequentemente se envolvia em brigas, foi multado duas vezes por dirigir embriagado e no ano de 1990, Tony foi detido e ficou preso por três meses após dirigir sob efeito de álcool.

Ray Parlour, ex-companheiro de Adams no Arsenal e grande lenda do clube, em entrevista ao Daily Star falou um pouco sobre os hábitos boêmios dos atletas da década de 90: “Eu sempre me lembro da primeira pré-temporada com Arsène Wenger. Novos colegas tinham chegado da França: Emmanuel Petit, Patrick Vieira e Gilles Grimandi. Nós trabalhamos muito, e ao fim da viagem Wenger disse que poderíamos sair. Então, nós fomos direto ao pub, enquanto os franceses foram a um Coffe Shop. Eu sempre me lembro do momento em que Steve Bould foi ao balcão e pediu 35 pints de cerveja para cinco de nós. Quando saímos do pub, logo avistamos os franceses, conversando e fumando, e então pensei: “Como vamos ganhar a Premier League este ano? Somos todos bêbados e fumantes!”. Fato é que venceram...

Ninguém do elenco Gunner, entretanto, sofreu tanto com isso como Adams. Em entrevista ao programa de TV, Fiebre Maldini, Tony disse: "Em 1995, minha vida pessoal era uma bagunça, eu abusava do álcool. Desta vez, junto com o pior momento do Arsenal desde a minha chegada ao clube. Houve uma parte de minha vida em que passei mais tempo em bares do que em treinamentos. Em 1996 eu estava no hospital por uma grave lesão no joelho. Minha esposa estava indo para o tratamento e os meus filhos foram morar com minha mãe, minha casa era um desastre. Naquele tempo houve um colapso na minha vida pessoal e profissional. Eu bebi por 12 anos e não queria parar. Eu estava na prisão, eu caí da escada e ainda queria continuar a beber".

Após a Eurocopa de 1996, ele assumiu que era alcoólatra e buscou tratamento. Tony foi um dos principais famosos ingleses a conseguir vencer a luta contra o alcoolismo.

A chegada de Arsène Wenger no clube, em 1996, foi um dos pontos positivos para a recuperação e reabilitação de Adams, já que o francês chegou ao clube e reformulou a dieta de seus jogadores. Com certeza, a melhoria do regime foi fundamental para a extensão da carreira de Tony, e de alguns outros atletas no clube. Adams recompensou o auxílio do treinador e o ajudou sendo peça fundamental nas conquistas da Premier League em 1997-98 e 2001-02. Ele é o único jogador da história da Inglaterra a conquistar em décadas diferentes o campeonato nacional.

Em 2002, após a final da FA Cup contra o Chelsea, onde o Arsenal foi campeão após vitória por 2-0, Tony Adams se aposentou definitivamente do futebol profissional, aos 35 anos. O número 6, usado por Adams, também foi aposentado até 2006, em forma de homenagem ao capitão mais bem-sucedido da história do clube. Neste mesmo ano, em 2002, o Arsenal promoveu um jogo amistoso contra o Celtic, para festejar a carreira de Adams. Muitas lendas do clube jogaram, incluindo Ian Wright, John Lukic e os eternos parceiros de defesa de Tony: Lee Dixon, Nigel Winterburn e Steve Bould; Em 2004, Tony Adams foi incluso no Hall da Fama do Futebol Inglês, por toda sua importância no esporte do país; Tony também recebeu outra homenagem do Arsenal, ao ganhar uma estátua em frente ao novo estádio, Emirates Stadium, inaugurado em 2006. Ao lado de Dennis Bergkamp, Thierry Henry e Herbert Chapman, Adams faz parte de um grupo seleto de lendas que receberam tal homenagem.
O eterno gesto de nosso líder imortal (Foto: Arsenal.com).
Um símbolo de lealdade, amor e respeito a um clube. O clube pelo qual dedicou 22 anos de sua carreira como jogador, sendo o líder da artilharia pesada de nosso arsenal. Este, Tony Adams, o legítimo Mr. Arsenal. Para sempre um Gunner.

Por: Thalles Monari // Twitter: @_thallesmonari 

Uma Juventus perfeccionista

Não precisa ser um torcedor fanático bianconero para imaginar como seria Juventus x Porto no Juventus Stadium pelo retorno das oitavas de final da UEFA Champions League. Após vantagem de 2x0 obtida em pleno Estádio do Dragão, a Juventus, talvez o time que melhor se defenda no mundo, não iria dar sopa para o azar (inclusive após a façanha do Barcelona) e deixar a classificação ir embora (o que seria tão trágico em Torino quanto foi em Paris).

A Juventus mostrou que não deixaria o jogo do time português fluir em nenhum momento do jogo. Com a bola, espaçou bem suas linhas, fazendo muitas viradas de jogo, chamando Alex Sandro e Dani Alves muitas vezes para fazer o time adversário correr atrás da bola. Sem a bola a Juventus sabe se defender como poucos times do mundo. A Juventus é perfeccionista em seus passos.

Mais uma vez o Porto não terminou a partida com 11 jogadores. Maxi Pereira foi expulso ao utilizar as mãos para interceptar um chute dentro da área. Paulo Dybala converteu o pênalti em Casillas e marcou aquele que seria o único gol da partida. Mesmo com 10 homens em campo o Porto ainda teve duas oportunidades no segundo tempo em contra-ataques, mas que não foram bem executados pelos seus avançados (méritos para Buffon que saiu muito bem nas duas oportunidades).

Massimiliano Allegri é parte importante da filosofia vencedora da Juventus. Foto: Juventus.com
Com a classificação a Juventus volta as quartas de final da Champions League após dois anos e de quebra receberá, no mínimo mais 100 milhões de euros, entre premiações e demais direitos. Isso ocorre, dentre outros fatores, porque a Juventus é o time italiano que foi mais longe nesta edição, sendo que o Napoli ficou pelas oitavas e a Roma nos playoffs. Já dá pra contratar outro Higuaín!

Apesar da serenidade Allegri sabe que teremos que evoluir para bater de frente com adversários mais fortes. Caso tudo transcorra com o avanço dos favoritos (hoje ainda temos Monaco x City e Atlético de Madrid x Bayer Leverkusen), além da Juventus, nas quartas teremos Real, Barcelona, Bayern, Borussia Dortmund, Leicester, City e Atlético.

Real Madrid e Barcelona estão um passo a frente de todos os outros adversários podendo ser considerados os favoritos ao título (mais uma vez). Bayern vem em um segundo pelotão, com o time dando liga no momento certo e Ancellotti cascudo. Em tese a Juventus viria logo a seguir juntamente com o Atlético. Borussia e City na sequencia e o azarão Leicester no final.

Buffon disse que gostaria de enfrentar qualquer time, menos o Leicester, pois eles não teriam nada a perder, apenas a ganhar (pelo fato de serem franco atiradores no torneio). Dybala afirmou que gostaria de fazer uma final com o Barcelona.

Na próxima sexta-feira, 17, às 8 horas da manhã (horário de Brasília) será o sorteio dos confrontos da próxima fase. Óbvio que todo e qualquer jogo será difícil e teremos que continuar evoluindo para passar de fase. Esse futebol apresentado não será o suficiente (dependendo do adversário, claro). Entretanto, sou mais conservador em dizer que, na ordem, preferia não enfrentar (neste momento) Barcelona, Bayern, Real e Atlético.

Dou esta ordem analisando estilo de jogo, jogadores e possibilidade de encaixe do nosso jogo contra o jogo do adversário. Nada impede de pegarmos o Real novamente, passar e pegar o Borussia e ficar fora.

Seria fundamental chegar novamente às semifinais. Para tanto, precisaremos dos nossos jogadores a 101% e nosso jogo fluindo de forma natural.

Aguardemos o sorteio!

Atualização

A Juventus enfrentará o Barcelona pelas quartas de final da UEFA Champions League.

Comentários sobre o confronto nos próximos textos.

Atualizado em 17/03/17 às 08:29



Fino alla fine, FORZA JUVENTUS!

Foram 113 minutos com um jogador a menos em toda eliminatória

[Fonte: Site oficial do FC  Porto]
Enquanto o FC Porto esteve com 11 jogadores em campo, não sofreu gols da Juventus. Mas nos dois jogos, teve um de seus laterais expulsos. O da vez, foi o uruguaio Maxi Pereira que levou cartão vermelho aos 40 do primeiro tempo, aonde resultou o gol de pênalti dos italianos. Apesar de toda a segunda etapa com um a menos, os Dragões se mostraram valentes dentro de campo e conseguiram conter a pressão preta e branca, além de ter chegado perto do empate por duas vezes.  A torcida portista deu um show na bancada e foi reconhecida por toda imprensa europeia e pela torcida mandante.

Apesar de ter um pouco mais de volume de jogo, a Juventus não levou tanta superioridade na primeira etapa, o Porto conseguiu conter as ações dos mandantes e foi melhor em alguns poucos minutos. Mas, a partir do gol que levou, num pênalti cobrado por Dybala, a equipe sentiu o gol e a perda de um homem em campo. Ainda bem que o primeiro tempo acabou rápido. No segundo tempo, o técnico Nuno Espírito Santo fechou a "casinha" para não tomar mais gols, colocando o zagueiro Boly no lugar do atacante André Silva.

Reação de Diogo Jota após perder a melhor chance da partida [Fonte: Site oficial do FC Porto]
A Juventus teve algumas chances no segundo tempo, foi superior, mas por incrível que pareça, as chances mais claras foram do FC Porto. Tiquinho Soares e Diogo Jota chutaram literalmente para fora as chances dos Dragões na eliminatória. Ambos ficaram frente a frente com G. Buffon e chutaram para fora. O sistema defensivo dos tripeiros fez uma boa partida. Casillas, Felipe, Danilo e Brahimi foram  muito bem em campo. O jogo era todo em cima do argelino que deu um fogo no lado direito de defesa da Juve.

Um show a parte da torcida portista [Fonte: Site oficial do FC Porto]
Quando o FC Porto perdia, a torcida deu um show à parte e foi aplaudida pelos italianos. Vários vídeos foram postado nas redes sociais pela atitude de um dos líderes da torcida, o Fernando Madureira mais conhecido como Macaco Líder entregou um cachecol do Porto à um  torcedor da Juve. No final do jogo e no retorno ao hotel, a torcida cantou bastante para os atletas "Nós só queremos o Porto campeão" se referindo a Liga NOS.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana