A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quarta-feira, 22 de março de 2017

Parazão 2017: Vitória com gostinho de empate

Remo e São Raimundo se enfrentaram ontem pelo Campeonato Paraense no Mangueirão em Belém, durante uma partida bastante polêmica e repleta de erros de arbitragem. O resultado, é claro, deu Leão: 2 a 1, embora haja controvérsias em relação ao primeiro gol azulino.

Foto: Carlos Fellip / ORM News
Ambas as equipes entraram em campo buscando gols, e enquanto o Pantera buscava entrar na área remista, os mandantes buscavam aproveitar bolas paradas para tentar marcar. Logo no início do jogo, aos 25 minutos, Leo Rosa dominou a bola com a mão pelo lado esquerdo e cruzou para Jayme que caiu dentro da área alvirrubra, dando oportunidade para o juiz marcar o pênalti.

Marquinhos cobrou a penalidade e marcou o gol: Remo 1 a 0 SREC. Embora o lance tenha sido extremamente mal apitado, há de lembrar-se do gol de Gabriel Lima que fora anulado em Santarém, na partida de ida. Se existe alguma entidade futebolística, com toda a certeza ela estava presente na partida, pois apenas alguns minutos depois o Leão sofreu outro pênalti (dessa vez legítimo), que foi desperdiçado por Flamel.

A partida seguiu dominada pela equipe da casa, mesmo o São Raimundo ameaçando de vez em quando. O placar do primeiro tempo terminou em 1 a 0. No segundo tempo a equipe azulina voltou sem o técnico Josué Teixeira, que sofreu de uma crise de labirintite no vestiário e teve de ser socorrido. No seu lugar entrou o auxiliar, que permaneceu no comando remista pelo resto da partida.

Os mandantes entraram em campo com a mesma postura de antes, e aos 14' Jayme marcou 2 a 0. Porém, ao invés de abaixar a cabeça e entregar o jogo, o Pantera assumiu uma postura agressiva pelo resto do jogo, equilibrando muito bem a partida. Aos 26' do segundo tempo o gol santareno saiu, fechando o placar em 2 a 1.

Com a vitória, o Remo se tornou a única equipe invicta na edição de 2017 do Parazão, e já está classificado para as semifinais duas rodadas antes. O próximo jogo será o RexPa, no próximo domingo (26/03) as 16h, também pelo Campeonato Paraense.

De Cristóvão à Milton Mendes

Não dava mais para continuar. A torcida vaiava, gritava, ansiava por algo novo no nosso querido Vasco da Gama. E foi feito. Depois da eliminação para o Vitória na terceira fase da Copa do Brasil, Cristóvão Borges foi demitido.

No Gigante da Colina, Cristóvão liderou 14 jogos, no total foram sete vitórias, dois empates e cinco derrotas, um aproveitamento de aproximadamente 54%. O ex-técnico foi demitido antes mesmo do clássico contra o Botafogo, no último domingo. Na partida que terminou empatada e sem gols, o Vasco foi comandado pelo auxiliar Valdir Bigode.

Depois de muitas especulações, o nome do novo técnico do Cruz-Maltino só foi anunciado nesta segunda-feira, Milton Mendes. Um dos únicos treinadores brasileiros com os quatro níveis do curso da Uefa para técnicos, Milton passou pelo Ferroviária, Atlético-PR e Santa Cruz.

Foto: GE
Milton Mendes diz saber como funciona o futebol moderno, e declarou que deve repetir a linha de trabalho que fazia no Santa Cruz, quando foi campeão da Copa Nordeste e do Campeonato Pernambucano. Compactação nas linhas ofensivas e defensivas, pressionar na marcação e também fazer um jogo rápido da defesa para o ataque é a tendência que ele pretende seguir.

Apesar de toda essa pomba, nem tudo é perfeito. O novo treinador é conhecido pelo seu jeito ríspido, postura militar e falta de tato com alguns jogadores. Logo após sua saída do Atlético-PR, o presidente da equipe se manifestou no Twitter dizendo que um dia as verdadeiras razões para a saída do ex-treinador seriam expostas, até hoje nada foi dito sobre o caso.

Foto: ESPN
Em sua apresentação ao Vasco Milton declarou que se considera um treinador próximo aos jogadores, porém que sabe fazer o que tem que ser feito. “Eu não sou treinador de olhar alguma coisa errada e fechar os olhos. É muito importante essa linha de entendimento”.

A estreia dele será nesta quarta-feira, contra o Madureira, às 19h30, em casa. O desafio do novo técnico será grande, tem um time com problemas na questão física e muitas vezes inconsistente. Se Milton Mendes será um bom técnico, se as coisas irão realmente voltar a funcionar e se o Vasco voltará a jogar como o gigante do futebol que sempre foi, só o tempo irá dizer.

Força Vasco! Estaremos sempre com você!

Ana Clara Soares (@AnaClaraSoares1)

Que seja como há 14 anos

O Esporte Clube Taubaté tem na 12ª rodada do Campeonato Paulista da Série A2 o seu mais importante compromisso até o momento na competição. Uma vitória diante do Sertãozinho no Joaquinzão praticamente garante a permanência do Burro da Central na divisão, e de quebra coloca o clube nas sete rodadas finais como um potencial time a se classificar para a fase semifinal.

Enfrentar o Sertãozinho sempre remete o torcedor taubateano ao ano de 2003. Na sexta-feira, dia 24, irá completar 14 anos da inesquecível noite em que o Alviazul bateu o Touro dos Canaviais pelo placar de 3x2 no Joaquinzão com mais de 10 mil torcedores, garantindo o acesso para a Série A2 do ano seguinte e a vaga na decisão da A3, aonde dias depois bateu o Araçatuba e conquistou o inédito título da Terceira Divisão.

Para esta nova decisão diante do Sertãozinho, o torcedor já tem um motivo a comemorar. Para lutar o Joaquinzão, a diretoria realiza uma promoção de ingressos, com a venda de pacotes para todos os jogos restantes da equipe dentro de casa.

Burro da Central está há três rodadas sem perder na A2. Foto: Bruno Castilho/EC Taubaté
Há 14 anos ...
EC Taubaté 3x2 Sertãozinho FC

Data: 24.03.2003 – em Taubaté – SP
Local: Joaquim de Morais Filho – Joaquinzão
Público: 12 000 torcedores
Árbitro: Paulo José Danelon
Árbitros Auxiliares: José Fernando da Silva e Elton Correia Primo
Cartões Amarelos: Jucemar (T), Eduardo (T), Leandro (T), Laércio (T); Luiz Henrique (S), Marcel (S), Milá (S), Ceará (S), Paraná (S), Wellington (S)
Gols: 1º Tempo – Bruno (T) aos 29’; 2º Tempo – Laércio (T) aos 12’, Leandro (T) aos 21’, Ceará (S) aos 30’ e Zé Antônio (S) aos 36’

EC Taubaté: Cristiano; Alex Alves, Bruno e Éverton; Jucemar, Da Silva, César Baiano, Dé (Jorge Luiz) e Eduardo; Laércio (Ânderson) e Leandro (Reginaldo) - Técnico: Toninho Moura

Sertãozinho FC: Luiz Henrique; Ti, Zé Antônio, Marcel e Pedrinho Nozé; Mazinho (Adriano Paraná), Rosemar, Milá e Ceará (Dé); Paraná e Wellington - Técnico: Zé Humberto

Luto

O Taubaté entrará de luto em campo em virtude do falecimento do ex-jogador Jovelino, que defendeu o Alviazul na campanha do título da Divisão Intermediaria de 1979. O meia chegou ao clube em 1978 e participou de seis jogos na campanha do título do ano seguinte.

A última partida de Jovelino com a camisa do Burro foi no dia 9 de dezembro de 1979, em jogo diante do América do Rio de Janeiro, que marcou a entrega das faixas de campeão da Divisão Intermediaria. O Burro venceu a partida pelo placar de 2x1, com um dos gols sendo anotado por Jovelino.

Nas semis: time reserva vence e Paysandu se classifica

O Paysandu enfrentou o São Francisco na noite desta terça-feira (21), no Colosso do Tapajós, na rodada 8 do Parazão. Para essa partida, o técnico Marcelo Chamusca optou por jogar a partida com um time formado, predominantemente, por reservas.

Para este jogo, o técnico decidiu manter o sistema da última partida. Utilizou um 4-2-3-1, com Daniel Sobralense fazendo a função de Diogo Oliveira, Jhonnatan na ponta direita, Will na ponta esquerda e Alfredo centralizado. A partida começou truncada, ambas as equipes demonstravam certa dificuldade para chegar ao gol. Mas isso não durou muito, em pouco tempo, o time alviazul conseguiu encaixar na formação, facilitando a criação de jogadas.

Foi com o volante, improvisado de ponta, que saiu o primeiro gol do Paysandu nesta noite. A jogada começou com o chute de Alfredo, que foi defendido por Labilá. Jhonnatan, bem posicionado, aproveitou o rebote do goleiro azulino e abriu o placar no Colosso. Aos 34’, nove minutos depois do gol de Jhonnatan, foi a vez de Alfredo deixar o dele. O goleiro Emerson deixou sua meta para cobrar uma falta perigosa, a bola desviou na zaga e o centroavante bicolor mandou para o fundo da rede.

(Foto: Dominique Cavaleiro)
O São Francisco tentava dar respostas ao time belenense, a maioria das vezes com Juninho, porém encontrava dificuldades para infiltrar a defesa. O clube santareno teve boas chances aos 39’, quando Ricardinho tocou para Juninho chutar e o mesmo mandou para fora, e aos 46’, quando Rodrigo Santarém recebeu a bola na grande área, sendo surpreendido por Emerson, que fez a defesa.

Na segunda etapa, o visitante continuou mandando na partida, tendo várias oportunidades de fazer o terceiro. Uma delas foi aos 11’, quando o Paysandu fez uma blitz na zaga azulina e Andrelino chutou para o gol, entretanto teve o chute defendido por Labilá. O time que estava em desvantagem tentava melhorar o placar e, consequentemente, sua situação no campeonato, o que acabou abrindo mais espaços para o Lobo contra-atacar.

Apesar das muitas tentativas, o placar só voltou a mudar no finalzinho da partida. Aos 41’, Aslen passou de um marcador, cruzou a bola para Alfredo e o centroavante, na grande área, chegou batendo de chapa para fazer o seu segundo gol na partida e o quinto em seis jogos com a camisa alviazul.

Próximo confronto: O Paysandu volta a jogar neste domingo, na nona rodada do Parazão, às 16h00. O adversário da vez é o Clube do Remo, que está invicto na competição. Promessa de jogo difícil no Mangueirão.

Palavra da colunista: Pegamos o pior time do Campeonato Paraense de 2017, e por isso não deveria ter tanta importância se jogássemos bem. Mas apesar disso, é necessário dizer que o time bicolor fez bem mais do que o torcedor esperava. O time predominantemente reserva, manteve um nível bem acima do São Francisco e criou diversas chances, contando com a precisão e esperteza de Alfredo, para botar a bola no gol.

Os destaques positivos desta partida foram Perema, Rodrigo Andrade, Will e Alfredo. O primeiro demonstrou muita segurança e fez o simples, marcou bem e demonstrou que poderia ser titular na zaga. Já o segundo, mais uma vez fez uma grande partida, titular absoluto do time bicolor. Sempre marcando e chegando bem na frente para ajudar o atacante. O terceiro entrou como atacante, porém durante a partida, acabou voltando para sua posição de origem, a lateral-esquerda. Will fez boas subidas ao ataque e ficou ainda mais claro que deveria estar no lugar de William Simões. Alfredo não foi bem só por ter feito gols, neste jogo foi mais participativo, fez grandes jogadas, como a do primeiro gol.

Adeus março maldito

"É um caco de vidro, é a vida, é o Sol... É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol..."

Esse é um trecho da famosa música "Águas de março" de Elis Regina.

As águas de março da Roma feriram como um caco de vidro, como a vida fere... Queimaram as esperanças com o calor do Sol... Foi a morte, um laço e um anzol...

Mas falemos primeiro do último final de semana: após a eliminação para o Lyon na Liga Europa, a Roma voltou a entrar em campo pelo Campeonato Italiano e venceu o Sassuolo no Stadio Olimpico. Mesmo saindo atrás no placar, graças ao gol de Gregoire Defrel, artilheiro dos visitantes, os giallorossi conseguiram a virada por 3 a 1, com Paredes, Salah e Dzeko.

Faltando nove jogos para o fim do campeonato, a diferença para a líder Juventus é de oito pontos. Uma distância quase impossível de ser alcançada, já que o time de Turim não tropeça.

foto: asroma.com
O próximo compromisso do time acontece somente no dia 1 de abril, contra o Empoli, também no Stadio Olimpico. Na sequência o adversário é a Lazio, no mesmo estádio, em partida válida pela Coppa Italia. E é aí que existe outra (também pequena) esperança para os torcedores romanistas. Após a derrota por 2 a 0 no primeiro confronto, os jogadores vão precisar de uma grande atuação para desbancar o rival da capital.

Se no dia 1º de março - data do primeiro jogo contra a Lazio - nós tínhamos o sonho de conquistar um dos três títulos em disputa (Serie A, Coppa Italia e Liga Europa), agora as chances são bem pequenas nos torneios caseiros e inexistente no torneio europeu.

"É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã... É um resto de mato na luz da manhã...São as águas de março fechando o verão... É a promessa de vida no teu coração..."

Assim como a música, nós esperamos que os próximos dias sejam melhores. Se o mês de março foi dolorido para todos os romanistas, que no dia 1º de abril, exatamente um mês depois do início do nosso sofrimento, as coisas comecem a mudar. Forza Roma!!!

Arthur Godioso - @arthurgodioso
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana