A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

quinta-feira, 23 de março de 2017

Passar vergonha virou rotina

Caros tricolores, esse título da postagem não se refere especificamente ao jogo de ontem, onde perdemos para o EC Bahia, por 2 a 0, mas pelo conjunto da obra no ano de 2017, resultando em fracassos e decepções nesse começo de temporada e uma perspectiva muito negativa em relação ao restante da temporada.

O jogo de ontem foi uma amostra de que estamos muito aquém do esperado. Viajou o time reserva do reserva, nem o técnico Marquinhos Santos foi para Salvador. Analisando friamente a atuação do ''time'', agradaram somente o goleiro Mateus Inácio, o zagueiro Del'amore, o volante Felipe e o atacante Gabriel Pereira, o resto do time pode ficar na Bahia mesmo e buscar novos rumos, nem voltando para a capital cearense.

O foco total concentra-se no certame estadual (na fase decisiva) e na famigerada Série C do Campeonato Brasileiro. Algumas contratações na última semana animaram um pouco a nação tricolor, a chegada dos meias Rodrigo Mancha, Renatinho e Everton; E do lateral Ronny (ex-Hertha Berlim) podem elevar o nível do elenco, porém, ainda faltam muitas dispensas e contratações se o time quiser subir de divisão.

RESUMO DE 2017

- Contratações equivocadas e sem critério;
- Briga nos bastidores;
- Troca de comando técnico (muito demorada) inclusive;
- Eliminações precoces na Copa do Brasil (para o poderoso São Raimundo do Pará) e Copa do Nordeste (sofrendo para empatar com o genial Altos-PI e com o excelente Moto Club-MA).

Somando a isso, a pressão da torcida, com uma cobrança correta e muito aceitável diante das tantas decepções que tivemos em oito anos.

Eu te amo, mas está difícil de não te abandonar. Me ajuda Fortaleza (fortalezaec.net)

Lakers erguem estátua em homenagem a Shaquille O'Neal

Na tarde de ontem, os Los Angeles Lakers começaram a colocar a estátua de Shaquille O' Neal, que ficará exposta na parte de fora do Staples Center, ginásio no qual realiza seus jogos. Com essa homenagem, Shaq se junta a lendas da franquia como Jerry West, Magic Johnson e Kareem Abdul- Jabbar a ter uma estátua na porta do ginásio. Provavelmente, o próximo será Kobe Bryant.

Shaq é considerado um dos melhores pivôs da história da NBA. Ganhou quatro títulos, sendo três com a franquia californiana nos anos de 1999/2000, 2000/2001, 2001/2002. No ano de 2000, ganhou o prêmio de MVP, o jogador mais valioso da temporada regular. Ele ainda ganhou seu quarto anel com o Miami Heat na temporada 2005/2006.

Estátua de Shaquille O'Neal ficará do lado de fora do Staples Center (Foto:SportsCenter)
O jogador em 2013 teve sua camisa 34 aposentada pelos Lakers. Sua saída da franquia foi bem conturbada, devido a um conflito com Kobe. Depois do Heat, teve ainda passagens sem muito brilho por Phoenix Suns, Cleveland Cavaliers e Boston Celtics. Ele em 2015 teve seu nome indicado para o Hall da Fama da NBA junto com Allen Iverson e Yao Ming.

Imagem relacionada
Shaq com Lebron nos Cavs na temporada 2009/2010: Passagem sem muito brilho pelos Cavs (Foto:FoxSports)
João Eduardo Gurgel

Após apagão, Vila Nova volta a vencer e encaminha classificação

Foi uma vitória magra, mas que deixou o Tigrão bem próximo da classificação. Na última quarta-feira (22), o Vila Nova visitou o Iporá em uma partida bem disputada é que literalmente pegou fogo. Testando a iluminação do estádio pela primeira vez, o Iporá não contou com a sorte. O gerador explodiu é a fumaça tomou conta do gramado deixando o jogo paralisado por 21 minutos ainda no primeiro tempo. Antes disso o Vila vencia pelo placar de 1x0 com gol do meia Everton.

Iporá 0x1 Vila Nova. (Foto: Divulgação / Iporá Esporte Clube).
O jogo

Modificado, o Vila e o técnico Mazola Jr foi ao interior sabendo que não poderia voltar para a capital com outro resultado possível se não fosse a vitória. O treinador que vinha sendo questionado pelo torcedor e até mesmo pelo próprio presidente do clube sobre as atuações da equipe nas últimas rodadas, resolveu mudar. Elisson, Geovane é Everton ganharam as vagas deixadas por Wendell, Fagner é Hiroshi.

A equipe vinha de duas derrotas, outra derrota a classificação poderia ser ameaçada pelo próprio adversário da noite. Com outra postura em campo, o Vila então não deixou o Iporá pensar nisso.

Em busca do primeiro gol o Vila foi para cima pressionando o Lobo Guará, aos 07' Moisés ganhou da defesa e arrancou, na Linha de Fundo ele rolou para trás. Everton que vinha chegando à entrada da área pegou de primeira acertou um belo chute. O goleiro Cleriston chegou a tocar na bola, mas não evitou o gol colorado, 1x0 Vila.

Aos 12' o Iporá levou perigo ao gol de Elisson, após uma cobrança de falta. Rodrigo Alves bateu sem ângulo e deu trabalho para o goleiro colorado, que tirou de soco. O zagueiro Alemão afastou outra boa chegada do Iporá com Ari logo em seguida.

Aos 23' da primeira etapa, Everton de novo voltou a dar trabalho ao goleiro adversário. O meia puxou para a direita e chutou, a bola bate na trave. A jogada segue é o garoto arrisca novamente, o meia tirou da zaga por duas vezes e chutou a bola parou na defesa de Cleriston. O arqueiro salva o Iporá de levar o segundo na partida.

Com 30 minutos do primeiro tempo, o gerador que sustentava a iluminação do estádio pega fogo é duas torres do estádio se apagaram. Uma fumaça preta tomou conta do gramado. Jogo paralisado. A partida foi retomada 21 minutos depois. A pausa na partida poderia render ao Vila uma queda no jogo, não foi bem assim.

(Foto: Divulgação / Iporá Esporte Clube / Lizi Dalenogari).
Com 53' Wallyson avançou pela direita e cruzou. Mateus Anderson de primeira obrigou o goleiro Cleriston a fazer uma grande defesa. Salvou novamente o arqueiro do Lobo Guará. Logo em seguida em outra boa chance para o Tigrão, cobrança de escanteio Alemão desviou e Mateus Anderson cabeceou fraco, Cleriston segurou firme.

De volta para o segundo tempo, o ataque do Vila voltou a infernizar a defesa do adversário, mas sem pontaria. Com 20' da etapa final, Elisson salvou o Tigrão. O atacante Abner saiu cara a cara com o goleiro e bateu para a boa defesa do arqueiro colorado. Elisson salvou o que seria o gol de empate do Iporá.

Em jogo lá e cá, o Vila erra bastante ao finalizar. Aos 30' pressão dos donos da casa, bola perigosa de Vinicius que cabeceou, mas Elisson defendeu. O trio de ataque acordou, Wallyson acionou Mateus Anderson que bateu, a defesa rebateu. Moisés jogou em seguida, recebeu e arriscou uma bomba de longe. Na trave. Por fim o Tigrão só administrou o resultado mesmo com pressão saiu vitorioso.

Com a vitória, o Tigre encaminhou sua classificação para as semifinais. E agora terá pela frente o clássico contra o Goiás, no próximo domingo (26), no Estádio Serra Dourada ás 16h. Ambas as equipes vem de vitórias na última rodada. Com 20 pontos, o Tigre segue em 3° na classificação geral atrás da já classificada Aparecidense com 23 pontos e do Goiás com 21 virtualmente classificado.

Em despedida do Nordestão, Sampaio quebra invencibilidade do Sport

O Sampaio Corrêa, apesar de já estar eliminado, se despediu ontem (22/03) da Copa do Nordeste com uma grande vitória sobre o Sport (PE), que entrou em campo já classificado para as quartas. O jogo aconteceu no Castelão, em São Luís, às 21h45. A Bolívia Querida quebrou a invencibilidade do time pernambucano ao vencer por 2 a 1 e terminou a competição regional com 6 pontos, em 3º no Grupo C. Além do Sport, o River (PI) também garantiu uma das três vagas como segundo colocado do grupo e avançou para as quartas de final do torneio.

Sampaio se despede da Copa do Nordeste com vitória (Foto: Elias Auê)
Os gols

Daniel Barros abriu o placar para a Bolívia Querida, aos 21 minutos do primeiro tempo, em cobrança de falta, no ângulo superior direito. Aos 8 minutos da segunda etapa, Hiltinho, após belo passe de Henrique chutou cruzado no canto direito, na saída de Magrão. O Sport diminuiu o marcador, aos 24’. Rogério, após cruzamento da esquerda, cabeceou livre da entrada da área para o gol.

Análise do jogo

Sem dúvida, esse foi o melhor do jogo do Sampaio nesta temporada. No primeiro tempo, o Tricolor não deu muito espaço para o adversário, controlou o meio de campo, sobretudo com as boas atuações de Diego Silva e Daniel Barros. Na frente, Henrique e Felipe Costa, por incrível que pareça, deram muito trabalho ao sistema defensivo do time pernambucano, variando bastante o posicionamento entre eles, e deixando, em algumas oportunidades, os companheiros em boas condições de finalizar.

Elogiáveis também foram as presenças de Wanderson, goleiro da base, que atuou como titular pela primeira vez no elenco profissional, muito seguro em todos os lances nos quais fora exigido, e do jovem lateral esquerdo Wesley, também da base, sempre dando boas opções de jogadas pela esquerda, fortalecendo o setor ofensivo. O volante Marcelinho, das categorias de base, entrou no segundo tempo e fez a sua estreia no time principal. Outro estreante foi o lateral/volante Pedro, que veio da Cabofriense. Ele entrou no decorrer da segunda etapa.

A pergunta que todo torcedor boliviano deve estar se fazendo é “por que deixaram para fazer o seu melhor jogo na temporada quando já não havia chance de classificação?”. O importante agora é que o time aproveite bem os 15 dias de folga para trabalhar, aparar as arestas e qualificar o elenco com os novos reforços.

FICHA DO JOGO
SAMPAIO CORRÊA 2 X 1 SPORT

Local: Estádio Castelão, São Luís (MA)
Data: 22 de março de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Italo Medeiros de Azevedo (RN)
Gols: Daniel Barros – 21’ 1ºT e Hiltinho – 7’ 2ºT (Sampaio); Rogério – 24’ 2ºT

Sampaio Corrêa: Wanderson; Roniery, Arthur Sanches, Alex e Wesley; Diego Silva (Marcelinho), Valderrama, Daniel Barros, Felipe Costa e Hiltinho (Pedro); Henrique (Cleitinho). Técnico: Francisco Diá.

Sport: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Caio (Mansur); Rodrigo, Ronaldo (Juninho) e Everton Felipe; Rogério, Leandro Pereira (Fábio) e André. Técnico: Daniel Paulista.

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Atuação ruim ou encontro com a realidade?

A derrota do Taubaté diante do Sertãozinho, 2x1, na noite da última quarta-feira no Joaquinzão pregou uma grande dúvida na cabeça do torcedor Alviazul.

O time comandando pelo técnico Evaristo Piza mais uma vez apresentou os mesmos defeitos, especialmente na defesa, conseguindo a proeza de sofrer gols no primeiro minuto tanto na etapa inicial, como no segundo tempo, algo inacreditável para o futebol profissional.

Burro da Central foi derrotado em casa pelo Sertõazinho. Foto: Bruno Castilho/EC Taubaté
O confronto diante do Sertãozinho serviria como parâmetro para entendermos qual é a real situação do Burro da Central na Série A2 do Paulista. Após enfrentar os times da parte debaixo da tabela, o confronto desta rodada inicia uma série de partidas contra equipes mais bem colocadas na competição, e logo no primeiro confronto, uma gigantesca ducha de água fria. A atuação foi preocupante.

Os inúmeros desfalques mostram um claro erro na montagem no elenco, que possui apenas um lateral esquerdo de oficio, sendo que este está lesionado desde a terceira rodada, e apenas um camisa nove de formação.

Para os mais otimistas, os resultados da rodada ainda mantém o Taubaté próximo da zona de classificação para as semifinais, tendo pela frente confronto direto com grande parte dos concorrentes. Já para os pessimistas, a vantagem para a zona de rebaixamento que há uma semana era de oito pontos, hoje são de seis.

Com 21 pontos em disputa, tudo pode acontecer, tanto para cima, quanto para baixo. Porém se a postura não mudar, a tendência é a de o torcedor taubateano passar a olhar mais baixo do que para cima nos próximos dias. 

URT X VILLA NOVA: Um jogo além das quatro linhas

(Foto: Márcia Melo / Linha de Fundo)
Em uma partida emocionante, com o apoio incondicional de sua torcida, a URT venceu o Villa Nova, no último domingo, em jogo válido pela oitava rodada do Campeonato Mineiro e voltou ao G4.

Da arquibancada temos uma visão ampla do jogo, nada passa despercebido, muitas vozes gritando, cantando, apoiando o time... O coração do estádio. A cada chute perdido um uhhhhhhh ecoa e quando a bola toca a rede a alegria explode.

E explodimos, uma, duas vezes, em um jogo eletrizante, com vários lances que mereceram aplausos, defesas incríveis, jogadas e dribles sensacionais. Um time entrosado, jogando fácil, bem diferente das três últimas partidas, em que os resultados não foram os esperados.

(Foto: Márcia Melo / Linha de Fundo)
O atacante Edmar, que fez os dois gols da equipe, caiu mais do que nunca nas graças da torcida, ao seu lado em campo, Alan Dias, o goleiro Juninho, o regular Jô, os gigantes da defesa Diego Borges e Rodolfo, Carlinhos, Cascata, Thiago Brito, Fábio Alves, Dick, todos, jogaram uma grande partida e ao final,  mais um tabu foi quebrado, jamais tínhamos vencido o Villa em Patos de Minas.

Voltamos ao G4, reacendemos a chama da esperança, vamos buscar a classificação para as semifinais. A próxima partida é contra o líder, Atlético Mineiro e mais uma vez estaremos lá, apoiando o nosso time, afinal, como cantamos nas arquibancadas “o meu amor é por você, e é por isso, que eu canto assim, é por ti, URT!”.

(Foto: Márcia Melo / Linha de Fundo)

(Foto: Márcia Melo / Linha de Fundo)

(Foto: Márcia Melo / Linha de Fundo)

Um repeteco da final: Saints caem para o Spurs

O adversário dessa vez, não era nada de tão difícil, ainda mais sem o artilheiro Harry Kane. Mesmo assim, abusamos das chances desperdiçadas e acabamos sofrendo mais uma derrota no domingo (19) no White Hart Lane. Os gols foram marcados por Delle Alli, Eriksen pelo Tottenham, e Ward-Prowse pelo Southampton.

Logo no início do jogo, o dinamarquês Eriksen chutou no canto de Forster abrindo o placar, deixando os Saints confusos no jogo. Mas o time começou a se acertar a partir dos 20 minutos e as chances apareceram com Oriol Romeu, em um chute de fora da área, Gabbiadini, após receber um passe de Tadic, chutou pelas rede do lado de fora, e a última chance com o próprio sérvio. Redmond salvou uma bola que parecia perdida e o colocou na frente do gol sem marcação nenhuma e o nosso ponta isolou para a frustração dos torcedores presentes no estádio. Ainda no primeiro tempo, um balde de água fria. Steven Davis entrou solando Delle Alli na área, pênalti batido e convertido pela jovem promessa inglesa. Com isso, fim do primeiro tempo.

Voltamos do intervalo e logo aos sete minutos, após cruzamento de Bertrand, Ward-Prowse dominou, girou e marcou, diminuindo o placar e colocando o Southampton de volta na partida.

Imagem relacionada
James Ward-Prowse marcou o gol do Saints no jogo (Foto:Daily Mail)
Pareceu que depois do gol, o time não foi mais para frente. Conseguia ter um toque de bola, envolvendo o Spurs, mas não conseguia ter sucesso no ataque. O time de Londres assustou com uma chance do coreano Son e não foi muito mais que isso. Um lance que também chamou bastante atenção foi a chegada bem forte de Victor Wanyama em Tadic. Victor foi jogador do Southampton por três temporadas e saiu nessa temporada, mas conhece bem o sérvio, pois jogaram juntos nos Saints. O clima entre os dois ficou bem tenso depois. No final, mais uma derrota na conta, 2 x 1 para o Tottenham.

Com o resultado, o Southampton fica na décima posição na Premier League, com 33 pontos. O time joga agora no dia primeiro de abril em casa, recebendo o Bournemouth, fazendo o clássico do sul da Inglaterra.

WE MARCH ON - João Eduardo Gurgel

Duas eliminações em dois meses: O que nos resta?

O jogo mais decisivo da noite pela Copa do Nordeste, realizado em Maceió, teria na disputa as equipes de CRB e Itabaiana. O time Sergipano, líder do grupo com 10 pontos ganhos precisava apenas de um empate para se classificar para a próxima fase, já o Galo teria que vencer ou vencer. A torcida compareceu em peso ao estádio, atendendo ao pedido da diretoria que colocou o preço dos ingressos de forma acessível a todos.

Análise

Controlando as ações em todo o tempo de jogo, marcando o adversário de forma agressiva e ininterrupta. Assim foi o CRB em todos os noventa minutos da partida. A postura era excelente, mas foi tomada de forma tardia pelo elenco e principalmente pelo treinador. Foi necessário estar na pior situação para ter de ir pra cima conquistar a vitória. Mesmo tendo o mando de campo a seu favor, torcida em bom número no estádio, tudo isso fica zerado quando o time está no desespero.

(Pei Fon / Portal TNH1)
(Foto: TNH1)
A irresponsabilidade por parte da comissão técnica e dos jogadores ao deixar a decisão pela vaga no último jogo da fase de grupos com um time totalmente superior aos demais fez com que a torcida, insatisfeita com a equipe, começasse a pedir a demissão de alguns atletas e do próprio treinador. O jogo foi totalmente do goleiro Genivaldo do Itabaiana, destaque na partida por salvar a equipe em momentos cruciais.

O Galo tentou várias vezes, mas não conseguiu marcar o gol e viu a classificação para a próxima fase desaparecer dos planos do clube no apito final do árbitro.

(Pei Fon / Portal TNH1)
Agora, eliminado na Copa do Brasil e Copa do Nordeste de forma precoce, resta o CRB ir com força máxima para a conquista do tricampeonato estadual. A diretoria tem poucos dias para tentar anunciar novos jogadores para a disputa do hexagonal.

Opinião

Devemos lembrar sempre que nas duas eliminações do CRB neste ano de 2017, tínhamos tudo para se classificar por ser uma equipe com jogadores de salário maior, estrutura e nível de time de Série B. Não houve evolução alguma em relação ao ano anterior. Não se pode colocar culpa no novo modelo de disputa na Copa do Brasil, foi incompetência. O empate bastava para se classificar e não aconteceu. A equipe era muito mais superior. Contra o Itabaiana, equipe inferior e que igual ao CRB na Copa do Brasil, visitou seu adversário precisando de apenas um empate para se classificar e conseguiu. Mesmo tendo uma equipe limitada e inferior, o estádio cheio e com torcida apoiando o time da casa.

Léo Condé não pode mais continuar como treinador da equipe, não tem como persistir. Diferente dos países europeus, aqui não dá pra aguentar. Não temos resultado e muito menos qualidade em campo. Jogadores devem ser dispensados de forma imediata, talvez uns dez jogadores entrem nesta lista no mínimo. A postura após duas eliminações totalmente precoces devem mudar, ou o ano vai ser bem complicado.

Mais um! São Paulo fica no empate, de novo...

São Paulo não consegue segurar o placar e foi para a 4ª partida sem vencer.

São Paulo foi a Ribeirão Preto tentar voltar a contar com os três pontos. Entretanto, novamente, após sair na frente o Tricolor do Morumbi cedeu ao empate. E o jogo ficou em 1 a 1.

Rogério Ceni teve que montar o time com oito desfalques: Wesley (recupera-se de artroscopia no joelho esquerdo), Maicon (entorse no tornozelo esquerdo), Rodrigo Caio (edema no joelho esquerdo), Sidão (lombalgia), Cícero (torcicolo), Buffarini e Pratto (na seleção argentina), Cueva (na seleção peruana) e Lyanco (não está inscrito na primeira fase do Paulista).  Sem sua zaga titular, Ceni apostou em Lugano e Lucão, esse que fez sua primeira partida em 2017. Além deles, as novidades foram Nem para o lugar de Cueva e Araruna no meio, junto com Thiago Mendes e João Schmidt. João ficou mais recuado, na saída de bola, e formou triângulo com Mendes e Araruna. Nem, na direita, Araújo, na esquerda.

O primeiro tempo foi perfeito para a torcida são-paulina. Botafogo chegou com perigo no máximo uma vez, já o São Paulo chegou diversas vezes. Logo aos 5 min teve bola na trave do Luiz Araújo. Porém, o gol mesmo saiu apenas aos 20', Júnior Tavares cruzou na medida para Gilberto, que cabeceou no canto de Neneca. Na segunda etapa... Tricolor do Morumbi não voltou do vestiário. Botafogo voltou e bem melhor. Empatou a partida aos 8'. Kauê foi lançado nas costas de Lucão e cara a cara com o Renan, bateu cruzado e deixou tudo igual.

Mais uma partida que ficou clara a falta de alguém para armar as jogadas quando Cueva não está em campo. Além disso, outra partida muito ruim de João Schmidt. Já o qual todos achavam que iriam passar os 90' xingando, Lucão, não fez uma má partida, falhou no gol, mas foi bem em roubadas de bola. Luiz Araújo também deixou a desejar, mais uma vez, não apareceu no jogo. Não "chamou" o jogo.

Com esse empate, o Tricolor continua líder do Grupo B, agora com 16 pontos, Linense está em 2º com 14. Próximo jogo do São Paulo é o Majestoso, domingo (26/03), às 16h, no Morumbi.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio Santa Cruz - Ribeirão Preto, SP
Cartões Amarelos: Bileu, Fernando Medeiros e Serginho (BOT); Bruno e Araruna (SAO)
Gols: Kauê (BOT); Gilberto (SAO)
Arbitragem: Leandro Bizzio Marinho, auxiliado por Fabrício Porfírio de Moura e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo

BOTAFOGO-SP
Neneca; Samuel Santos, Filipe, Gualberto e Diego Pituca; Bileu (Fernando Medeiros), Marcão Silva, Vitinho (Bernardo) e Serginho (Kauê); Francis e Marcão. Técnico: Moacir Júnior

SÃO PAULO
Renan Ribeiro; Bruno (Lucas Fernandes), Lucão, Lugano e Júnior Tavares; João Schmidt, Araruna e Thiago Mendes; Luiz Araújo, Wellington Nem (Jucilei) e Gilberto (Andres Chavez). Técnico: Rogério Ceni

Paraná encaminha primeiro lugar no Paranaense

Paraná e Londrina entraram em campo no Café na noite dessa quarta-feira, precisamente às 21h45, pela antepenúltima rodada do Campeonato Paranaense. Com características ofensivas, o jogo foi bem disputado e corrido, terminando em um empate de 2x2.

Matheus Carvalho foi o autor do gol de empate Tricolor (Foto: Roberto Custódio/Gazeta do Povo)
A peleja começou pegando fogo: Paulinho, no primeiro minuto, recebeu bola de Robinho e deslocou o goleiro Léo, abrindo o placar a favor da equipe mandante. O Paraná, devido ao prejuízo no jogo, tratou de atacar e teve algumas chances. A primeira tentativa foi com Gabriel Dias num chute de longe pra longe; a segunda foi numa cobrança de falta batida por Renatinho, mas a bola passou acima da meta do goleiro do Tubarão; a terceira, última antes do outro gol do Londrina, fui numa cabeçada à queima-roupa de Matheus Carvalho, mas o goleiro Alan deu sorte de estar exatamente no lugar que a bola foi.

Aos 35 minutos, após cruzamento, Airton hesitou e terminou cometendo pênalti sobre Paulo Rangel. O número 3 do Tricolor estava sozinho por trás do atacante londrinense, com o controle da situação, mas acabou segurando o jogador adversário e cometeu a infração. Germano converteu o pênalti ampliando o marcador para o Londrina: 2x0.

Buscando diminuir o marcador para a etapa que estava por vir, Renatinho sofreu falta perto da grande área. Na primeira tentativa, o volante França se adiantou muito (e bota muito nisso), findando por levar o amarelo; como já tinha, levou o vermelho. Para melhorar a situação do Paraná, o próprio Renatinho bateu com perfeição, sem chances para o goleiro Alan.

Não demorou para o Tricolor aproveitar a vantagem numérica em campo no segundo tempo. Aos 7 minutos, após linda tabela, Alex Santana serviu Matheus Carvalho que deu um lindo toque no contrapé do goleiro: 2x2.

A partida começou a ficar muito faltosa, mas, ao mesmo tempo, os times chegavam bastante ao ataque. Aos 20 minutos, o Paraná teve sua principal chance após o gol de empate: Alex Santana chutou da entrada da área e a bola passou tirando tinta da trave. Aos 28 minutos, Airton mandou a bola na trave, mas do seu próprio gol. Em cruzamento de Germano, o zagueiro tentou tirar do jeito que dava, todavia, a bola pegou um efeito e quase o Londrina desempatava a partida.

No final o Paraná foi perdendo o gás. Por conseguinte, o time da casa, mesmo com um a menos, começou a atacar com frequência, oferecendo perigo à meta de Léo. Entretanto, as investidas foram sem sucesso e o Tricolor volta com um ponto na bagagem para Curitiba. Uma vitória no próximo jogo garante o time da Vila Capanema classificado como primeiro lugar da fase inicial.

Kaike disputando a bola com o jogador França (Foto: Globo Esporte)
DESTAQUES

Comandando o meio de campo e aparecendo sempre pra fazer gols, Renatinho foi um dos destaques paranistas na partida de hoje (23). Foi ele quem sofreu e fez o gol na falta, que resultou num jogador do Londrina expulso, e inaugurou a reação Tricolor.

Alex Santana também merece um destaque. Como sempre, chegando ao ataque, mesmo que sua principal função é ajudar na contenção das investidas da equipe adversária. Deu a assistência para o segundo gol e quase fez o da virada.

PRÓXIMO CONFRONTO

No Estádio 14 de Dezembro, o Paraná enfrentará o Toledo no oeste do estado, buscando a confirmação do primeiro lugar no final dessa fase. O jogo será domingo (26) às 16h.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana