A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

domingo, 26 de março de 2017

Cirúrgica, Chapecoense vence Avaí e assume liderança do returno

Levou apenas 45 minutos para a Chapecoense bater o Avaí na tarde deste domingo (26), e assumir a liderança do returno do Campeonato Catarinense. Com gols de Andrei Girotto e Arthur Caíke no primeiro tempo, o Verdão só administrou o resultado na segunda etapa.

Renato Padilha/Mafalda Press/Gazeta Press
Depois de uma goleada jogando em casa contra o Tubarão por 7x0, e vencer o Almirante Barroso em uma virada por 3x2 no apagar das luzes, depois de estar perdendo por 2x0, Vagner Mancini manteve a base que iniciou últimas partidas, e aos poucos vai entrosando o grupo de jogadores, as únicas alterações foram as voltas de João Pedro na lateral, e a entrada de Luiz Otávio na zaga ao lado de Grolli.

Com pouco mais de 10 mil torcedores, alguns ainda encaravam a fila para entrar na Arena Condá, quando o jogo iniciou, e não viram a pressão verde e branca, que por pouco não abriu o placar aos 3 minutos, quando João Pedro fez bela jogada e bateu cruzado, Kozlinski com um tapinha tirou de Arthur Caíke e salvou o Leão.

Depois foi a vez de Rossi quase marcar aos 4 minutos, Reinaldo cruzou e quase encontrou o atacante do Verdão na área, antes dele Capa com um leve desvio impediu a finalização. Em seguida aos 5', Arthur Caíke viu a bola sobrar na área e finalizar, para defesa do goleiro Avaiano.

Mas já diz o ditado “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, aos 6 minutos, os torcedores que ainda entravam na Arena, perderam a linda jogada e a bela finalização de Andrei Girotto, sem chances para Kozlinski, colocando o Verdão em vantagem no placar.

Atrás no placar, o Avaí partiu para cima, Betão chegou atrasado ao segundo pau após cruzamento de Marquinhos e perdeu a oportunidade, depois foi a vez de Marquinhos desperdiçar, finalizando em cima de Arthur Moraes.

O golpe fatal da Chape veio aos 44 minutos, quando tudo se encaminhava para o intervalo, Arhur Caíke arriscou de fora da área, e contou com a falha de Kozlinski, para ampliar o placar e firmar ainda mais o clube na liderança do returno.

Sem alterações nas equipes, o segundo tempo iniciou diferente, com a troca nos papeis dos clubes, com a Chapecoense jogando para segurar o placar, e o Avaí pressionando em busca de tentar diminuir o placar.

O leão até tentava, mas não conseguia furar o bloqueio da defesa Chapecoense e Arthur Moraes, que aos 13 minutos fez bela defesa em finalização de Capa. O clima dentro do gramado esfriou e a torcida Chapecoense comemorava nas arquibancadas, e apenas aguardou o apito final de Bráulio da Silva, o gigante acordou.

Aos poucos enfim Vagner Mancini vai encontrando a sua equipe ideal, novamente vimos que Luiz Otávio deve sim ser o titular na zaga, muita segurança, tanto com Grolli, quanto com Nathan, a dúvida ficará na volta de Niltinho, que vai ter briga dura com Arthur Caíke, que fez uma partida perfeita na tarde deste domingo.

A Chapecoense volta a campo na próxima quarta-feira (29), quando recebe na Arena Condá o Brusque, em busca de firmar de vez a liderança do returno.

Marcelo Weber || @acfmarcelo

Zé do gol, QUE HOMEM, e a vaga na semifinal garantida

Caros tricolores, o Fortaleza voltou a campo na noite do último domingo (26), para encarar o Tiradentes, pelo jogo da volta das quartas de final do certame estadual, no primeiro jogo o tricolor havia obtido uma vitória por 3 a 2 e detinha a vantagem do empate para avançar no campeonato. Esse jogo marcou a reestreia do meio-campo Éverton e estreias dos novos contratados, o meio-campo Ronny e do volante Rodrigo Mancha. Leão venceu por 3 a 0 e carimbou o passaporte para as semifinais, dois gols do Zé Carlos e um do Lúcio Flávio. 

O primeiro tempo, o time entrou um pouco desligado, errando muitos passes bobos e não conseguiu ter o domínio completo da partida, criando poucas oportunidades e ainda sofreu com as investidas em velocidade do adversário, tanto que, o Boeck teve que praticar duas defesas complicadas. No segundo tempo, o time se encaixou, conseguiu pressionar e criar oportunidades de gol e construiu o placar com alguma facilidade, entretanto o nosso goleiro foi exigido em algumas oportunidades, ligando o sinal de alerta em relação ao sistema defensivo da equipe.

O primeiro gol foi fruto de uma bela tabela entre o lateral Jeferson e o meio-campo Leandro, que resultou em um cruzamento preciso na cabeça do Lúcio Flávio, a partir desse momento brilhou a estrela de Zé Carlos (Zé do gol), na jogada do segundo gol, roubou a bola do zagueiro, e na sobra do lance o atleta Ronny sofreu o pênalti, que fora convertido pelo artilheiro. No terceiro gol, quase no fim do jogo, recebeu em profundidade, deixou dois zagueiros desnorteados e mandou por cobertura, num lance de raríssima felicidade. Mesmo fora de forma, ele conseguiu cumprir muito bem o papel a que fora designado e é isso que a nação tricolor espera para a sequência da temporada.

O duelo da semifinal já está definido, iremos enfrentar o Ferroviário (Clássico das Cores), em dois jogos, que serão provavelmente nos dois primeiros finais de semana de abril.

Fortaleza começou mal, mas reagiu e garantiu classificação (Foto: JL Rosa/Agência Diário)
Algumas observações sobre o jogo:

- Sistema defensivo dando muito sustos e ainda não muito ajustado, parece que falta confiança e um melhor posicionamento. Heitor, zagueiro inseguro e que ainda continua ganhando chances como titular.

- Público de 5 mil pessoas, muito fraco ainda, mas ainda maior que o do nosso rival, a competição está afunilando e a torcida vai chegar junto com o time.

- Temos 31 gols na temporada, 16 desses marcados por Zé Carlos e Lúcio Flávio juntos, temos dois bons centroavantes e se a bola chegar com qualidade teremos muita chance nas nossas competições.

- A maior preocupação é com o esquema de jogo, que estamos jogando com dois centroavantes, perdendo um pouco a velocidade nas pontas e o povoamento do meio-campo, mas, isso precisa ser mais trabalhado nos treinamentos.

- Marcelo Boeck, melhor contratação da temporada até o momento, faz defesas difíceis, trazendo a segurança que tanto precisamos no gol tricolor.

#BORA LEÃO
#QUEREMOS O ACESSO
#SAUDAÇÕES TRICOLORES
#ZÉ CARLOS, QUE HOMEM!!!

"Clássico das Multidões" sem as multidões

Num jogo que não valia nada além da rivalidade, CSA e CRB empataram em 0x0 no Trapichão com portões fechados. Vivendo fases de questionamentos, ambos os times tentaram a vitória num jogo que servia apenas para cumprir tabela. Se não fosse a rivalidade, o ímpeto pelo gol seria muito menor.

Pressionado, o CSA queria dar uma resposta ao seu torcedor neste jogo, mas será necessário muito mais do que um jogo para convencer a maior e mais apaixonada torcida de Alagoas. Durante a semana surgiram, inclusive, boatos de que o técnico Oliveira Canindé estaria negociando com outra equipe. Isto deixou a Nação Fantástica Azulina atenta e resultou numa explicação pública por parte do treinador, visto que uma situação similar ocorreu em 2014. A explicação não convenceu muito, nem o futebol que o CSA vem apresentando nos últimos jogos.

Foto: Alisson Frazão/Ascom-CSA
Apesar de tudo isso o CSA se manteve invicto na competição, mas no hexagonal começa tudo outra vez. Assim, nesta quinta-feira (30/03) o CSA receberá o CEO no Trapichão em seu último jogo com portões fechados no estadual.

Público zerado e placar zerado também

Mais uma vez com o estádio vazio, lá estava CRB e CSA em campo, dispostos a fazer mais um bom duelo no ano de 2017. O jogo bastante corrido, o Regatas bem melhor em campo, mas não conseguindo marcar e sair com a vitória. O Azulão do Mutange encerrou a primeira fase invicto com o empate.

O jogo

Começando muito melhor, finalizando mais vezes e tendo Maílson como principal jogador e criador de oportunidades, o CRB foi mostrando certa superioridade após a eliminação vergonhosa da quarta-feira passada contra o Itabaiana no Estádio Rei Pelé. Nos 15 primeiros minutos, uma chance clara para cada lado. Jacó sozinho perdeu oportunidade clara no um contra um contra Juliano. Já a chance criada pelo CRB, feita por Maílson, fintou dois atletas e saiu livre para finalizar contra o goleiro Mota.

Chico, jogador que chegou para ser mais reserva do que titular, ganhou espaço. Aproveitando a titularidade, fez ótimas jogadas nos primeiros minutos do primeiro tempo. Maílson e Boaventura receberam terceiro cartão amarelo e desfalcam a equipe na primeira rodada do hexagonal.

Em duas cobranças de falta, Daniel Costa para o CSA e Diego para o CRB finalizaram, nas duas oportunidades a bola passou perto do gol e levou perigo para os dois goleiros. Não houve mais alguma jogada que deixou a partida "pegando fogo".

Segundo tempo

Mesmo com a bola nos pés, não foi tanto perigosa as investidas do CRB no ataque. Elias não se entendia com a bola e se atrapalhava todo quando tentava criar chances. Os meio-campistas do Galo não estavam criando oportunidades suficientes para servir os dois atacantes da equipe. Maílson nos primeiros minutos não conseguia ter o mesmo brilho da primeira etapa em suas jogadas individuais. No lado adversário, Soares apagado em campo não produzia absolutamente nada.

Danilo Pires, camisa dez da equipe não armava e muito menos dava opção no meio para criar as jogadas. Um meio de campo sem criação enfraquece o ataque que também não está muito bem.


Foto: TNH1
Através da bola parada as chances pareciam se tornar mais oportunas para ambas as equipes, principalmente para o CRB. Marcos Martins, Diego e Chico revezavam na hora da bola parada. Boaventura quase marcou de cabeça após cruzamento do meia Chico em escanteio, mas o goleiro Mota fez defesa sensacional e evitou o gol.

As equipes se "retardavam" em campo, erro atrás de erro. A equipe azulina não conseguia acertar os passes mais decisivos, já as Regatas erravam mais na hora da finalização. Os zagueiros do Galo eram os que mais chegavam pra finalizar, invejando o atacante Elias que não conseguia absolutamente nada. 

Foto: TNH1
Brígida, assistente número dois errou em marcar impedimento do atacante Jacó. O jogador estava em posição legal e no lance acabou marcando o gol, mas os jogadores do Regatas já haviam desistido da jogada, já que o árbitro teria apitado para o jogo ser paralisado. Aos 26' Maílson e Yuri saíram de campo para a entrada de Clebinho e Jocinei, respectivamente. Nos contra-ataques, o CSA pecava demais, sempre no último passe ou na finalização. E se um lado errava, o outro também. Marcos Martins sozinho pela direita invadiu a área e chutou em cima do goleiro Mota. No minuto 35' Neto Baiano entrou em campo no lugar de Elias.

Com dois minutos em campo já mostrou muita vontade, e que não entrou para ficar de "mãos livres" em campo buscando marcar o gol. O dono do jogo agora claramente era o Regatas, dono da posse de bola e finalizando bem mais vezes que o adversário. Aos 44' Mota fez duas defesas fantásticas em finalizações de Clebinho e Danilo Pires. E com 2' minutos de acréscimos, o jogo se encerrou aos 47' com o placar de 0 a 0.

Esperando pelo hexagonal

Neste ano, o CRB não conseguiu acrescentar nenhum jogo a sua tabela. Cumpriram os seis jogos que faria na Copa do Nordeste, cumpriu seu único jogo no Alagoano e no estadual era obrigação passar de fase. Os dez jogos da primeira fase do estadual foram finalizados e nos números não foram cumpridas as expectativas da torcida em relação ao time. Agora o Galo espera a tabela de o hexagonal ser divulgada.

Números do clássico:

193 vitórias para o CRB
153 vitórias para o CSA
162 empates

Ceará 4 x 1 Uniclinic: 100 vezes Magno Alves

Ceará goleou o Uniclinic com direito ao centésimo gol do atacante Magno Alves e carimbou vaga nas semifinais do estadual.

Hoje em dia é muito difícil encontrar um jogador de futebol que consegue marcar 100 gols por um clube, mas Magno Alves com seus 41 anos conseguiu tal feito. Em mais uma partida onde ficou evidente que o Ceará segue em evolução, o time alvinegro fez 4 a 1 no Uniclinic e garantiu presença na próxima fase do Campeonato Cearense.

Magno Alves fez seu 100º gol pelo Ceará. FOTO: CearaSc
O jogo

No primeiro tempo as principais chances foram do Uniclinic, mas assim como no jogo de ida o Vozão soube aproveitar a chance que teve, aos 19 minutos Romário cobrou falta na área e o zagueiro Luiz Otávio empurrou para o gol. A águia chegou com perigo aos 25 com Jerson em um chute forte e ainda obrigou ao goleiro Everson a intervir em outras três oportunidades.

Luiz Otávio marcou o 1º gol do Ceará. FOTO: CearaSc
Precisando da vitória o Uniclinic partiu para o ataque e novamente o Ceará marcou, após desvio de Richardson, Victor Rangel marcou seu primeiro gol pelo Ceará. Aos 11 minutos foi a vez dele, Magno Alves recebeu dentro da área, driblou o goleiro e mandou para as redes. A vantagem que já era grande ficou ainda maior quando o zagueiro Luiz Fernando foi expulso, o Uniclinic conseguiu marcar aos 35 minutos em cobrança de pênalti de Netinho, o mesmo Netinho quase fez o segundo em cobrança de falta minutos depois. Para fechar a tarde alvinegra com chave de ouro faltava o gol 100 de Magno Alves e esse veio aos 45 minutos, após passe do volante Raul o bom velhinho não perdoou e deu números finais a partida.

Assim como no jogo de ida não jogamos bem no primeiro tempo o adversário foi mais incisivo, mas fizemos o necessário. Já na segunda etapa o time evoluiu e jogou de forma inteligente, com isso os gols (o segundo e o terceiro) saíram naturalmente. Com 3 x 0 no placar e já classificado Givanildo realizou as substituições para testar jogadores como Ricardinho, Jackson Caucaia e Wallace Pernambucano (estreia) esses que por sinal não comprometeram e devem ter agradado ao treinador.

Magno Alves e Ceará: A união que deu certo

Magno Alves e sua história no Ceará. FOTO: Davi Maia
O baiano Magno Alves de Araujo desembarcou em Porangabussu em Julho de 2010, aos poucos foi conquistando seu espaço e marcou seu primeiro gol pelo Ceará na 18º rodada do Brasileirão daquele ano contra o Atlético/PR. O então camisa 96 firmou-se no time titular e foi peça fundamental para a boa campanha do time alvinegro na competição que culminou com a conquista da vaga na Copa Sul-Americana, em 2010 foram 21 jogos e nove gols assinalados.

A segunda passagem do ídolo Magnata pelo Ceará ocorreu em Setembro de 2012, mas ele sentiu o mau momento do time na reta final do brasileiro e em 12 jogos conseguiu marcar apenas um gol, de pênalti contra o América/RN. Já em 2013 foi o artilheiro do Vozão e o vice do Brasil (Naquela ocasião ficou atrás de Hernane Brocador até então jogador do Flamengo), os seus 34 gols em 62 partidas foram de suma importância para o clube, principalmente no segundo turno do brasileirão onde o Ceará quase conseguiu o acesso para a primeira divisão.

Em 2014 o incansável Magno Alves melhorou ainda mais os seus números, em 60 partidas marcou 38 vezes e conseguiu ser o artilheiro do Brasil daquela temporada, vale ressaltar que Magno ainda foi o artilheiro da Copa do Nordeste com oito gols. No ano de 2015 jogou pelo clube até o inicio de maio quando se transferiu para o Fluminense (outro clube no qual é ídolo), em 25 jogos conseguiu fazer 11 gols, sendo quatro desses na Copa do Nordeste.

Antes de ir embora em 2015 ele deixou bem claro ''Um dia eu vou voltar, quero marcar 100 gols pelo Ceará'', o seu retorno tão esperado pelo torcedor finalmente aconteceu e o bom velhinho não desapontou seus súditos, já são sete gols em 13 partidas. Juntando as três passagens pelo clube, são 193 partidas e 100 gols assinalados, conquistou dois Campeonatos Estaduais (2013 e 2014), uma taça dos Campeões Cearenses (2014) e uma Copa do Nordeste (2015).

Além de gols, Magno Alves acumulou títulos no Ceará. FOTO: Opovo
Hoje ele é o sexto maior artilheiro da história do Ceará, está atrás de Gildo (261 gols), Mitotonio (151 gols), Sérgio Alves (141 gols), Pipiu (115 gols) e Antonino (110 gols). Continuando nesse ritmo Magno tem tudo para assumir a quarta posição do ranking, tendo em vista que seu contrato com o alvinegro é até o final da Série B.

Próxima Partida

O próximo compromisso do Ceará será contra o Guarani de Juazeiro pela semifinal do estadual, essa fase do campeonato e a final acontecerão em melhor de três jogos. A primeira partida ocorrera no dia 05/04 e para esse confronto o zagueiro Luis Otávio cumprirá suspensão automática.

FICHA TÉCNICA - CEARÁ 4 X 1 UNICLINIC

CEA: Everson, Cametá, Rafael Pereira, Luiz Otávio, Romário, Raul, Richardson (Jackson Caucaia), Felipe Menezes (Ricardinho), Lelê, Victor Rangel (Wallace Pernambucano) e Magno Alves. T: Givanildo de Oliveira

UNI: Dionatan, João Neto, Luiz Fernando, Airton Jr, Anderson Sobral, Guidio (Vanim), Lincol, Jerson, Netinho, Preto (Denilson) e Edson Cariús (Leylon). T: Anderson Silva

CARTÕES AMARELOS: CEA: Felipe Menezes, Cametá, Luiz Otávio e Rafael Pereira / UNI: Luiz Fernando, Preto, Lincol, Jerson.
CARTÕES VERMELHOS: UNI: Luiz Fernando
GOLS: Luiz Otavio (19/1T); Victor Rangel (5/2T); Magno Alves (11/2T) (45/2T) e Netinho (35/2T).

Davi Maia | @davims 
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana