A SUA LINHA DE NOTÍCIAS

Tecnologia do Blogger.

Arquivo do blog

TWITTER

FACEBOOK

Premier League Brasil

Siga-nos nas redes sociais

Popular Posts

Quem sou eu

CLASSIFICAÇÃO

sexta-feira, 31 de março de 2017

Lobo derrota Águia e garante vantagem na Copa Verde

Na noite desta sexta-feira (31), no Zinho Oliveira, ocorreu o primeiro dos três jogos entre Paysandu e Águia, que acontecerão em 10 dias. Este primeiro era válido pela primeira partida das quartas de final da Copa Verde e todo resultado seria uma boa vantagem para se guardar de uma “maratona” como essa.

Antes mesmo de começar o jogo, já apareciam sinais de que não seria uma partida fácil. As péssimas condições do gramado, com poças de água e buracos, levavam a crer que os melhores lances sairiam de bolas paradas. E logo que começou o jogo, esta crença parecia se confirmar, já que ambos os times viam muitas dificuldades em trabalhar a bola. O primeiro lance de perigo foi da equipe visitante, quando aos 21’, Ayrton alçou a bola na área e Alfredo desviou para frente, Wesley aproveitou a sobra e tentou a finalização, mas se atrapalhou e perdeu a oportunidade de abrir o placar.

O Águia, apesar de estar mais acostumado ao Zinho, tinha suas investidas cortadas pela defesa do Paysandu. E com o tempo, o alviazul começou a demonstrar que estava se adaptando ao gramado e o tipo de jogo que poderia ali ser jogado. Aos 34’, Alfredo chegou com velocidade, ganhou do defensor e entrou na área, chutando cruzado para Wilkerson, que de carrinho, empurrou a bola para dentro do gol, fazendo 1x0 para a equipe visitante.

(Foto: Reprodução Esporte Interativo)
O Azulão teve sua melhor oportunidade no primeiro tempo numa cobrança de falta. Esta saiu aos 40’, com Kaíque rolando para Eric chutar rasteiro e forte para o gol, a bola passou pela barreira, porém o goleiro Emerson, atento, fez a defesa. O Paysandu respondeu num belo contra-ataque aos 47’, quando Leandro Carvalho recebeu na ponta direita, cortou para o meio e arriscou um chutaço, Maycki Douglas se agigantou para evitar o que seria um golaço da cria da base bicolor.

No segundo tempo, logo aos 2’, Ayrton cobrou falta alçando bola na área e Gilvan desviou para o gol, mas Maycki Douglas apareceu para salvar o que seria o segundo gol bicolor. A resposta demorou, entretanto, quase veio como gol. Mael passou para Tiago Mandi na ponta, que cruzou rasteiro e Lombardi, tentando tirar o perigo, quase fez gol contra a própria meta. Foi aí que o Paysandu voltou a focar em ampliar a vantagem. Primeiro, Diogo Oliveira achou Ayrton, que passou de cavadinha para Alfredo dentro da área, o centroavante bicolor cortou para o meio e chutou, todavia, a força exagerada subiu a bola. Depois, Ayrton apareceu cobrando falta novamente e Wilkerson aproveitou a sobra para chutar e ver Maycki Douglas salvar em mais uma.

O Azulão voltou a pressionar pelo empate e depois de muitas investidas, Tiago Mandi foi derrubado por Hayner na área e o juiz assinalou pênalti, cobrado e convertido por Edinaldo aos 29’. O jogo voltou a esquentar, o Águia fazia muito uso das faltas para evitar que o Paysandu voltasse a ficar com o placar favorável. Mas não adiantou, nove minutos depois da penalidade, Ayrton tocou para Sobralense, o meia devolveu de letra e o lateral-direito do Papão chutou cruzado, fazendo 2x1 para o time azul e branco.

Próximo jogo: A próxima partida do clube alviazul é novamente contra o Águia, no segundo jogo das quartas da Copa Verde, nesta terça-feira (04), às 19h15, no Mangueirão.

Palavra da colunista: O jogo parecia que seria prejudicado pelo péssimo gramado, apesar disso, o Paysandu conseguiu, no geral, atuar bem no Zinho Oliveira. E mesmo com gramado molhado, Leandro Carvalho pôde fazer uso das jogadas de velocidade que foram responsáveis por boas chegadas à meta a adversária.

O desempenho do coletivo foi bom, mas nem todos conseguiram se sair tão bem como a maioria. E apesar do carrinho desnecessário de Hayner na área, não é ele quem leva o “pior em campo” de hoje, já que pelo terceiro jogo seguido, Fernando Lombardi conseguiu se envolver em polêmica relacionada a pênalti e quase fez um gol contra.

Antes de falar o melhor do jogo, é necessário fazer menções honrosas. Começando por Wilkerson, que marcou seu primeiro gol como profissional na partida de hoje. Outro que merece destaque é Diogo Oliveira, que teve atuação meio apagada durante alguns momentos da partida, muito por conta do campo que desfavorecia suas características, mas que conseguiu se sair bem no geral. Além de Leandro Carvalho, que já foi mencionado anteriormente, sendo eficiente no ataque e sofrendo muitas faltas que ajudaram o Paysandu a chegar mais perto da meta.

Porém, de todos os atletas, quem foi mais participativo em campo e mais ajudou a levar perigo ao adversário, foi Ayrton, que apareceu bastante no jogo e ainda foi responsável pela jogada e pelo gol da vitória.

CSA vence, lidera o hexagonal e não convence

Jogando no Trapichão com portões fechados, o CSA venceu o CEO na primeira rodada do hexagonal final do Campeonato Alagoano por 2x0. Apesar da vitória, o time ainda não convenceu em campo. A má atuação do CSA ficou evidente quando seu goleiro foi tido como destaque em campo. Claro, é bom que o goleiro Mota tenha feito seu papel, mas se ele se destacou tanto significa dizer que o sistema defensivo do CSA foi ameaçado.

Ainda sem perder no estadual, na próxima rodada o CSA enfrenta seu primeiro grande desafio na temporada, o ASA em Arapiraca. Para esta partida, o Azulão do Mutange não contará com três jogadores que receberam o terceiro cartão amarelo: Douglas Marques, Celsinho e Jacó. Por outro lado, Rayro volta ao time após cumprir suspensão e disputará a vaga na lateral esquerda com Rafinha.

Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas
Para o clássico com o ASA, o técnico Oliveira Canindé (foto) deve fazer alterações no time titular. Naturalmente são necessárias mudanças no setor ofensivo e defensivo devido aos três jogadores suspensos, mas a torcida reclama (com razão) que Didira é mantido no banco mesmo com um meio de campo deixando muito a desejar.

Se Canindé quiser mesmo vencer o ASA, muita coisa precisa mudar para o clássico.

Campeonato Maranhense Sub-19 2017 terá início neste final de semana

O Campeonato Maranhense Sub-19 2017 começará neste final de semana com dois jogos. A Federação Maranhense de Futebol divulgou somente hoje a tabela completa e o regulamento do campeonato.  

Pinheiro, campeão maranhense Sub-19, em 2016 (Foto: futebolmaranhao.com.br)
Doze clubes participarão da competição, distribuídos em três grupos (A, B e C), com quatro equipes em cada um. O campeonato será disputado em quatro fases (Grupos, Quartas de Final, Semifinal e Final). Os times se enfrentarão em jogos de ida e volta na primeira fase. Segundo o regulamento da competição, classificam-se oito times para as quartas de final, os dois melhores de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados, por índice técnico preestabelecido pela Federação.

Confira como ficaram os grupos:

GRUPO A:
Babaçu, Expressinho, Maranhão e Sabiá

GRUPO B:
Moto Club, Sampaio Corrêa, Santa Quitéria e São José

GRUPO C:
Americano, Desportiva Ludovicense, Grêmio Maranhense e XV de Novembro

Primeira rodada

Grupo C
- 01/04 (sábado) – XV de Novembro x Grêmio Maranhense – Campo do Palmeiras (Maioba) – 9h

Grupo A
- 02/04 (domingo) – Babaçu x Expressinho – Nhozinho Santos – 9h
- 05/04 (quarta-feira) – Maranhão x Sabiá – CT Parque Valério Monteiro – 15h30

As outras três partidas que complementam a primeira rodada ainda não têm datas e locais definidos por conta da falta de campos com condições adequadas, devido às chuvas constantes que caíram nos últimos dias. Partidas adiadas: Moto Club x São José e Santa Quitéria x Sampaio Corrêa (Grupo B); e Americano x Desportiva Ludovicense (Grupo C).

O curioso neste ano é que o Pinheiro (PAC), campeão em 2016 e que representou o Maranhão, junto ao Sampaio Corrêa, na Copa São Paulo 2017, não participará neste ano.

Marcos Fernandes || Twitter: @poetafernandes
Linha de Fundo || @SiteLF

Clássico das cores,o renascimento de uma rivalidade

Nascida, no final da década de 30, a rivalidade entre Fortaleza e Ferroviário, ganhará novos capítulos, nos próximos dias, sobretudo, pela possibilidade de ocorrerem três confrontos, válidos pela semifinal do Campeonato Cearense. Duelo possui muita história e uma tradição imensa dentro do estado. Já houve um confronto nesse ano, na primeira rodada do certame, um empate em 2 a 2. 

O nome atribuído ao jogo refere-se às cores dos times, onde ambos possuem três cores principais, sendo o Fortaleza (vermelho, azul e branco), e o Ferroviário (vermelho, preto e branco). O confronto perdeu muito o seu brilho nos últimos anos, sobretudo, pelas campanhas ruins do Tubarão da Barra (Ferroviário), que passou por grandes crises financeiras, chegando a estar na segunda divisão do Campeonato Cearense. O primeiro jogo datado entre as equipes ocorreu em 1938, com a vitória do Fortaleza por dois a zero.

Estatísticas do Clássico

- 311 Jogos
- 129 Vitórias do Fortaleza
- 89 Empates
- 93 Vitórias do Ferroviário
- 873 gols totais, sendo 467 do Fortaleza e 406 do Ferroviário

- Maior tabu a favor do Fortaleza: 27 partidas, sendo 21 vitórias e 6 empates, entre 1999 e 2007.
- Maior tabu a favor do Ferroviário: 18 partidas, sendo 8 vitórias e 10 empates, entre 1978 e 1981.

- Maior sequência de vitórias seguidas do Fortaleza: onze, de 1999 a 2002.
- Maior sequência de vitórias seguidas do Ferroviário: nove, de 1940 a 1943.
- Maior sequência de empates seguidos: sete, entre 1989 e 1990.

- Maior goleada leonina: Fortaleza 5 a 0, pelo Campeonato Cearense de 1947.
- Maiores goleadas corais: Ferroviário 6 a 1, pelo Campeonato Cearense de 1951, além de mais quatro partidas com o placar de 5 a 0, igualando assim o maior placar dos tricolores.

- Partida com o maior número de gols: Fortaleza 7 a 4, pelo Campeonato Brasileiro da Série C de 1998.

- Em nove decisões de campeonatos cearenses, a vantagem do Fortaleza é inquestionável, com oito finais ganhas e apenas uma perdida.

O "ressurgimento" do Ferroviário é muito positivo para o futebol cearense e nordestino, pois um time que revelou Jardel (brilhante no FC Porto), Iarley (decisivo no Paysandu), não pode ser esquecido e nem estar jogado às traças. Parabeniza-los pela vaga na Série D em 2018 e desejar bons jogos nas semifinais e que não tenhamos brigas entre as torcidas. Nós vemos na Arena Castelão.

O primeiro confronto das semifinais será realizado no próximo domingo (2), às 16hs, na Arena Castelão. (opovo.com.br/divulgação)
#BORA LEÃO
#TRICOLOR DO PICI
#QUEREMOS O ACESSO
#RUMO AO TRI

Gabriel Viana / @GabrielVianaSo3

Comecem a rezar

Torcedor taubateano, seja qual for sua crença religiosa, está na hora de começar a rezar. A atuação diante do Guarani escancarou os defeitos do Burro da Central. A derrota, em sim, não chega a ser uma surpresa, porém a atuação, na qual consigo encontrar adjetivos para classificar, desanimou até o mais otimista dos torcedores.

Um time apático, de onde poucos nomes se salvam, com uma escalação totalmente equivocada. A dose de “inventol” tomada pelo treinador Evaristo Piza passou dos limites. O 1x0 ficou barato.
Sem vencer há quatro partidas, a equipe está em queda livre na classificação. O sonho de retornar a elite após mais de 30 anos acabou. A realidade é outra, a de não cair para a Série A3.

Seis pontos separam o Alviazul da zona de rebaixamento. Nas cinco rodadas restantes, o Burro terá que encarar cinco pedreiras, sendo três delas fora de casa. Está difícil acreditar que a equipe sairá vencedora de campo em algum destes jogos.

Burro chegou a quatro partidas sem vitórias na A2. Foto:Bruno Castilho/EC Taubaté
Os problemas parecem ir além dos defeitos técnicos e tático e das recorrentes lesões e suspensões, e claro da falta de peças reposição. Uma imagem após a derrota para o Bugre chamou a atenção. O zagueiro Júnior Campos, que saiu machucado no segundo tempo, foi carregado por três atletas do Guarani até a porta dos vestiários, enquanto um jogador do Taubaté batia papo e dava risadas na lateral do campo com um membro da comissão técnica do time de Campinas. A falta de comprometimento de algumas peças do elenco é clara.

Resta-nos rezar para que as coisas que já estão ruins não fiquem ainda pior. Permanecer na Série A2 em 2018 já será motivo para festa.

Miami vence em jogo decisivo e abre vantagem por vaga nos playoffs

O Miami Heat necessitava da vitória para se manter na oitava colocação. Foi com essa mentalidade que a equipe entrou em quadra na terça-feira (28) contra o Detroit Pistons, última partida do Heat no Palace of Auburn Hills, que não será mais casa do Pistons na próxima temporada.

O primeiro quarto foi intenso, com bons momentos de cada time, terminando empatado em 24-24. O segundo quarto teve uma liderança maior pela equipe do Heat, que chegou a estar oito pontos a frente, mas foi para o intervalo liderando por 55-50. Os dois períodos apresentaram um jogo muito truncado, com bastante erro para os dois times.

Já o terceiro quarto, o time da Flórida impôs seu jogo e foi para o último período com uma liderança de nove pontos. No quarto, James Johnson fez uma cravada espetacular em cima de Marcus Morris e ainda recebeu a falta, mas essa não seria a jogada mais marcante da noite.

James Johnson sobe para a enterrada sobre Marcus Morris (Foto: The Ringer)
Mais uma vez na temporada, Miami não conseguiu manter a liderança e acabou cedendo a virada para os Pistons faltando 45 segundos em uma bola de três pontos de Kentavious Caldwell-Pope. Faltando 30 segundos para terminar o jogo, a situação estava complicada para o Heat, com quatro pontos atrás. Na saída de bola, Stanley Johnson, de Detroit, pisou na linha, impedindo James Johnson de cobrar o lateral. Falta técnica, lance livre certeiro de Goran Dragic. Em seguida, Dragic acertou uma bandeja, deixando o Heat apenas um ponto atrás.

É nesse momento que os times geralmente fazem a falta, mas Miami não quis e pressionou Stanley até forçar uma bola ao alto, que foi ganha por James Johnson. Bola Heat. Faltando 10 segundos, James arremessou e a bola não caiu. Whiteside ainda tentou dar um tapinha, mas sem sucesso. Dragic conseguiu pegar o rebote, tentou um arremesso também sem sucesso. Faltavam 0.5 segundos, quando a mão esquerda de Hassan Whiteside encostou-se à bola para o tapinha. E caiu! Whiteside dava a vitória ao time visitante. E uma importante. 97-96 para o Miami Heat.

Hassan Whiteside dá o tapinha para ganhar o jogo para o Heat (Foto: USA Today)
Goran Dragic- 24 pontos, 4 rebotes, 4 assistências
Hassan Whiteside- 17 pontos, 9 rebotes
James Johnson- 16 pontos, 6 rebotes
Rodney McGruder- 12 pontos, 6 rebotes, 4 assistências, 2 roubos
Josh Richardson- 9 pontos, 5 rebotes, 4 assistências

LETS GO HEAT

Gabriel Barros
←  Anterior Proxima  → Inicio

Inscreva-se no canal LFTV

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Mais lidas da semana